NASCAR TRUCK SERIES – Zane Smith aparece “do nada” para vencer em Michigan

8 de agosto de 2020

j

Francisco Brasil

Em final de semana cheio, a Truck Series abriu a programação da NASCAR no oval de Michigan, que já começou complicado para Jhonny Sauter por conta de uma punição na inspeção que tirou 10 pontos do piloto e ejetou seu mecânico chefe.

 A pole por sorteio ficou com a Toyota Tundra #51, que dessa vez era pilotada por Chandler Smith que corre na ARCA. A novidade foi a implementação da “regra do cone”, onde cada piloto escolhe sua linha de relargada.

 Estágio 1 – 20 voltas

 Bandeira verde agitada e logo Brett Moffitt pula na ponta, enquanto o pole Smith cai para décimo. Só que logo na quarta volta Trey Hutchens III roda com a Truck #14 após toque com Josh Reaume.

 Na relargada, os três primeiros escolhem a fila externa, deixando para o quarto colocado na segunda posição no reinício. Mas logo após, na volta 12, foi a vez de Christian Eckes rodar sozinho e chamar nova intervenção.

 Moffitt mantém a ponta e, após nova amarela causada por Brennan Poole no fim do segmento, vence o estágio 1.

 Estágio 2 – 20 voltas

Após paradas nos boxes, a corrida retorna na volta 25. E os personagens da vez são Moffitt e Jhonny Sauter.

O segmento segue tranquilo, mas Raphael Lessard tem um pneu furado, conseguindo segurar o carro sem gerar amarela. Na frente, Sauter supera Moffitt para vencer o segundo estágio.

Estágio Final – 60 voltas

 Na relargada aparecem Todd Gilliland e Austin Hill para brigar pela vitória. Sauter teve um péssimo trabalho na parada e perdeu seis posições.

Enquanto Hill segue na frente, Friesen se envolve numa bela encrenca com Eckes e acaba no muro. Quem pegou as sobras foi Matt Crafton, que estava bem no primeiro estágio mas perdeu rendimento.

Nova relargada e Sheldon Creed aparece para tirar a ponta de Hill, porém na volta 59 um bloqueio de Chandler Smith sobre Ben Rhodes acaba mal, com Rhodes tirando Smith da frente que roda, trazendo nova amarela.

https://twitter.com/NASCAR_Trucks/status/1291879153784954880?s=20

Os pilotos buscam o Pit, com Sauter retomando o pelotão da frente. Na relargada, surge a ameaça de John Hunter Nemecheck e Grant Enfinger.

Enfinger assume a ponta na volta 67, mas Sauter precisa dessa vitória. Até que no giro 72, quando a briga estava boa, Austin Wayne Self bate no muro a causando nova intervenção.

Nova relargada e Enfinger mantém a ponta, apesar dos ataques de Sauter, Nemecheck e Hill. Faltando 17 voltas para o fim, Sauter mergulha na tentativa de ultrapassar e acaba rodando sozinho. Apesar do erro ser seu, o piloto “jura” seu companheiro de equipe pelo rádio em conversa com seu spotter.

Outra relargada liderada por Enfinger, mas Ray Cicarelli estava na pista e trouxe outra amarela. A verde retorna e Enfinger continua pressionado por Nemecheck.

Tudo encaminhado até que, restando 5 pro fim, Tyler Hill roda e causa nova amarela e Overtime

Overtime

Na bandeira verde Enfinger tenta bloquear Hill e Nemecheck, mas acaba rodando e deixa a liderança para Eckes. De forma impressionante não houve amarela por esse choque, tampouco por outra rodada de Hutchens.

Mas numa manobra fantástica na última volta, Zane Smith – que esteve apagado a prova inteira – passa Eckes para garantir sua primeira vitória na categoria e a vaga para os playoffs. Eckes, Tanner Gray, Tyler Ankrum e Todd Gilliland fecham o top 5 mais diferenciado do ano.

Opinião Alex Leonello

Não há como não gostar da Truck Series e ver o quão bons estes jovens talentos podem ser na busca por seus lugares ao sol junto a NASCAR.

Pilotos que se destacaram nas categorias de base e que chegaram a categoria das picapes para ganhar milhagem e experiência a fim de, quem sabe um dia, terem uma vaga na principal categoria do automobilismo norte americano, a Cup Series.

É aí que vemos as disputas juvenis de raiz, os erros que a experiência vai suprimir e, o que é ainda melhor, o primeiro grande triunfo de um piloto em ascenção.

Zane Smith já vinha mostrando bons resultados na pista e andando entre os primeiros colocados nas provas anteriores, mas desta vez finalmente faturou uma etapa, colocou seu nome entre os grandes da NASCAR e, de quebra, carimbou seu passaporte para os playoffs.

Em uma etapa até certo ponto comportada e que teve seu brilho mais intenso nas voltas finais, Michigan pode ser considerada como uma boa corrida.

Isso, por sua vez, nos coloca ainda mais anciosos pela estreia do Roval de Daytona na categoria que, por conta da Pandemia provocada pela Covid-19, acabou entrando de surpresa no calendário deste ano.

Vai ser de esfregar as mãos!

Opinião Francisco Brasil

A NASCAR prova mais uma vez que nada está perdido na primeira volta. Eckes que rodou ainda no primeiro estágio, perdeu volta conseguiu uma bela segunda posição.

Zane Smith, que não apareceu na prova, liderou apenas uma volta, justamente a que vale. Essa é a essência da NASCAR: nunca jogar a toalha.

Do outro lado temos Johnny Sauter e Stwart Friesen, dois pilotos vencedores, mas que estão num péssimo momento e fora do playoff. Friesen ainda está numa fase boa fora Truck, onde numa prova em oval de terra venceu em dobradinha com sua esposa.

Agora, Sauter só está acumulando problemas e mirou em seu companheiro de equipe Enfinger dessa vez. Ele deve buscar melhorar sua performance ao invés de colocar a culpa nos outros.

E já na próxima semana temos a estreia do misto de Daytona. Um novo desafio para as feras da NASCAR.

Foto destaque twitter.com/NASCAR_Trucks

Francisco Brasil

Francisco Brasil

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais