NASCAR Xfinity Series – Austin Cindric supera o clima e os adversários para vencer na estréia do Roval de Daytona.

16 de agosto de 2020

j

Alex Leonello Teixeira

Com o calendário modificado, por conta da pandemia provocada pela Covid-19, a NASCAR buscou ajustar ia temporada e, dentre outros, inseriu a novidade de uma prova no traçado misto do tradicional circuito de Daytona (Roval de Daytona), no estado da Flórida, com 3,61 milhas de extensão.

Revisão Francisco Brasil
Foto Twitter/NASCAR

A prova foi realizada no dia 15/08 e contou com 52 voltas, divididas em três segmentos de 15, 15 e 22 giros.

Com o grid de largada definido de acordo com as posições de chegadas da corrida anterior, realizada no oval de Michigan, Austin Cindric foi o pole position, dividindo a primeira fila com Chase Briscoe.

Estágio 1 – 15 voltas

No instante da largada a chuva ameaçava novamente a cair, mas em que pese o fato da possibilidade da prova acontecer sob tal condição, raios que caíam nas proximidades do circuito fizeram com que a direção de prova atrasasse o início da mesma em quase duas horas.

O pano verde é finalmente agitado com a pista ainda molhada. Cindric manteve a ponta e o que se viu foi uma série de rodadas e escapadas de pista por parte de diversos pilotos, principalmente nos trechos de chicanes existentes na parte do círculo que se utiliza do traçado do oval.

Uma das vítimas destas escapadas de pista foi Noah Gragson, levando-o a perda de várias posições.

Contudo, dominante e liderando todas as voltas, Cindric consegue se manter na ponta até receber a bandeirada verde e branca que lhe dava a vitória no primeiro estágio da competição, na volta 15.

Estágio 2 – 15 voltas

As rodadas e escapadas se intensificaram ainda mais no segundo trecho de prova, onde a liderança da prova estava nas mãos de Chase Briscoe.

Cindric volta a conquistar posições até colar de vez em Briscoe. Ambos iniciam uma dura batalha pelo primeiro posto que, já na volta 30 resulta em toques, inversão de posições e troco de ultrapassagens.

Ao fim, depois de ter na bela e intensa disputa, com direito a descontentamento por parte de Cindric, que jogou uma garrafa de água no carro de seu rival, Chase Briscoe consegue cruzar na frente a linha de chegada para vencer o segundo segmento da prova.

Estágio Final – 22 voltas

Já no último trecho de prova as escapadas de pista culminaram em um forte acidente sofrido por Earl Bamber na volta 43, que provocou a neutralização da prova.

Outras 2 bandeiras amarelas ocorreram nas últimas 6 voltas da competição, contando com o então líder Chase Briscoe como protagonista de uma delas. E mesmo sem relargar na ponta, Cindric exerceu mais uma vez a superioridade de seu equipamento pa reassumir a liderança e obter vantagem de tempo sobre os demais.

Um erro de A.J. Allmendinger provocou um toque em Justin Allgaier arruinando as chances de vitória do piloto do Chevy Camaro número 7 da equipe JR Motorsports.

Abrindo uma diferença de mais de 7s para o segundo colocado, o que não refletia a competitividade da prova, Cindric não encontra dificuldade para cruzar na frente a linha de meta e vencer a etapa do Roval de Daytona e triunfar pela quinta vez na temporada

Na segunda colocação recebeu a bandeira quadriculada Brandon Jones e, em terceiro, fechando o top 3 e depois de uma recuperação fantástica, concluiu a prova Noah Gragson.

Em entrevista dada após o final da prova, Cindric declarou que:

“Não tenho certeza se alguém estava realmente feliz com seus carros, você sabe, infelizmente tenho a perspectiva de pilotae carros realmente rápidos nesta pista”, referindo-se as três 24 horas de Daytona em que competiu pela IMSA WeatherTech Sportscar Championships.

“É um grande crédito para minha equipe, e os caras… São cinco vitórias no ano, obviamente consecutivas agora. Não achei que tivesse dado o meu melhor hoje, mas executamos lá no final, quando é importante, e é isso que torna essas corridas tão difíceis de vencer. ”

O fim de prova ainda foi marcado pelo desentendimento entre Allmendinger e Allgaier, em função do toque ocorrido durante a prova, onde o piloto do carro 10 reconheceu seu equívoco e pediu desculpas a Allgaier.

Opinião Alex Leonello

A chuva que sempre trouxe o desespero para os amantes da NASCAR parecia, desta vez, que trazia um tempero a mais para esta etapa.

Limpadores instalados, luzes intermitentes instaladas no vigia traseiro dos carros e pneus de chuva foram realidades vividas nesta prova.

Mas o triste é que estas precipitações vieram acompanhadas de raios que provocaram grande atraso na corrida e a pista molhada com a qual os pilotos tiveram que lidar logo após a largada causou várias escapadas e rodadas.

Destaque para as atuações de Austin Cindric e Chase Briscoe, ambos com carros da Ford, que claramente dominaram a prova e duelaram exaustivamente entre si, principalmente na parte final do segundo segmento.

Foi com revolta que Cindric lançou sua garrafa de água sobre o carro de Briscoe após o encerramento do segundo estágio, uma vez que o mesmo enfrentou seu adversário volta a volta e sem toques até conseguir a ultrapassagem.

Contudo, tão logo a concluiu, já na reentrada para parte oval do circuito, foi surpreendido com um “bump and go” que o desestabilizou e retirou suas chances de conquista daquele estágio.

Outra situação que também chamou bastante atenção, mas desta vez de forma negativa, foi o forte acidente sofrido por Earl Bamber (21), na volta 43 e em uma das chicanes, trazendo a paralisação da etapa e a preocupação com as condições de segurança daquele local.

No mais e em resumo, a prova teve uma estreia bastante honesta e emocionante, mostrando-se como uma boa alternativa para este calendário que teve que ser adaptado por completo, em decorrência da situação de pandemia que estamos enfrentando.

Agora é focar na milha monstro!

Opinião Francisco Brasil

A NASCAR deve ter lido meus pensamentos, pois antes do anúncio da prova eu já imaginava como seria uma prova da categoria no traçado do Roval de Daytona. Pois bem, serão 3 provas e a Xfinity mostrou que foi bem acertado.

Mais uma vez Cindric venceu, mostrando que a fase atual do piloto finalmente se alinhou com a capacidade do seu carro, que é um dos melhores da categoria como seus títulos de proprietários atesta. Briscoe que se cuide, pois sendo o único concorrente interno de Cindric na Ford, precisa voltar a forma que lhe deu também 5 vitórias no campeonato.

Por outro lado a equipe Kauling teve um sábado para esquecer. Primeiro Justin Haley destrói o carro na Bus Stop, na sequência Ross Chastain tem o câmbio quebrado e, por fim, o entrevero de Allmendinger com Allgaier. São problemas sérios para uma equipe em franco crescimento e podem acabar com seus planos.

Opinião Lorenzo Francez

A corrida do Roval de Daytona, foi emocionante, por vários motivos. Primeiro, uma pista que os pilotos não conheciam muito bem, e isso nos leva ao segundo motivo, que são os inúmeros acidentes na corrida, principalmente na Bus Stop. E com os acidentes, temos a querida bandeira amarela, que também foi um fator de emoção. Ao meio disso tudo, Austin Cindric, com o melhor carro e sendo o rei dos mistos nesta temporada, fez bonito e venceu mais uma corrida. Os meus destaques vão para o Brandon Jones que se aproveitou dos acidentes e terminou em segundo e de Andy Lally que sempre esteve entre os 10 primeiros na corrida e acabou na 5ª posição.No fim foi uma corrida ótima para assistir e muito emocionante para os pilotos, no Roval de Daytona

A próxima etapa da Xfinity Series ocorrerá no dia 22/08, no circuito oval de 1 milha de Dover, também conhecida como a milha monstro, que se situa no estado norte americano do Delaware.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira

Alex Leonello Teixeira

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais