F-1 Últimas Notícias

Fórmula 1 – Pela terceira vez um pentacampeão.

Como sabe a grande maioria dos torcedores e da mídia como um todo, o piloto Lewis Hamilton, da equipe Mercedes, conquistou no último final de semana, no GP do México, o pentacampeonato mundial de Fórmula 1.

Não há dúvidas de que este é um feito realmente incrível, uma vez que inúmeros pilotos do passado, com talentos monstruosos e vários anos de experiência não conseguiram atingir tão grandiosa marca, dentre eles, Alain Prost, Sebastian Vettel (com 4 títulos cada um), Ayrton Senna, Niki Lauda, Nelson Piquet, Jackie Stewart e Jack Brabham (com três triunfos cada), sem falar nos vários outros que conquistaram um ou dois títulos mundiais, mesmo após terem participado de inúmeras corridas.

Contudo, mais uma vez de olho em nossas raízes, podemos informar que apenas 3 pilotos na história da Fórmula 1 atingiram este feito absolutamente impressionante que ora é alcançado por Lewis Hamilton, com louvor.

O primeiro deles foi o argentino JUAN MANUEL FANGIO, ainda nos primórdios da Fórmula 1, quando também conquistou 5 campeonatos mundiais, nos anos de 1951, 1954, 1955, 1956 e 1957.

Seu primeiro título (1951) se deu com a equipe Alfa Romeo.

No segundo (1954), o piloto deixou a equipe Maserati a partir do GP da França e conquistou o seu bicampeonato pela Mercedes.

O tricampeonato veio novamente com a equipe Mercedes, no ano de 1955.

Em 1956, o tetracampeonato se deu a bordo da tradicional equipe Ferrari.

Ao fim, o quinto campeonato mundial de Fangio, em 1957, se deu após o retorno do mesmo a equipe Maserati.

Como sabe a maioria, a Fórmula 1 surgiu no ano de 1950 e, sendo assim, nos seus 8 primeiros anos de existência, Fangio havia conquistado nada menos do que 5 títulos mundiais, com um aproveitamento ímpar e de colocar inveja a qualquer piloto daquela época e até mesmo da atualidade.

Acrescente-se que Juan Manuel Fangio ainda foi vice-campeão nos anos de 1950 e 1953, quando o título da temporada foi conquistado por Nino Farina e Alberto Ascari, respectivamente.

Esta foi uma marca tão importante e expressiva para a categoria, que demorou nada menos do que 45 anos para ser igualada por outro piloto, como veremos adiante.

Ídolo de grandes pilotos como Ayrton Senna e Jim Clark, Juan Manoel Fangio ainda é considerado como um dos maiores volantes de todos os tempos, não só pelos títulos acima mencionados, mas também pela forma como guiava, pelo seu talento nato e arrojado e, ainda, pelos grandes resultados que conquistou, sendo o único piloto da história a conquistar títulos mundiais por 4 equipes diferentes.

Fangio, que nasceu no dia 24 de junho de 1911, disputou 51 provas na Fórmula 1  e deixou as pistas em 1958, vindo a  falecer em 17 de julho de 1995, em Buenos Aires, na Argentina, vítima de insuficiência renal crônica.

Como já mencionado acima, o marco de 5 títulos atingidos por Fangio na Fórmula 1 foi tão monumental que permaneceu como um recorde que só restou ser igualado por outro piloto no ano de 2002, qual seja MICHAEL SCHUMACHER.

Alemão, Schumacher nasceu no dia 3 de janeiro de 1969 e conquistou seus dois primeiros títulos mundiais em 1994 e 1995, pela equipe Benetton e os demais, de forma sucessiva, entre os anos de 2000 a 2004, pela equipe Ferrari.

Sim, caro leitor, Schumacher não só atingiu o recorde do grande Juan Manoel Fangio, como também o superou nos anos de 2003 e 2004, tornando-se heptacampeão mundial e o novo detentor da marca de mais títulos conquistados na maior categoria do automobilismo mundial.

Vale apontar ainda que Schumacher teria chances reais de um oitavo título em 1999 (ano em que passou a correr pela equipe Ferrari), se não fosse um grave acidente ocorrido no GP da Inglaterra, em Silverstone, no dia 12/07, onde fraturou a perna direita e foi obrigado a se afastar das pistas durante o restante do campeonato.

Em 2006 ainda disputou o título mundial com Fernando Alonso, da Renault, mas acabou sendo vencido pelo espanhol e declarado sua aposentadoria após naquele ano.

Schumacher ainda ensaiou um retorno às pistas em 2010, após 3 anos de afastamento, pela equipe Mercedes, onde permaneceu por 3 temporadas seguidas, aposentando-se definitivamente no final do ano de 2012, sem conquistar mais vitórias.

Schumacher, que disputou 308 corridas, até hoje é o recordista não só de campeonatos mundiais de Fórmula 1 (7), como também de vitórias (55), pole positions (68), pódios (155), etc.

No dia 29 de dezembro de 2013, Schumacher sofreu um grave acidente em uma pista de esqui da França e pouco se sabe concretamente sobre seu atual estado de saúde, mas é fato que este mito não mais é visto desde então e o mesmo vem sendo cuidado por seus familiares, na Alemanha.

O terceiro e último personagem a alcançar essa grande marca neste ano de 2018 foi o piloto britânico LEWIS HAMILTON, nascido no dia 07 de janeiro de 1985.

Hamilton estreou na Fórmula 1 no ano de 2007, aos 22 anos de idade, pela equipe McLaren, que já acompanhava de forma direta a sua carreira desde a época do kart, na pessoa de Ron Dennis.

Sua função era ser companheiro de equipe de ninguém menos do que o espanhol bicampeão Fernando Alonso, que havia conquistado seus 2 títulos mundiais nos anos anteriores (2005 e 2006), pela equipe Renault.

Já em sua prova de estreia na equipe, no dia 18/03/2007 e no GP da Austrália, Lewis Hamilton chegou já conquistou um pódio, após ter recebido a bandeirada na terceira colocação.

A primeira vitória não demorou muito e veio logo no dia 10 de junho daquele ano, no GP do Canadá.

A experiência inegável de Alonso e o ímpeto do novato Hamilton acabou por resultar em um conflito, onde o espanhol acusava a equipe McLaren de favorecer o jovem inglês.

Diante disso, a disputa entre ambos na pista foi mito intensa e ambos se revezavam nas vitórias (foram 4 de Alonso contra 4 de Hamilton em 2007).

Em que pese todo esse domínio de ambos os pilotos, o resultado da temporada foi surpreendente, visto que o Campeão daquele ano foi Kimi Haikkönen, da Ferrari, em uma quase reprise da decisão da temporada e 1986 (Mansell x Piquet = Prost), da qual certamente trataremos em oportunidade futura.

Ainda assim, Hamilton já era vice-campeão em sua temporada de estreia, o que, sem sombra de dúvidas, já era um grande marco em sua carreira.

Já na temporada de 2008, com Fernando Alonso fora de equipe, Hamilton finalmente conquistou seu primeiro título mundial na Fórmula 1.

Sem a conquista de novos títulos nos anos seguintes, Hamilton se transfere para a equipe Mercedes no ano da 2013, a fim de ocupar o cockpit que restou vago em decorrência da saída de Michael Schumacher, acima mencionada.

Daí por diante, Lewis conquistou mais 4 títulos mundiais, nos anos de 2014, 2015, 2017 e 2018, sendo novamente vice-campeão no ano de 2016, após forte disputa com seu companheiro de equipe Nico Rosberg, filho do também campeão de Fórmula 1 de 1982, Keke Rosberg.

Sabe-se que Hamilton ainda é jovem e possui um grande caminho a ser percorrido na Fórmula 1, rompendo cada vez mais barreiras e conquistando, quem sabe, mais títulos na principal categoria do automobilismo mundial, as quais serão sempre levadas pelo PLANETA VELOCIDADE aos nossos leitores.

Aponto aqui mais uma grande e importante semelhança na carreira destes 3 pilotos apontados acima, que não a do pentacampeonato, qual seja, todos eles já defenderam nas pistas a estrela da equipe Mercedes-Benz, sendo Juan Manuel Fangio em 1954, Michael Schumacher entre 2010 a 2012 e Lewis Hamilton de 2013 até os dias atuais.

Nos veremos certamente em uma próxima oportunidade.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira
Twitter: @alexleonello
Fonte: Divulgação/Internet

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *