Vocabulário da Nascar

NASCAR – Descomplicando as regras dos playoffs.

NASCAR – Primeiramente gostaria de pedir ao nosso atento leitor uma atenção especial para o presente texto, uma vez que, o que se apresentará inicialmente é uma série de informações sucessivas que, muito embora possam aparentar uma dificuldade inicial, se tornarão de simples entendimento após a aplicação prática e exemplificativa com a temporada da Monster Energy NASCAR Cup Series.

Como sabe a maioria, a NASCAR não faz seus campeonatos baseados exclusivamente nos pontos corridos, conquistados pelos seus pilotos de forma exclusiva durante uma determinada temporada regular.

Isto porque, tal situação poderia resultar na antecipação de títulos de determinado corredor ou até mesmo inviabilizar que outros participem da decisão, no final do campeonato.

Note-se que, um piloto que inicie ou termine mal uma temporada perderia a chance de disputar o título da categoria na qual restou inscrito.

E foi por isso que, no ano de 2004, a NASCAR, buscando recompensar os pilotos que obtiveram vitórias durante a fase regular inicial, passou a adotar o sistema dos playoffs em suas 3 principais categorias (atualmente denominadas como Monster Cup, Xfinity Series e Truck Series), mas, inicialmente, o nome atribuído a esta fase era simplesmente “chase”.

Com esse regramento, a NASCAR divide sua temporada em duas fases distintas, sendo a primeira, a regular, com 26 provas, que visa selecionar os melhores resultados de vitórias e pontos corridos durante as provas nela realizadas e a segunda, com 10 etapas, que consiste na disputa efetiva do título, chamada de playoffs que aqui tentaremos explicar.

Durante a fase regular da temporada, o primeiro critério para a classificação de um piloto para os playoffs é o número de vitórias que ele conquistou, ou seja, se o piloto A tiver mais pontos que o piloto B, mas este último tiver mais vitórias, a situação de classificação de playoffs de B estará melhor que a de A.

Além dos pontos normais da fase regular, cada vitória de uma etapa naquela fase dá ao piloto 5 pontos extras para a fase dos playoffs.

Da mesma forma, cada segmento conquistado também garante ao competidor 1 ponto a mais para os playoffs.

Ao fim, o campeão da fase regular, obtido após a realização das 26 primeiras etapas, ainda fatura mais 15 pontos de bônus para os playoffs.

Ou seja, durante a fase regular do campeonato, todos os pilotos disputam entre si e devem se esforçar ao máximo para obter o maior número de vitórias e conquistas de segmentos, não só para estar classificado para a fase final da disputa do título, chamada de playoffs, como também para chegar no mesmo com certa vantagem de pontos sobre os demais finalistas.

Na Monster Energy NASCAR Cup Series, apenas 16 pilotos se classificam para a fase dos playoffs e cumpre mencionar que os pontos extras conquistados durante a fase regular do campeonato acompanham o piloto durante as 9 primeiras corridas dos playoffs, excetuando-se apenas a última, realizada em Homestead – Miami, onde apenas os 4 últimos finalistas chegam para a prova em total igualdade de condições de obtenção do título e, quem obter o melhor resultado naquela prova será o novo campeão.

Assim, uma vez concluída a fase regular, após a etapa de Indianápolis, os primeiros classificados estarão ordenados pelo número de vitórias e os demais pelo número de pontos somados na fase inicial.

Lembre-se de que, mesmo com vitória na temporada, o piloto classificado deve estar ocupando ao menos a 30ª posição na fase regular.

Muito embora possa parecer complexo, podemos ilustrar claramente tudo o que acima restou narrado mediante os fatos ocorridos durante a fase regular desta temporada de 2018.

Durante a dita fase, Kevin Harvick (4) contou com 6 vitórias válidas para o campeonato (uma sétima restou anulada).  O mesmo aconteceu com Kyle Busch (18), que também contou com 6 vitórias durante a fase regular.

Como Kyle Busch teve mais pontos durante a temporada que o piloto do carro nº 4, classificou-se na primeira colocação para o playoff, enquanto Harvick ficou com a segunda posição.

Martin Truex Jr. (78), obteve quatro vitórias e classificou-se em terceiro lugar.

Depois deles, Clint Bowyer (14) e Brad Keselowski (2) conquistaram 2 vitórias cada um e concluíram a fase regular em quarto e quinto lugares, respectivamente, em decorrência do desempate por pontos.

Cinco pilotos contaram com apenas 1 vitória, são eles Austin Dillon (3), Chase Elliott (9), Joey Logano (22), Erick Jones (20) e Kurt Busch (41), no desempate por pontos, ocuparam da sexta até a décima posição para os playoffs.

Os outros 6 classificados, quais sejam, Kyle Larson(42), Ryan Blaney (12), Danny Hamlin (11),  Aric Almirola (10), Alex Bowman (88) e o gigante heptacampeão Jimmie Johnson (48), sem vitórias, classificaram-se apenas pelo número de pontos que conquistaram durante a fase regular.

Uma vez definidos os 16 pilotos que irão disputar o título da temporada, algo novo acontece.

Todos classificados são elevados a um patamar de 2000 pontos, a fim de que jamais sejam alcançados pelos demais.

Feito isso, a NASCAR distribui aos mesmos todos os pontos de Playoffs que os mesmos conquistaram durante a fase regular, seja pela conquista de segmentos, pelas vitórias nas provas ou pelo título daquele fração de campeonato que, no caso e como dito, coube a Kyle Busch.

Os carros dos finalistas passam a ser identificados por faixas coloridas no para-brisas e no spoiler.

Feitas as devidas distribuições, a classificação inicial para os playoffs da Monster Cup ficou assim:

01 – Kyle Busch (18) – 2.050 pontos;

02 – Kevin Harvick (4) – 2.050 pontos;

03 – Martin Truex Jr. (78) – 2.035 pontos;

04 – Brad Keselowski (2) – 2.019 pontos;

05 – Clint Bowyer (14) – 2.015 pontos;

06 – Joey Logano (22) – 2.014 pontos;

07 – Kurt Busch (41) – 2.014 pontos;

08 – Chase Elliott (9) – 2.008 pontos;

09 – Ryan Blaney (12) – 2.007 pontos;

10 – Erik Jones (20) – 2.005 pontos;

11 – Austin Dillon (3) – 2.005 pontos;

12 – Kyle Larson (42) – 2.005 pontos;

13 – Denny Hamlin (11) – 2.003 pontos;

14 – Aric Almirola (10) – 2.001 pontos;

15 – Jimmie Johnson (48) – 2.000 pontos; e

16 – Alex Bowman (88) – 2.000 pontos.

A própria fase dos playoffs está dividida em quatro “subfases” (Round of 16, Round of 12, Round of 8 e Final), onde 4 pilotos são eliminados a cada 3 provas.

Ou seja, na primeira subfase (Round of 16) ocorrerá nas 3 primeiras provas (Las Vegas, Richmond e Charlotte).

O piloto que estiver nos playoffs e que vencer uma destas provas, como foi o caso de Brad Keselowski em Vegas, está automaticamente classificado para o Rond of 12, ainda que abandone as duas outras corridas, visto que, como dito, a NASCAR prioriza as vitórias.

Se um piloto que não está nos playoffs vencer a prova (sim, eles continuam disputando com os demais), ele não se classifica, mas joga para os finalistas a responsabilidade de vencer outra prova ou de ao menos ser regular nas três etapas.

Os pilotos que não vencerem se classificarão por pontos para o Round seguinte e os quatro com piores pontuações são automaticamente eliminados.

No Round of 12 (dover, Talladega e Kansas), acontecem as mesmas disputas, assim como no Round of 8 (Martinsville, Texas e Phoenix).

Ao término do Round of 8, sobrarão apenas 4 pilotos que irão para a última prova do campeonato, em homestead, em absoluta igualdade de condições.

Em outras palavras, todos serão elevados a uma grande pontuação idêntica (5000 pontos) e quem chegar na frente é o campeão, vencendo ou não a prova.

Os playoffs funcionam com regras idênticas na Xfinity Series e na Truck Series e suas finais também acontecem na pista de Miami.

Na Xfinity Series, segunda principal categoria da NASCAR, apenas 12 pilotos se classificam para os playoffs que, por sua vez, conta com 7 provas

Assim como no caso da Monster Cup, a cada 3 provas, 4 deles são eliminados, até que apenas 4 chegam na corrida final em Homestead , em condições iguais de disputa do título.

Na Truck Series, classificam-se apenas 8 pilotos para a fase final dos playoffs que, neste caso, tem apenas 7 provas.

Dois pilotos são eliminados a cada 3 provas, até que somente 4 deles também cheguem a Homestead – Miami, em igualdade de condições para a disputa do título.

Teremos novos encontros durante o calendário da temporada e estaremos sempre trazendo novidades, informações e curiosidades, na medida em que elas forem surgindo.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira
Twitter: @alexleonello
Fonte: Divulgação/Internet

 

One Response

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *