Escute a rádio Planeta Velocidade!

NASCAR – Chase Elliott vence em Phoenix e é o mais novo campeão da Cup Series

9 de novembro de 2020

j

Alex Leonello Teixeira

Não há como chegar ao final deste campeonato surpreendente, sem antes olhar para os nossos retrovisores e percebermos o quão sinuoso foi o caminho durante a temporada de 2020.

Do acidente fantástico de Ryan Newman, que nos preocupou e tirou o sono na primeira prova do ano, na Daytona 500, até uma pandemia de grandes proporções que paralisou as provas e, quando enfim foi possível o retorno, se fez necessária uma reformulação completa do calendário.

Kyle Larson demitido por injúria racial em uma prova virtual, proporcionando um apagado retorno de Matt Kenseth às pistas; adiamento da estreia dos carros da geração 7; despedida da equipe Leavine Family, de Clint Bowyer e do heptacampeão Jimmie Johnson, que decidiu buscar novos ares na fórmula Indy em 2021.

Tivemos até ex jogador de basquete se tornando dono de equipe ao lado de Denny Hamlin.

Ainda assim, a NASCAR fez o seu dever de casa e, no dia 08/11, depois de 35 provas realizadas, o último espetáculo desembarca no circuito oval de 1 milha de Phoenix, no estado do Arizona, para a grande decisão, em substituição ao tradicional circuito de Homeatead, em Miami.

Os finalistas de 2020

Os 4 candidatos ao título foram Brad Keselowski, Joey Logano, Chase Elliott e Denny Hamlin.

Ou seja, neste cenário, a Cup Series poderia ter um novo campeão, no caso de Hamlin ou Elliott saírem vitoriosos, ou mais um bicampeão, caso o caneco fosse conquistado por Keselowski ou Logano, ambos da equipe Penske.

Todas as 3 montadoras estavam devidamente representadas na grande final (Elliott com a Chevy, Hamlin com a Toyota, Keselowski e Logano com a Ford), mostrando o quão foi equilibrado o campeonato.

Vale dizer que estes 4 finalistas partiriam nas primeiras posições e a pole position havia ficado por conta de Chase Elliott.

Contudo, reprovado na inspeção por duas vezes, o piloto do Chevy Camaro número 9 foi obrigado a partir do final do pelotão.

Neste caso, Joey Logano herdou a posição de honra no grid de largada.

Superadas as cerimônias tradicionais, o pano verde foi agitado, dando início a primeira das 312 voltas programadas.

Estágio 1

Logano mantém seu posicionamento, enquanto Hamlin, Keselowski e Ryan Blaney travam um belo duelo pela segunda colocação.

Na volta 30 aconteceu a bandeira amarela de competição, onde os ponteiros buscaram os boxes para ajustes, reabastecimento e troca de pneus.

A ação foi retomada com Ryan Blaney, que havia permanecido na pista, na primeira colocação.

Logano logo reassume a ponta e é seguido de perto por Hamlin. na sequência, Elliott, que havia se recuperado rapidamente, já passa a aparecer na terceira colocação, enquanto Keselowski era o quarto.

Sem contratempos e sem alterações nas já mencionadas posições dos demais finalistas, Joey Logano cruza na frente a linha de chegada para vencer o primeiro segmento da prova, na volta 78.

Vale mencionar que, nesta etapa decisiva, os candidatos ao título não somam pontos de segmentos, uma vez que o campeão será aquele que completar a prova a frente dos demais.

Estágio 2

A prova é reiniciada no giro 84 e Logano se manteve na frente, só sendo ultrapassado por Elliott na volta 123, depois de reportar vibrações em seu carro.

Brad Keselowski, que também se queixava de vibrações em seu carro, realiza sua parada nos boxes sob bandeira verde, no giro 132, enquanto Logano a faz na 141 e Hamlin e Elliott no giro 142.

Com o fim do ciclo de paradas, a liderança passou para as mãos de Chase Elliott.

A bandeira amarela veio na volta 161, depois que James Davison raspa o muro externo da pista.

Os pilotos voltam aos boxes e a liderança da prova passa a ser de Kurt Busch, após ter trocado apenas 2 pneus.

A bandeira verde volta a acontecer na volta 169 e Elliott logo recupera a liderança.

Na 174, Brad Keselowski ultrapassa Elliott e se torna líder, mas nova troca de posição acontece no giro 183.

A disputa pela ponta continua até o último instante e, na curva 4 do giro 193, Keselowski supera Elliott para vencer, logo adiante, o segundo estágio da competição.

Elliott cruza a linha de meta na segunda colocação, Logano em terceiro e Denny Hamlin em quarto.

Estágio Final – Sonho para Chase Elliott

Os competidores voltam aos boxes e, sob a liderança de Elliott, a prova é retomada na volta 201.

As paradas voltam a acontecer sob bandeira verde e, enquanto Logano e Hamlin param no giro 258, Elliott e Keselowski fazem o mesmo no de número 259.

Com isso, Logano volta na frente e se coloca em condição de título, contudo, na volta 270, Elliott reassume a liderança e passa a abrir boa vantagem sobre os demais.

Sem surpresas em seu caminho, o jovem Chase Elliott cruza na frente a linha de chegada para vencer a etapa final em Phoenix e se tornar o mais novo campeão da NASCAR Cup Series.

Brad Keselowski completa a prova na segunda colocação, Joey Logano na terceira e, fechando o top 4, recebe a bandeira quadriculada Denny Hamlin.

Em entrevista concedida ao final da prova, Elliott, obviamente emocionado e sem processar por completo o tamanhos de sua conquista, declarou que:

“Não tenho certeza se ainda sei. Eu só, cara, estou sem palavras.  Isto é inacreditável.  Oh meu Deus.  Conseguimos.  Quer dizer, nós conseguimos.  Isso é tudo que tenho a lhe dizer. Surreal”.

“O chefe da equipe do campeonato, Alan Gustafson, é agora um campeão da NASCAR Cup Series e muito merecedor.  Eu simplesmente não posso dizer o suficiente sobre nosso grupo.  Senti que demos grandes avanços este ano, e a semana passada foi enorme.  Sair disso com uma vitória e uma chance de vir aqui e ter a oportunidade de correr é inacreditável”.

“Tudo o que você pode sonhar é uma oportunidade, e eu tenho muita sorte de ter isso ao longo dos anos. Você sabe, e isso tudo graças a algumas pessoas excelentes.  Você sabe, meus pais obviamente desempenharam um papel importante.  O ano passado foi difícil.  Perdi meu melhor amigo há cerca de um ano.  Perdi minha avó no ano passado.  E todas essas coisas aproximam as famílias, então eu realmente não posso agradecê-las o suficiente.”

Com este resultado, a classificação final dos playoffs foi o seguinte:

Campeão – Chase Elliott

2° Lugar –  Brad Keselowski

3° Lugar – Joey Logano

4° Lugar –  Denny Hamlin

Opinião Alex Leonello

A temporada de número 72 da NASCAR chegou a seu fim e, mesmo antes da bandeira verde de Phoenix já fugiu da normalidade, quando Elliott, reprovado na inspeção, teve que partir do fim do pelotão, tal qual aconteceu com Jimmie Johnson, seu companheiro de equipe, na temporada de 2016 em Homestead, onde venceu a prova e conquistou seu sétimo título.

E nesta oportunidade, como se fosse uma verdadeira retrospectiva daquele ano, Elliott alcança o mesmo feito para se tornar o mais novo campeão da NASCAR Cup Series, seguindo os caminhos de seu pai, o grande Bill Elliott, vencedor do título de 1988.

Aliás, Elliott é o terceiro piloto da história da NASCAR a conquistar este feito junto com os pai, sendo Richard Petty (filho de Lee Petty) o primeiro e Dale Jarret (filho de Ned Jarret) o segundo.

Depois da saída de Dale Earnhardt Jr. da categoria, Chase Elliott é hoje, sem sombra de dúvidas o piloto mais popular da NASCAR e certamente fez por merecer.

E como a vida se faz de sucessões, o gigante heptacampeão Jimmie Johnson deixa as pistas nesta etapa, enquanto Elliott surge como o novo vitorioso da categoria.

Conquistando um título que já escapou das mãos de muitos outros grandes nomes, Elliott abre um novo ciclo na NASCAR, ao mesmo tempo em que Johnson encerra outro, assim como aconteceu em 1992 entre Richard Petty e Jeff Gordon.

O garoto cresceu e, agora, mais do que apenas o filho de Bill Elliott, Chase, que acompanhava o pai em suas corridas desde muito pequeno, agora ganha sua própria identidade e é campeão da principal categoria do automobilismo norte americano.

Bela prova, bela conquista e excelente trabalho da equipe Hendrick, da Chevrolet e da categoria.

E que venha a temporada de 2021!

Opinião Francisco Brasil

Se comparada as decisões da Truck e da Xfinity, a final da Cup Series foi bem monótona, porém mais interessante do que Homestead. Claro que isso não tira o mérito de Elliott, mas faltou aquele “efeito NASCAR”.

Brad Keselowski tentou, mas suas paradas nos pits não ajudaram, enquanto Logano sofria com desgaste na parte final do stint. Já Denny Hamlin, parecia atacar no começo, mas realmente não fez frente aos concorrentes. Amarelou de novo?

Parabéns a Elliott, que aproveitou a, em tese, menor pressão por ser apenas sua primeira final. Foi uma homenagem digna à Jimmie Johnson, com quem protagonizou belas imagens ao fim da prova.

Por fim, onde estava Kevin Harvick? Após a pífia aparição em Martinsville, o maior vencedor do ano mal apareceu no top 10. Acusou o golpe.

Com esta decisão encerra-se a temporada 2020 da NASCAR Cup Series, cujo retorno para o próximo ano está previsto para o dia 14/02, com a tradicional Daytona 500.

Mas não se engane, pois o PLANETA VELOCIDADE trará notícias e novidades a todo tempo.

Até lá!

Opinião Marcos Amaral

Enfim chegamos ao final de mais uma temporada da NASCAR CUP Series, surpreendentemente vimos um piloto que veio crescendo nesta temporada, filho de uma lenda da categoria, chamado “Chase Elliott”.
Ganhou corridas importantes, veio sempre entre os 4 primeiros nos Playoffs, esteve ao lado de dois monstros da NASCAR, Joey Logano e Brad Keselowski.
Elliott largou lá do fundo do grid, e veio volta a volta ultrapassando seus concorrentes, até que chegou a primeira posição e com maestria, garra e fazendo uma corrida impecável, ficou com o troféu mais cobiçado.
Ao final uma cena que raramente vemos no automobilismo, a velha e a nova geração se cumprimentando, estou falando de Jimmie Johnson, que está se aposentando e vai para a Indy no ano que vem.
Esse espirito que a NASCAR proporciona, deveria ser para o automobilismo mundial, vimos flashs de pessoas reunidas em casas, bares, torcendo por seus pilotos favoritos.
Que venha a NASCAR 2021 e com ela o Planeta Velocidade vai trazer muitas surpresas.
Até 2021, já com saudades dos V8, rasgando as pistas.

Texto: Alex Leonello

Alex Leonello Teixeira

Alex Leonello Teixeira

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais