Escute a rádio Planeta Velocidade!

COBERTURA DA 2ª ETAPA DO TURISMO CARRETERA MOURAS.

7 de fevereiro de 2021

j

Daniel Mendes

O campeonato argentino similar à nossa Stock Car é denominado Turismo Carretera sendo  composto por quatro categorias (TC, TCP, TCM e TCPM), todas reguladas pela ACTC (Asociacion Corredores Turismo Carretera).

A ANATOMIA DO CAMPEONATO

Cada etapa do campeonato de Turismo Argentino é um verdadeiro festival de velocidade com várias corridas válidas pelas classes acima. As corridas de hoje foram válidas pelas categorias Turismo Carretera Mouras (TCM) e Turismo Carretera Pista Mouras (TCPM) que são categorias de acesso às classes principais do Turismo Carretera. O nome é dado em razão das provas   serem disputadas principalmente no circuito Roberto José Mouras, em La Plata, onde surgiu a competição.

As primeiras corridas classificatórias em formato sprint com 4 voltas de duração e grid enxuto – cerca de 11 pilotos por prova na TC Pista Mouras e 16 na TC Mouras – definem as posições que os pilotos vão ocupar na corrida final.

Elas geralmente são marcadas por pouca disputa, mas acabam por interferir drasticamente na qualificação, uma vez que acontecem muitos toques na parte final do grid e algumas quebras inesperadas, inclusive entre os líderes, como foi o caso de Tobias Martinéz, que brigava pela primeira posição na segunda corrida classificatória e quebrou o motor, obrigando a equipe a trabalhar vertiginosamente para trocá-lo a tempo da corrida principal.

Uma vez definidos os vencedores das duas corridas preliminares, os tempos são ordenados em ordem cronológica e definem a ordem de largada da corrida principal. Tudo feito de forma eficiente, não deixando grandes intervalos entre os eventos. Nesta etapa aconteceram também duas corridas de categorias suporte do Turismo Carretera, Turismo 4000 Argentina e Copa Bora 1.8 T.

TURISMO 4000 ARGENTINA

Emmanuel Pérez Bravo vence com carro em homenagem a Maradona.  (site oficial Turismo 4000 Argentina)

Com 14 no grid em La Plata coube a Turismo 4000 o papel de abrir os trabalhos para as corridas finais. Após a largada, o pole Emmanuel Pérez Bravo que corria com um Chevrolet com esquema de pintura em homenagem a Maradona, manteve a primeira posição após breve disputa com Juan Bava do Ford nº 3.

Com uma condução precisa Bravo foi se consolidando na liderança e manteve a posição durante as 12 voltas da corrida, vencendo de ponta a ponta com certa tranquilidade, tranquilidade essa que só foi brevemente ameaçada por Nereo Queijeiro que largando da última posição, escalou todo o pelotão e chegou a exercer certa pressão sobre o líder, mas não obteve êxito em razão do desgaste de seu equipamento. Para piorar a situação de Queijeiro ele foi desclassificado por infração técnica, cedendo o segundo lugar para Bava.

COPA BORA 1.8 T

Com um grid de 21 carros, a 5ª etapa da Copa Bora foi marcada pelo equilíbrio já que em razão dos carros serem iguais, nenhum piloto conseguiu se distanciar dos demais e os pegas eram intensos em todas as posições.  

Juan Colabello leva seu Bora a vitória após largar da 3ª posição
(YouTube)

Já na largada  Jorge Purita, Carlos Raffo, Juan Colabello e Roberto Corvalán, os quatro primeiros colocados do grid, começaram a travar uma árdua batalha pela primeira posição com Raffo assumindo a liderança ao final da reta.

Na 2ª volta Purita errou a freada na curva 1 do circuito e abandonou a disputa pela vitória. Na 3ª volta Corvalán assume a ponta com bela ultrapassagem por fora sobre Raffo que é ultrapassado também por Colabello. Na 5ª volta Colabello passa Corvalán ao final da reta principal, assume a ponta e surpreendentemente começa a abrir bastante do pelotão que brigava pela vitória.

Na 9ª volta Raffo e Del Río que disputavam o terceiro lugar se tocaram, o que garantiu o segundo posto para Corvalán. Na sequência Raffo que havia se recuperado mais rapidamente do toque acabou deixando Del Río ultrapassá-lo como forma de compensar a sua responsabilidade pela colisão entre ambos.

E a acirrada disputa da 5ª etapa da Copa Bora em La Plata coroou Juan Colabello como o grande vencedor com Corvalán e Del Río completando o pódio.

TC PISTA MOURAS (TCPM)

Uma das categorias de acesso ao Turismo Carretera se caracteriza por quatro montadoras no grid (Chevrolet, Dodge, Ford e Torino), carros despojados tanto em termos de chassis quanto de tecnologia embarcada. Ainda assim, o grid da etapa de La Plata contou com 23 carros alinhados.  

Chansard vence a corrida final após trapalhada do líder Pancho Bracco
(ACTC)

Após uma largada disputada, Pancho Bracco assumiu a liderança após a 2ª curva, ultrapassando o pole Ramiro De Bonis. Ainda nas primeiras voltas Pancho foi se defender de uma investida de De Bonis que procurava retomar a primeira posição e rodou na frente do segundo colocado, deixando o caminho livre para Gaspar Chansard que vinha em terceiro e passou por ambos para assumir a liderança.

Após alguns carros saírem da pista e deixar detritos no circuito o safety car é acionado na 6ª volta, quando Chansard já havia aberto certa distância do segundo colocado Alberto Daniel Jaime. Com a relargada a situação anterior à neutralização voltou a se repetir e Chansard abriu ainda mais de Jaime.

Apesar de algumas boas disputas no pelotão intermediária, na ponta a situação estabilizou-se desde o início da corrida e os três primeiros colocados praticamente não se atacaram, melhor para Chansard que venceu com mais de sete segundos de diferença para Alberto Jaime que cruzou em segundo, seguindo muito de perto por Nicolás Morán que completou o pódio.

TC MOURAS (TCM)

A última corrida do dia foi pela categoria Turismo Carretera Mouras, com 16 voltas e incríveis 32 carros alinhados no grid. Na largada, o pole Olmedo se manteve à frente do segundo colocado Azar apesar da grande pressão exercida até a primeira curva.

Já na terceira volta os dois primeiros abriram cerca distância dos demais, monopolizando a disputa pela liderança. Quatro voltas depois, entretanto, a diferença entre primeiro e segundo lugares já beirava a casa dos dois segundos.

Jeremías Olmedo garante bela vitória após superaquecimento no carro de Diego Azar
(ACTC)

Na 8ª volta o Chevrolet de Azar começou a apresentar problemas de temperatura, o que exigiu do piloto uma condução mais conservadora, até que na volta seguinte o Safety Car é acionado em razão de detritos na pista. A corrida recomeçou na 11ª volta e antes da volta seguinte é novamente neutralizada em razão de um forte acidente entre os pilotos López e Esquivel que ocupavam posições intermediárias no grid. Relargada na 13ª volta quando Quijada aproveita os problemas de Azar e o ultrapassa na reta principal.

E nessa ordem os pilotos cruzaram a linha de chegada com Jeremías Olmedo vencendo, Marcos Quijada chegando em segundo e Diego Azar, mesmo com muita fumaça no cockpit, conduzindo bravamente seu Chevrolet até a 3ª posição.

E após cinco horas de corridas, praticamente sem interrupção entre elas, termina a segunda etapa de 2021 do Turismo Carretera Mouras. E semana que vem correm todas as categorias neste mesmo circuito. E o Planeta Velocidade vai trazer todos os detalhes para vocês.

Foto destaque Divulgação

Daniel Mendes

Daniel Mendes

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais