Vocabulário da Nascar

NASCAR – Entenda as regras do free pass, do lucky dog e do wave around

NASCAR: Muito embora grande parte dos leitores já tenham ouvido falar nos nomes das regras que aqui menciono (free pass, lucky dog e wave around), alguns deles podem não saber o que cada uma delas significa exatamente.

Mas o PLANETA VELOCIDADE, está aqui novamente para acabar com isso, pois nossos leitores sempre estarão bem informados.

Inicio dizendo que não só que estas regras se aplicam em casos de bandeira amarela ou vermelha, como também que “free pass” e “lucky dog” são exatamente a mesma coisa.

Lembro que a NASCAR prima sempre pela competitividade e pela emoção de suas provas.

Da mesma forma, por correr na maioria das vezes em circuitos ovais, sendo vários deles curtos, uma significativa quantidade de pilotos acabam por se tornar retardatários na pista, após serem ultrapassados pelo líder e se tornar um competidor com uma ou mais voltas de desvantagem para o mesmo.

Vale mencionar que essas voltas de desvantagem nem sempre são resultado de um equipamento inferior do retardatário, mas também de problemas que possam ter sido sofridos pelos competidores de primeiro pelotão, no decorrer da prova.

Visando dar aos retardatários uma possibilidade de reingressar na disputa, a NASCAR criou o “free pass”.

Na verdade, tal regra consiste no fato de que, em cada bandeira amarela que venha a ser acionada no circuito, o último piloto ao ter sido ultrapassado pelo líder da prova, ou seja, aquele que se apresenta em menor situação de desvantagem ante os demais retardatários, garante o direito de recuperar uma das voltas que perdeu.

Assim, se o retardatário em condição de “free pass” está com uma volta de desvantagem, retorna a volta do líder e se estiver com duas ou mais voltas de atraso, recupera apenas uma delas.

Sendo assim, o piloto favorecido ultrapassa todos que estão em sua frente, inclusive o safety car, dando a volta no circuito e colocando-se no final do pelotão.

Friso que o favorecido pelo “free pass” pode buscar os pits para troca de pneus e reabastecimento de seu carro, na mesma oportunidade oferecida aos retardatários, sem que isso implique na perda de sua condição de “Lucky dog”.

Contudo, se o indivíduo que estiver em condição de “free pass” for o causador da bandeira amarela que lhe favoreceria, perde imediatamente o direito a tal benefício.

Mas então o leitor mais curioso pode perguntar o motivo pelo qual uma mesma regra possui dois nomes distintos, e nós teremos o prazer de responder:

Quando da introdução desta regra na NASCAR, em 2003, no circuito de Dover (a milha monstro), o piloto Jimmy Spencer, que guiava o carro nº 7 com o patrocínio da Sirius Satellite Radio (cujo mascote era um cachorro), foi o primeiro favorecido pela mesma, após uma bandeira amarela acionada naquela oportunidade.

O ex-piloto da NASCAR e narrador esportivo da TV americana, Benny Parsons, ao dar notícia aos telespectadores sobre o piloto favorecido pela nova regra referiu-se a figura do cachorro que existia no carro do mesmo e mencionou: – “that is a lucky dog!”, ou seja, este é um cão de sorte.

Desde então o termo ganhou popularidade e acabou sendo utilizado pela própria NASCAR por um longo período, até ser definitivamente substituído pelo nome de “free pass”.

Quanto ao “wave around”, muito embora o mesmo também tenha o objetivo de fazer com que os pilotos recuperem voltas perdidas com relação ao líder, ocorrem em situações absolutamente distintas e pode beneficiar vários pilotos que estejam na condição de retardatários na prova, independentemente do número de voltas de atraso.

Cumpre antes explicar que, quando uma bandeira amarela é acionada, os carros são agrupados e só depois os boxes são abertos para os pilotos.

Assim que o acesso aos boxes é permitido, devem entrar primeiro na área dos pits apenas os pilotos que estão na volta do líder, permanecendo na pista os demais.

Somente na volta seguinte os retardatários podem vir aos boxes para fazer o seu reabastecimento e sua troca de pneus.

É neste instante que pode acontecer o que a NASCAR chama de “wave around”.

Os retardatários podem aproveitar que os ponteiros entraram nos boxes e optarem por não fazer seus pit stops, o que os colocaria na frente do líder, recuperando a volta perdida.

Como o safety car deve ser seguido imediatamente pelo líder, a NASCAR permitirá que todos os retardatários que se encontram entre o mesmo e o ponteiro ultrapassem o carro madrinha e se reposicionem no final do pelotão.

Ou seja, em outras palavras, no “wave around”, os pilotos se aproveitam da ausência momentânea da pista por parte dos líderes, a fim de posicionarem-se na frente dos mesmos e recuperarem uma volta perdida mediante a reorganização dos competidores na pista.

Vale aqui ressaltar a importantíssima informação de que o piloto que optar pela realização do “wave around” não poderá entrar nos boxes para o reabastecimento e a troca de pneus.

Certamente teremos novos encontros durante o calendário da temporada e estaremos sempre trazendo novidades, informações e curiosidades, na medida em que elas forem surgindo.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira
Twitter: @alexleonello
Fonte: Divulgação/Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *