Entre Pits #23 – Várias Modalidades, uma paixão e a constante busca por desafios, entrevista com Carlos SG

28 de abril de 2020

j

Keko Gomes

Fotos: Rodrigo Ruiz e Eni Alves

Aos 41 anos, quatro títulos de campeão e um vice conquistados no Kart em 2019, o piloto londrinense Carlos SG abre o jogo sobre a sua vida no automobilismo. Como tudo começou, vitórias, frustrações, saiba tudo nesta entrevista para a jornalista Eni Alves

ENI:  Uma curiosidade, o seu nome é Carlos Eduardo de Souza e o seu codinome é Carlos “SG”, de onde vem o G?

CARLOS SG: O S é de Souza e o G de Gibim, nome da minha empresa Souza & Gibim, SG.

ENI: Quando aconteceu o “start” para o automobilismo?

CSG: Foi em 2011.  Comecei a treinar de kart e na sequência patrocinei um piloto no Troféu Línea. Isso me aproximou dos autódromos e despertou o meu interesse pelo esporte.

RP: Como e onde foi a sua estreia?

CSG: Foi em 2011 mesmo. Em Interlagos no Kart, e em Londrina estreei no volante de um Gol, em uma etapa do Campeonato Paranaense de Marcas.

ENI: Por quais categorias você já passou?

CSG: Fiz algumas provas de Turismo 1600 em Campeonatos de Marcas e Pilotos. Fui campeão Interestadual de Spyder Race em 2012, passei pelo Troféu Línea, Brasileiro de Turismo pela Stock Light, fiz corridas de Endurance com protótipos, participei da Cascavel de Ouro, do Brasileiro de Marcas com carros da Ford, Honda e Chevrolet, fiz etapas da Sprint Race, e no último ano disputei campeonatos de Kart. Conquistei títulos de campeão pela categoria Sênior A no Sul-brasileiro, Paranaense, Paranaense Light A e Master, e sou vice-campeão Catarinense.

ENI: Qual foi o melhor momento na sua carreira até agora?

CSG: Foram muitas. Tive grandes atuações no Brasileiro de Marcas em 2016 e 2017, na Copa Petrobras. Mas a vitória em casa… (emoção). O motor do carro apresentava um barulho estranho, parecia que iria quebrar a qualquer momento. Estávamos no último treino livre e trocá-lo naquele momento, significaria ficar sem  fazer a tomada de tempo. O Juan Carlos Lopes, chefe da Micos Racing, estava no box nos visitando, chegou em mim e disse: – Cara, acelera se quebrar quebrou, vai fazer a pole e ganhar com esse motor, não vamos ficar em último – a pole não veio. Fiz um P2. Larguei e fiz uma das melhores e importante ultrapassagem em cima do P1 da minha vida. O meu pai estava lá, o Sr. Gradin. O líder era o Gabriel Casagrande e eu ganhei a corrida. No podium eu em P1, Casagrande em P2 e Luiz Razia em P3, fraco né? (Risos)

ENI: E o pior?

CSG: Sem dúvidas, o segundo semestre de 2014. O primeiro semestre foi bom, mas alguns problemas na equipe não me permitiram ser competitivo no segundo, isso me decepcionou muito.

ENI: É melhor pilotar carro ou kart?

CSG: Quem é piloto sabe bem. Pra gente tudo no automobilismo é gostoso. Kart é uma paixão, você não para nunca, sempre é bom andar. Já o carro, no meu caso, é um desafio. Tento levar a experiência do dia a dia do kart para ter um bom resultado no carro. Pilotar num Autódromo é sensacional!

ENI: Existe um desejo de participar de alguma categoria ainda?

CSG: Nunca guiei um carro na categoria GT. Quem sabe um dia…

ENI: O que significa “estar no automobilismo” para o Carlos SG?

CSG: Significa estar onde eu gosto, fazendo o que gosto, convivendo com o meu sonho .

ENI: Quem é o seu ídolo no esporte?

CSG: Rubens Barrichello

ENI: Já existe uma meta traçada para a temporada 2020?

CSG: O objetivo é disputar a Copa do Brasil de Kart, Brasileiro de kart, o Mundial de Kart… e me divertir nesses campeonatinhos (risos).

ENI: Como consegue conciliar trabalho e família com o calendário do kart, que é cheio?

CSG: Não é nada fácil. O trabalho ainda levo comigo para onde vou, o whatsap comercial e emails rolam o tempo todo. Com a família… eu abuso um pouco da paciência das minhas duas filhas e da esposa, mas sempre que podem estão me acompanhando.

ENI: Você acompanha o kart também quando não está competindo. Para você, quem é a piloto revelação dos últimos anos?

CSG: Caio Collet e Pietro Fitipaldi. Eles fizeram um bom trabalho no kart, estão representando muito bem o Brasil lá fora e acredito que está chegando a vez deles.

ENI: Que mensagem você gostaria de deixar para estee pilotos?

CSG: Push Push Push ou seja,  ACELERAAAAAA

LINHA DO TEMPO DE CARLOS SG

2011 – Iniciou no kart (Interlagos) e na modalidade Turismo do automobilismo (Londrina)
2012 – Estréia na Spyder Race – Primeira vitória no circuito de Santa Cruz do Sul –RS
Estreia no Troféu Línea
2013 – Estreia no Brasileiro de Marcas Copa Petrobras
Campeão Interestadual Spyder Race
Campeão 100 Milhas de Kart
2014 – Primeiro podium no Brasileiro de Marcas Copa Petrobras, em Brasília-DF
Campeão da preliminar da prova 500 Milhas de Kart
2015 – Campeão das 3 Horas de Endurance, em Santa Curz do Sul-RS (Protótipo MRX)
Campeão Paranaense Light de Kart, Sênior A
2016- Bicampeão 100 Milhas de Kart
2017 – Campeão Open do Brasileiro de Kart
Vitória na Sprint Race, em Londrina
5º colocado na Cascavel de Ouro
2018 – Campeão Paranaense de Kart Sênior A
Tricampeão 100 Milhas de Kart
2019 – Campeão Sul-Brasileiro categoria Sênior A
Bicampeão Paranaense Light A
Campeão Paranaense Light Master
Vice-campeão Catarinense Sênior A

Keko Gomes

Keko Gomes

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais