Fórmula 1

Formula 1: GP da Espanha, Hamilton vence, Ferrari erra e Grosjean vê vaga ameaçada.

Formula 1: Num final de semana dominado pela Mercedes o resultado não poderia ser outro, vitória de Lewis Hamilton, mas o que a Equipe Alemã não esperava era que a Ferrari fosse colaborar

A vitória de Hamilton no circuito de Montmeló na Espanha começou a ser desenhada nos primeiros treinos de sexta feira, a Mercedes parecia ter se adaptado aos compostos de pneus escolhidos pela Pirelli para o GP Espanhol. Nos treinos de qualificação se confirmou a supremacia da Equipe Alemã na pista, porem com as duas Ferraris compondo a segunda fila e com a esperança de um melhor ritmo de corrida dos carros da Escuderia Italiana.

O tal ritmo de corrida, melhor, da Ferrari acabou não aparecendo e Vettel após ter pulado para segundo logo na largada, via o Inglês se distanciar cada vez mais na ponta. Aí numa estratégia arriscada, Sebastian Vettel foi chamado para a troca de pneus ainda na volta 18, substituindo os pneus “macios” pelos “médios”, algo que de inicio pareceu que a Equipe Italiana partiria para uma parada apenas, a Mercedes seguiu a estratégia com ambos os pilotos, porem ficou nítida a baixa performance dos pneus “médios” na Ferrari, enquanto que na Mercedes os mesmos compostos funcionavam muito melhor, o que fez com que Hamilton abrisse ainda mais na ponta. A Ferrari por sua vez foi obrigada a fazer uma segunda parada trocando pelo mesmo composto e o prejuízo só não foi maior porque tal parada foi em regime de Safety Car Virtual na pista, mesmo assim Sebastian Vettel teve de amargar um quarto lugar na corrida e ver o Inglês da Mercedes abrir 17 pontos na liderança do Campeonato de Pilotos e a Mercedes assumir a ponta do Mundial de Construtores com a dobradinha de Lewis e Valteri Bottas.

Vettel em entrevista após a corrida garantiu que estratégia da Equipe foi a correta e foi alem, disse que não conseguiria concluir a corrida com o mesmo jogo de pneus fazendo apenas uma parada. Tal declaração indica que a Escuderia Italiana, que tem um bom aproveitamento dos compostos mais macios de pneus, deve sofrer em pistas que exijam compostos mais duros.

As RBR de Verstappen, terceiro colocado, e de Ricciardo, quinto na corrida, tiveram um bom rendimento na Espanha e permaneceram na pista até a volta 33 com o composto macio e chegaram ao final da corrida com pneus em melhores condições que os adversários, Verstappen não ameaçava Bottas, mas também não permitia a aproximação de Vettel, o mesmo acontecia com Ricciardo em relação a Vettel e Magnussen que vinha atrás.

Magnussen, Sainz, Peres, Leclerc e claro, sempre ele, Fernando Alonso foram os destaques entre os demais.

Seria um GP morno e sem muitas polemicas, não fosse por ele, Romain Grosjean, que protagonizou mais uma vez uma cena no mínimo irresponsável, o piloto Frances logo na largada na curva três, foi fechado pelo carro de Magnussen, é verdade, com isso saiu do traçado, porem num ato extremamente perigoso, pra não dizer palavra pior, manteve a aceleração e tentou dar um giro de 180º para manter o carro na direção correta, porem fez isso dentro da pista e repito, no momento da largada onde todos os carros estão juntos na pista. O Resultado era obvio, um acidente que poderia ter tido proporções muito piores e até mesmo uma tragédia poderia ter acontecido.

Grosjean perguntado sobre o “incidente” disse que fez a única coisa que poderia ter feito. Discordo veementemente disso, pois a Haas de Grosjean já estava escorregando para fora da pista e bastava deixar o carro rolar para brita para evitar tudo isso. A atitude de Grosjean, ainda que numa fração de segundos, foi pensando no péssimo ano que vem fazendo, um pouco por culpa da Equipe é claro, como na Austrália, mas também um erro infantil cometido por ele em Baku, quando bateu sozinho no muro com o Safety Car na pista, algo imperdoável, por isso é de se imaginar que para ele, Grosjean, não era uma opção ficar na caixa de brita logo na primeira volta. Deveria ter ficado na caixa de brita, pois a atitude que tomou colocou ainda mais em risco sua vaga na Haas, e muito alem disso, colocou em risco a própria vida e a de seus colegas na pista.

A atitude irresponsável saiu barato para o Piloto Frances que como “punição” perdera apenas, três posições no grid, muito pouco se considerarmos que a simples troca de um cambio, que não gera nenhum tipo de risco a ninguém, é punida com a perda de cinco posições no grid, os comissários com isso parecem brindar a incompetência recorrente do Piloto.

A próxima etapa acontece no Principado de Mônaco daqui a quinze dias, tempo suficiente para a Ferrari estudar melhor suas estratégias, Grosjean pensar na bobagem que fez, e para Lewis Hamilton e a Mercedes curtir a liderança momentânea do Campeonato.

Classificação da prova:
Pos. Piloto Equipe Tempo/dif.
1 Lewis Hamilton Mercedes 1h35m29.972s
2 Valtteri Bottas Mercedes 20.593s
3 Max Verstappen Red Bull/Renault 26.873s
4 Sebastian Vettel Ferrari 27.584s
5 Daniel Ricciardo Red Bull/Renault 50.058s
6 Kevin Magnussen Haas/Ferrari 1 volta
7 Carlos Sainz Renault 1 volta
8 Fernando Alonso McLaren/Renault 1 volta
9 Sergio Perez Force India/Mercedes 2 voltas
10 Charles Leclerc Sauber/Ferrari 2 voltas
11 Lance Stroll Williams/Mercedes 2 voltas
12 Brendon Hartley Toro Rosso/Honda 2 voltas
13 Marcus Ericsson Sauber/Ferrari 2 voltas
14 Sergey Sirotkin Williams/Mercedes 3 voltas
15 Stoffel Vandoorne McLaren/Renault abandono
16 Esteban Ocon Force India/Mercedes abandono
17 Kimi Raikkonen Ferrari abandono
18 Romain Grosjean Haas/Ferrari Acidente
19 Pierre Gasly Toro Rosso/Honda Acidente
20 Nico Hulkenberg Renault Acidente

Por Regii Silva – Planeta Velocidade / Fotos F1.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *