Fórmula 1: Lewis Hamilton conquista sua 97ª pole em uma volta perfeita em Portimão

24 de outubro de 2020

j

Editores Planeta Velocidade

Foto twitter/MercedesAMGF1

Lewis Hamilton fez uma volta voadora, com pneus médios, e bateu seu companheiro de equipe Valtteri Bottas para conquistar a pole do GP de Portugal

Revisão Francisco Brasil
Foto destaque twitter/MercedesAMGF1

Valtteri Bottas, que em todas as três sessões de treinos e nos dois primeiros segmentos da qualificação, foi mais rápido. Tudo indicava que seria mais uma pole para o Finlandês, mas deu plano foi frustrado pela volta sensacional de seu companheiro nos instantes finais do Q3.

A Mercedes fez uma estratégia diferente para a última parte do treino, trocando para os pneus médios em ambos os carros. No entanto, Hamilton optou por sair cedo para fazer duas voltas voadoras com aquele composto, enquanto Bottas tentou uma. 

O britânico conquistou sua 97ª pole position na carreira, Bottas ficou com o segundo lugar, deixando a primeira fila do grid totalmente da Mercedes, como de costume.

Como foi a qualificação 

Q1

Foto twitter/F1

A qualificação foi atrasada em 30 minutos para reparos em alguns drenos ao redor da pista, já que um deles foi “arrancado” por Vettel durante o TL3 na manhã de sábado.

Tudo certo, foi dado o início dos treinos e, sem perder tempo, a maioria foi para a pista. A dupla de Mercedes esperou mais alguns minutos antes de deixar o pit.

Bottas fez uma boa volta e ficou com a pole provisória em sua primeira tentativa. Hamilton em sua primeira tentativa acabou pegando tráfego, um problema real, e acabou ficando com a  segunda posição em sua primeira saída para a pista.

George Russell
Foto twitter/WilliamsRacing

Hamilton e Verstappen optaram por fazer voltas para esfriar os pneus antes de ir novamente para outra tentativa, com Hamilton melhorando para ser o mais rápido, apenas 0,050s à frente de Verstappen, tendo ambos feito seis voltas com pneus macios.

Vettel teve muito trabalho, depois de ter um tempo excluído por ultrapassar os limites da pista, mas fez o que era necessário em sua última volta, saltando para o oitavo lugar. 

Russell também impressionou com sua volta final, saltando da zona de rebaixamento para passar em P15, 0,8s mais rápido que o companheiro de equipe da Williams, Nicholas Latifi.

Kimi Raikkonen, Antonio Giovinazzi, Romain Grosjean, Kevin Magnussen e Nicholas Latifi Foram os eliminados.

Q2

Foto twitter/MercedesAMGF1

Bottas manteve seu controle no primeiro lugar mais uma vez, enquanto Hamilton parecia ser impedido por Vettel, forçando-o a recuar e tentar mais uma vez. A próxima volta foi boa o suficiente para o segundo lugar, embora estivesse a três décimos de segundo de seu companheiro de equipe.

Sebatian Vettel
Foto Twitter/ScuderiaFerrari

Impressionante como os pneus médios foram mais rápidos que os macios, com apenas a Ferrari seguindo essa estratégia de pneus vermelhos. Leclerc fez um trabalho incrível, para passar com aquele pneu, o que lhe dá uma ótima opção estratégica para a corrida de domingo. Seu companheiro de equipe, Sebastian Vettel, não teve o mesmo desempenho, terminando em 15º, uma posição atrás da Williams de George Russell.

Esteban Ocon desistiu da última volta para ser eliminado em 11º, uma posição atrás do companheiro de equipa da Renault, Daniel Ricciardo, que conseguiu passar, apesar de rodar nos momentos finais da sessão.

Lance Stroll da Racing Point, voltando depois de perder o GP de Eifel por contrair COVID-19, Daniil Kvyat, Esteban Ocon, George Russell e Sebastian Vettel, foram os eliminados.

Q3

Foto twitter/MercedesAMGF1

Início do Q3, com Bottas sendo o mais rápido por apenas meio décimo de segundo a frente de Hamilton, com Verstappen apenas um décimo mais lento em terceiro, criando uma batalha tentadora pela pole position.

Foto twitter/MercedesAMGF1

A Mercedes então surpreendeu ao sair com os médios, ao invés dos macios, para suas voltas finais, sentindo que o composto é mais rápido nas condições atuais. Albon também saiu com os pneus médios.

Hamilton colocou um novo jogo para ir mais rápido, por meio décimo de segundo, mas Bottas manteve a ponta, estabelecendo tempos roxos nos dois primeiros setores e finalizando com um recorde pessoal para ser mais rápido de todos.

Mas Hamilton deixou o pit mais cedo, o que lhe permitiu fazer duas voltas com os pneus médios, e isso fez a diferença, já que o seis vezes campeão mundial foi capaz de melhorar novamente, fazendo o suficiente para conquistar a pole – sua nona em 2020.

Só temos que falar uma coisa sobre o inglês: “Simplesmente perfeito!”

Foto twitter/MercedesAMGF1

Nos vemos amanhã!

Foto twitter/F1
Editores Planeta Velocidade

Editores Planeta Velocidade

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais