Fórmula Indy

Indy-500: aos 19 anos, Leist guia como veterano em “prova mais difícil da carreira” e chega em 13º

Mais jovem piloto do grid, Matheus Leist chegou em 13º de 33 pilotos, sendo o segundo melhor estreante em corrida marcada por diversos acidentes, incluindo de pilotos com bastante experiência na Indy

A Indy-500 mais acidentada dos últimos anos teve uma corrida de destaque justamente para o mais jovem piloto do grid: o gaúcho Matheus Leist. Aos 19 anos, o piloto da AJ Foyt fez uma prova sem cometer erros em um dia em que diversos veteranos acabaram sofrendo acidentes e terminou com o 13º lugar entre os 33 pilotos que largaram neste domingo, sendo o segundo melhor estreante.

“Foi uma corrida difícil, talvez a mais difícil da minha carreira. Sendo sincero, não esperava que ia ser tão complicada, por conta da dificuldade que todos os pilotos estavam sentindo por conta do novo carro (que tem menos pressão aerodinâmica, que o torna mais arisco). Por isso, considero que fizemos um ótimo trabalho, trazendo o carro inteiro para casa e conseguindo um resultado perto do top-10. Claro que a gente queria terminar mais para frente, e até tinha potencial para isso, mas Indy-500 é assim mesmo. O nível é muito alto e não é por acaso que esta corrida é a maior do mundo”, diz Leist, que conquistou o melhor resultado entre os pilotos brasileiros após os abandonos de Tony Kanaan e Helio Castroneves.

“Foram muitos acidentes, alguns bem à minha frente. Houve momentos em que freei bem no tempo exato de evitar uma batida, então esta corrida foi realmente o tempo inteiro no limite. E Indianápolis é assim: quando é pra ser seu dia, vai ser”, diz Leist, que em 2016 foi campeão inglês de F-3, título de base também conquistado por campeões mundiais como Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna.

Depois de conquistar este título, em 2017 Leist migrou sua carreira para os EUA, onde fez sua estreia em ovais justamente em Indianápolis, na Freedom 100, corrida que venceu e acabou ajudando a abrir as portas para o então piloto da Indy Lights fazer a mudança para a categoria principal em 2018.

“Posso dizer que realizei um sonho ao correr a Indy-500 e agora vamos em busca de outros sonhos. Estou feliz que a gente tenha recebido a bandeirada com uma corrida boa dentro das limitações de nossa equipe e agradeço a todos porque torceram por mim”, diz Leist.

A Indy volta às pistas já no próximo final de semana para a rodada dupla do circuito de rua de Detroit.
Por RF1 / Fotos Indycar - Rodrigo França/ RF1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *