Nas- Últimas Notícias

NASCAR – Tradição e inovação andarão juntos em Charlotte.

Neste próximo final de semana, depois de rodar por todo o país, a NASCAR volta para a sua própria casa, em Charlotte, no município de Concord, na Carolina do Norte.

Digo isso porque quase todas as suas equipes encontram-se sediadas em Concord, com exceção apenas da Furniture Row, que mantém suas atividades em Denver, no Colorado, até o final deste ano, quando então, infelizmente, vai fechar suas portas, como já foi noticiado por aqui, no PLANETA VELOCIDADE.

O circuito oval de Charlotte possui 1,5 milhas e já foi palco de duas provas da NASCAR neste ano.

A primeira delas foi a All Star Race, vencida por Kevin Harvick (4), mas que não é válida pelo campeonato e cujos detalhes deixaremos para uma outra oportunidade.

A segunda, já na semana seguinte (28/05), véspera do feriado nacional do Memorial Day e dividindo esta data abençoada com o GP de Mônaco de Fórmula 1 e, ainda, com as 500 milhas de Indianápolis, foi a vez da Charlotte 600, a maior prova em extensão da NASCAR, e restou vencida por Kyle Busch (18).

Assim como em todos os anos, o retorno para casa aconteceu na fase dos playoffs, mas desta vez, mesmo sem perder a tradição, uma grande novidade nos aguarda nesta temporada.

Sediando a segunda etapa dos playoffs da Xfinity Series e a terceira da mesma fase na Monster Energy Cup Series, onde se revelará os primeiros 4 pilotos a serem eliminados da disputa pelo título, as provas serão disputadas nos dias 1 e 2 de outubro, respectivamente.

A inovação ficou por conta de uma grande mudança inédita na NASCAR e que diz respeito a forma como o circuito de Charlotte Motor Speedway será utilizado pela categoria.

Pela primeira vez, as provas se darão não só na área externa e oval do circuito, mas também fará uso de seu traçado misto existente na área interna da pista (infield), tendo a NASCAR dado a esta combinação o nome de ROVAL, que deriva da união das expressões road course e oval.

Tal realidade já ocorre ou ocorreu em outras categorias, tais como o misto de Indianápolis na fórmula 1 e na Fórmula Indy e, ainda, nas 24 horas de Daytona (Rolex), válida pelo campeonato da Weathertech Sportscar Championship.

Visando agradar seus fãs que, há muito, pediam a presença de um circuito misto na fase dos playoffs a NASCAR resolveu aproveitar a data e o circuito, adotando esta nova modalidade de prova para a categoria.

Ante a realidade de que nenhuma outra prova desta categoria se deu em condições parecidas com a que veremos no Roval de Charlotte, torna-se difícil criar parâmetros ou adiantar favoritos para a vitória, mas vale mencionar ao mais atento leitor que, em caso de chuva, a prova continua, como em qualquer outro circuito misto na NASCAR.

Testes já foram feitos neste circuito durante esta temporada, e não foram poucas as escapadas de pista por parte dos pilotos.

Algumas até bem feias e preocupantes, como foi o caso de William Byron (24):

Sabemos apenas que este território desconhecido será de grande importância para quem ainda pretende se manter vivo na disputa para o título e, exceto para os pilotos Brad Keselowski (2) e Kyle Busch (18), que já estão garantidos do Round 12, obter um resultado ruim dentre os finalistas não pode ser uma opção.

Mas as atrações e a tradição da NASCAR não terminam por aí!

Todos sabemos que o mês de outubro que se aproxima é mundialmente dedicado ao combate contra o câncer de mama e, sabedora de que não só de velocidade e emoção vive o homem, a NASCAR mergulha fundo em mais nessa função social.

Durante todo o mês de outubro o rosa ganhará espaço nas categorias principais, seja nos carros, nos trajes dos pilotos, nas equipes, nos circuitos, nos carros de segurança e até mesmo nas bandeiras de sinalização das provas.

Por meio de uma grande cerimônia anual, os muros de Charlotte já foram pintados de rosa e a mão de obra especializada não foi só dos funcionários do circuito, mas também de pacientes, patrocinadores e dos próprios pilotos da NASCAR, como Kas Grala, Chris Buescher, e o gigante Heptacampeão da Monster Cup, Jimmie Johnson.

Diante de tudo o que dissemos acima, resta unânime entre os torcedores de que a prova no Roval de Charlotte será emocionante e disputadíssima.

Os leitores do PLANETA VELOCIDADE já podem curtir uma volta inteira no circuito, com o piloto A.J. Allmendinger (47), através do vídeo abaixo:

VÍDEO

Ainda acha que consegue perder?

Estaremos juntos em Charlotte.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira
Twitter: @alexleonello
Fonte: Divulgação/Internet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *