NASCAR Xfinity Series –Brandon Jones se aproveita de duelo entre os líderes para vencer em Darlington.

7 de setembro de 2020

j

Alex Leonello Teixeira

Abrindo um final de semana mais do que festivo nas terras do tio Sam, por conta do feriado do dia do trabalho (labor day), que acontece no dia 07/09, em coincidência com o nosso feriado de independência aqui no Brasil, a Xfinity Series, segunda principal categoria da NASCAR, chega no amado e tradicional circuito de Darlington, na Carolina do Sul.

Revisão Francisco Brasil
Foto destaque Jared C. Tilton | Getty Images

Denny Hamlin Toyota Camry n° 54
Photo by Jared C. Tilton | Getty Images

Também conhecido como a dama de preto e possuindo 1,366 milhas de extensão, este circuito agrega as comemorações nacionais com a utilização das pinturas retrô por parte dos competidores, relembrando esquemas do passado e nacionalistas, que dão ao evento um tom nostálgico que encanta e nos atrai ainda mais.

Sendo esta etapa a de número 23 da fase regular do campeonato, é fato que a busca para um lugar nos playoffs ainda está na cabeça de muitos pilotos e a hora da verdade se aproxima cada vez mais.

Denny Hamlin, piloto da Cup Series, vem para participar desta etapa especial a bordo do Toyota Camry n° 54 da equipe de Joe Gibbs, partindo do final do pelotão.

Pelos novos regramentos de definição do grid de largada, ainda diante da ausência de treinos, a pole position ficou por conta de Justin Halley, vencedor da etapa anterior em Daytona.

Concluídas as cerimônias tradicionais, a bandeira verde foi finalmente agitada.

Estágio 1 – 45 voltas

Largada em Darlington.
Photo by Chris Keane | Getty Images

Logo na primeira volta a bandeira amarela teve que ser acionada depois de Daniel Hemric ir para o muro e provocar um acidente que envolveu os pilotos Ryan Sieg, Anthony Alfredo e Brandon Brown.

A prova foi retomada na volta 9 e, depois de um toque de Austin Cindric em Haley, Chase Briscoe assume a ponta, mas dura pouco pois na volta 13, Ross Chastain ultrapassa Briscoe e se torna o novo líder.

Hamlin já vinha pela nona posição na volta 19 e, na de número 21, ocorreu a bandeira amarela de competição. A ação é retomada na volta 26 e Chastain continua líder, com Chase Briscoe no segundo posto e Hamlin escalando o pelotão.

Na volta 34 Denny Hamlin passa Chastain e se torna o novo líder da prova. Enquanto isso, Haley acerta o muro e perde várias posições na volta 43, mas não provoca amarela.

Sem ser superado, Hamlin recebe na frente a bandeira quadriculada verde e branca que lhe dava a vitória do primeiro segmento da prova, na volta 45.

Estágio 2 – 45 voltas

Denny Hamlin
Photo by Jared C. Tilton | Getty Images

Hamlin tem problemas nos pits e Chase Briscoe assume a ponta para relargar na frente no giro 52 ao passo que o veterano Justin Allgaier, com problemas em seu carro, deixa a pista para reparos, perdendo inúmeras posições.

Enquanto isso, a disputa pela liderança se intensifica e, na volta 86, Hamlin supera Briscoe para se tornar o ponteiro. Porém, na volta 89, Noah Gragson e Dexter Bean rodam na pista e provocam mais uma bandeira amarela.

Sob tal condição, Hamlin cruza na frente a linha de meta que lhe dava a vitória do segundo estágio da competição, na volta 90.

Estágio Final – 57 voltas

Após a rodada de pit stops, Briscoe retorna a pista novamente na frente, para relargar em primeiro na volta 96.

Ross Chastain e Denny Hamlin
Photo by Chris Keane | Getty Images

A prova segue seu ritmo até que Jeremy Clements fica lento e para na pista na volta 102, trazendo consigo a necessidade de nova intervenção.

Vários pilotos retornam aos boxes, inclusive Briscoe, iniciando uma estratégia diferente de corrida.

A ação é retomada no giro 107, com Denny Hamlin na ponta, mas a intervenção é deflagrada novamente na volta 110, depois de David Starr ter ido para o muro.

Hamlin busca os Boxes e deixa a liderança para Ryan Sieg, que relarga na frente na volta 116, mas logo é superado por Briscoe. Na volta seguinte acontece um festival de rodadas independentes, depois que Brett Moffitt deixa óleo na pista, vitimando Chase Briscoe e Anthony Alfredo, provocando uma bandeira vermelha para limpeza da pista.

A bandeira verde é acionada novamente na volta 127, com Sieg na frente, que logo é superado por Chastain. Mas Hamlin chega e começa a pressionar muito pela liderança, a ponto de ambos os líderes tocarem no muro por várias vezes.

Tal situação se estendeu por diversas voltas, até que Hamlin, a 2 voltas do fim, da um bump em Chastain e assume a ponta.

Brandon Jones, cruza a linha de chegada
Photo by Jared C. Tilton/Getty Images

Com isso, Brandon Jones atinge na frente a linha de meta para vencer a etapa de Darlington.

Mas isso só dura até a curva seguinte, onde Hamlin acerta o muro e provoca um engarrafamento com Chastain.

Brandon Jones, que vinha na terceira posição, ultrapassa ambos para assumir a liderança da prova e abrir a última volta.

Chastain ainda tem tempo de dar um payback em Hamlin, retomando a segunda posição e levando o piloto do carro 54 a perder várias colocações.

No segundo posto completa a prova Ross Chastain e, em terceiro, fechando o top 3, recebe a bandeira quadriculada Ryan Sieg. Hamlin ainda consegue cruzar em quinto.

Brandon Jones
Photo by Chris Keane | Getty Images

Em entrevista dada após o final da prova, Jones afirmou que:

“Este é um lugar difícil de guiar… Eu vi que eles estavam realmente correndo forte e sabia que os estava pegando e sabíamos que ele (Hamlin) iria buscar a ultrapassagem. Isso é o que você precisa fazer às vezes para se colocar em posição”.

Ross Chastain and Justin Haley
Photo by Jared C. Tilton | Getty Images

Ross Chastain, que completou a etapa no segundo posto, afirmou que:

“Denny era mais rápido, eu sabia disso, todo mundo que assistia sabia disso. Eu simplesmente continuei segurando o melhor que pude, provavelmente bati (no muro) 25 vezes”.

“Para poder enfrentar um cara como Denny Hamlin, um futuro campeão da Cup Series e chegar ao fim assim com ele, estou orgulhoso desta equipe, orgulhoso do esforço”.

“É outra dor de cabeça, mas nós, cara, terminamos e ainda terminamos em segundo com um carro de corrida danificado”.

Opinião Alex Leonello

A mesma dama de preto que marcou o retorno das provas da NASCAR após o início da pandemia provocada pela Covid-19, também chega em um momento decisivo para o campeonato da Xfinity Series.

De fato, os esquemas de pintura alusivos ao passado trouxeram uma pitada a mais de nostalgia que, como tradição, definem esta prova tão amada e tradicional.

Cumprindo o que efetivamente prometia, esta etapa que iniciou-se até certo ponto comportada, terminou com disputas empolgantes e de tirar o fôlego de qualquer um.

E a pimenta desta receita infalível foi literalmente a presença de Denny Hamlin na prova que, após vencer ambos os primeiros segmentos, vinha muito forte na busca pela vitória da prova.

Mas no meio do caminho havia uma pedra, ou melhor, uma melancia, já que Ross Chastain vinha na frente e segurou com muita propriedade os ataques sucessivos do piloto da Cup Series.

Contudo, como toda boa dama, está de preto não tolerava o avanço dos limites e, sendo assim, o muro acabou sendo o destino certo de ambos em diversas oportunidades distintas.

Brandon Jones que assistia a tudo de binóculo e camarote, no terceiro posto, aproveitava os duelos para se aproximar dos ponteiros.

Mas essa briga de foice no escuro pela liderança era um verdadeiro script para trajédia.

E assim foi.

O bump de Hamlin sobre Chastain, seguido da ultrapassagem atabalhoada levou ambos para o muro e, como consequência, o expectador do terceiro posto se tornou o herói do primeiro.

Festa na equipe de Joe Gibbs.

Opinião Francisco Brasil

Mais uma prova na trave para Chastain. Porém, ao contrário da anterior em Daytona onde o piloto do #10 foi afoito no ataque, dessa vez foi “vítima” de uma manobra de Denny Hamlin. Vale ressaltar que é uma manobra comum e permitida pela NASCAR, mas foi mal executada.

Melhor para Brandon Jones que cresce no campeonato e conquista sua terceira vitória, o que lhe garante mais pontos nos playoffs, e uma certa segurança para avançar o round of 12.

Para finalizar, uma pena para Chase Briscoe rodar no óleo deixado por Moffitt, já que o maior vencedor da temporada tinha tudo para desafiar Hamlin e, quem sabe, repetir a vitória tão emocionante que o piloto do #98 conseguiu nessa mesma pista, um dia após sua esposa ter um aborto espontâneo. Mesmo assim Briscoe deu a volta por cima e terminou num bom 11° lugar.

A próxima etapa da Xfinity Series ocorrerá no dia 11/09, no circuito oval de 0,75 milha (1.206 metros) de extensão de Richmond, situado no estado norte americano da Virgínia.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira

Alex Leonello Teixeira

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais