F-1 Últimas Notícias

Formula 1: Hamilton vence em Hungaroring sem ser ameaçado.

Formula 1:  Sem ser atacado em nenhum momento da prova Lewis Hamilton conquistou uma vitória improvável, e viu as favoritas Ferrari e RBR sofrerem com problemas e estratégias erradas.

Quem viu os treinos livres de sexta, jamais imaginaria que a corrida deste domingo terminaria com o Inglês da Mercedes no lugar mais alto do pódio ampliando sua liderança no mundial de pilotos para 24 pontos a frente de Vettel.

O imponderável começou no sábado pouco antes do treino de Qualificação, a chuva entrou em cena e a Mercedes que vinha sofrendo para alcançar a Ferrari e RBR que se revezavam nos tempos, teve sua oportunidade. A chuva forte no Q2 igualou as condições e Hamilton desequilibrou mais uma vez com a pista molhada e marcou a pole, seguido de Bottas e Raikkonen e o apático Vettel teve de se contentar com a quarta posição no grid.

Durante a corrida, o mais próximo que Vettel esteve de Hamilton foi no alinhamento do grid, já na largada Lewis abriu aproveitando a condição de escudeiro de Bottas, Vettel foi conservador na largada e nitidamente foi “ajudado” por Raikkonen para assumir a terceira posição, daí pra frente o que se viu foi uma serie erros da Ferrari e a Mercedes fazendo tudo como deveria ser.

 

Opinião Regii Silva:

A Ferrari errou na estratégia de manter Vettel na pista por quase quarenta voltas com o pneu macio e trocando para os ultramacios no final, a mudança não surtiu efeito e a equipe teve o final de semana todo para chegar à conclusão que nós, aqui de fora, chegamos já na sexta feira, que o rendimento dos pneus ultramacios era muito parecido com o dos macios, porem os macios muito mais duráveis. A estratégia para Vettel se mostrou errada, pois basta ver o resultado final da corrida de Kimi Raikkonen que chegou junto com Vettel no final tendo feito uma parada a mais.

Alem da equivocada estratégia de Vettel, a equipe ainda foi ineficiente nas trocas de pneus dos dois pilotos, no caso de Raikkonen na primeira troca foram mais de 5 segundos e na de Vettel quase 4 segundo o que prejudicou o piloto Alemão que teria voltado à frente de Bottas se o tempo da troca fosse o normal.

Valteri Bottas foi um caso a parte, o Finlandês assumiu o posto de escudeiro de Hamilton e o fez com perfeição, segurou Vettel o tempo todo, porem, no momento em que finalmente foi ultrapassado fiquei com a impressão de que teria jogado o carro contra a traseira da Ferrari de Vettel que já o havia ultrapassado e com seus pneus acabados, nada poderia fazer pra defender a posição, com a manobra apenas ele saiu no prejuízo, mas poderia ter tirado Vettel da corrida e o clima poderia esquentar.

As RBR’s que ameaçaram nos treinos não tiveram o mesmo desempenho na corrida, Verstappen teve problemas e teve de abandonar e Ricciardo que por conta da chuva no Quali largou nas ultimas posições do grid até teve uma boa recuperação terminando em quarto a frente de Bottas.

 

Destaques positivos:

Hamilton viu finalmente a sorte sorrir para ele, com a chuva no Q2, teve a chance de marcar a pole e aproveitou, na corrida foi soberano, soube entender a corrida como um todo, foi ajudado por Bottas, mas também soube administrar o ritmo a ponto de não ser ameaçado em momento algum da corrida.

Vettel embora tenha sido um tanto “covarde” na chuva durante os treinos, foi conservador na largada, algo que faltou para ele na França, teve frieza e terminou em segundo passando Bottas na pista, pois por erros da própria equipe, foi devolvido a pista atrás do Finlandês. Vettel chegou na posição que podia chegar, e tivesse terminado nesta posição na França e Alemanha a diferença para Hamilton seria bem menor. Parece que daqui pra frente Vettel estará disposto a lutar sim por vitórias, mas quando não for possível, fazer o maior numero de pontos possível.

Ricciardo fez uma ótima corrida de recuperação e chegou num excelente quarto lugar passando por Bottas na penúltima volta mesmo com o Finlandês jogando sujo para defender a posição.

 

Destaques negativos:

Valteri Bottas deixou de ser um destaque positivo na minha visão nas cinco ultimas voltas da corrida, na disputa com Vettel, tocou o bico do carro na traseira da Ferrari, dizer que foi uma tentativa de se defender? Não cabe, pois a ultrapassagem já havia sido concluída, o desgaste extremo dos seus pneus não permitiria nenhum tipo de reação. Não vou julgar se houve intenção de tirar Vettel da corrida ou não. Mas no caso de Ricciardo houve sim uma batida intencional no final da reta, a ponto da própria Equipe pedir para que entregasse a posição para o Australiano, mas Bottas desobedeceu a ordem, em seguida foi ultrapassado e ofereceu resistência. A atitude de Bottas pode ser reflexo do momento em que vive na Mercedes, Bottas sabe que daqui para o final do campeonato terá cada vez mais que sacrificar sua própria corrida para favorecer o companheiro.

A Equipe Ferrari teve uma atuação pífia nos pits de seus dois carros, embora nas duas corridas anteriores tenha sido Sebastian Vettel o responsável pelos erros, desta vez a equipe tirou de si mesma e de Vettel a chance de pelo menos brigar pela vitoria. A tônica tem sido uma só, quando não é Vettel, é a Ferrari quem erra, e isto é inaceitável para quem quer ser campeão.

A Formula 1 entra agora em merecidas férias, tempo suficiente para Hamilton comemorar a liderança e Vettel pensar numa forma de voltar com apetite renovado para ao menos dar um pouco mais de trabalho para a Mercedes e Hamilton.

Fotos F1.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *