Escute a rádio Planeta Velocidade!

CORVETTE C8.R: VITÓRIA NAS 24 HORAS DE DAYTONA PARA SELAR O SUCESSO

6 de fevereiro de 2021

j

Marcio de Luca

Nesta época do ano em 2020 o mundo aguardava com muita ansiedade o lançamento da nova versão do Corvette, a C8, que trazia de verdade um novo Corvette para as ruas, porém, vinha junto ao novo lançamento a revolta daqueles fiéis compradores do puro sangue americano, que a partir desta geração, abandonava de vez a tradição ao jogar seu motor para a traseira. E mais: na forma central.

Para alguns puristas foi um verdadeiro golpe baixo nos amantes do modelo, que versão após versão carregava o grande sucesso do longo motor dianteiro, mas que verdade seja dita, precisava de uma atualização para se manter em alta.

Passado um ano, o modelo ganhou as ruas, caiu nas graças do mercado e até mesmo os mais ferrenhos defensores da arquitetura anterior, se renderam ao modelo e isto vale também para as pistas, onde nas 24 Horas de Daytona deste ano, o modelo jogou efetivamente um pá de cal nas dúvidas de quem ainda achava que o Corvette não era mais o mesmo, vencendo no melhor estilo 1-2.

O carro #3 da Corvette Racing fechou a prova na primeira posição da classe GTLM, seguido pelo #4 e enfim, mesmo o modelo já tendo mostrado que era bom, nada melhor do que vencer uma prova destas para afirmar com letras maiúsculas que o mito ainda está vivo.

Há quem diga que o novo C8 é uma versão americana da Ferrari, Lotus ou Lamborghini, mas independente que seja (este que vos escreve não acha), a verdade é que todos os seus concorrentes diretos já utilizavam esta configuração de motor e não há mal nenhum em se “igualar” aos concorrentes – tudo o que vem para somar é sempre bem vindo e a nova versão deste clássico é um sucesso como todas as demais, afinal, mudou-se a arquitetura, mas o Corvette sempre será Corvette.

BMW M8 GTE

Na contramão dos tradicionalistas, que mesmo com a quantidade incontável de puristas e amantes do esportivo americano contra, esta nova série causou um verdadeiro frisson nos EUA, com uma enorme fila de espera para os compradores, que além do sucesso do lançamento ocorrido em março do ano passado, tiveram que contar com a pandemia do coronavírus, que causou também atrasos na produção e com isso, uma fila ainda maior de espera.

Voltando agora ao modelo das pistas, vale lembrar que salvo o BMW M8 GTE que competiu com ele em Daytona, todos os demais concorrentes em pista utilizam a configuração de motor central traseiro, como a Ferrari 488 GTE e o Porsche 911 RSR – o M8 ainda permanece com seu motor na dianteira, algo comum a todos os demais modelos fabricado pela marca bávara.

Em suma, independente de onde esteja ou onde estará posicionado o motor no Corvette, a versão C8 selou de vez todas as dúvidas que ainda pairavam sobre o modelo, pois afinal, vencer 24 horas de prova tão intensa como esta, numa abertura de temporada, não é para muitos.

De verdade, é para muito poucos!

Fotos IMSA

Marcio de Luca

Marcio de Luca

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais