Escute a rádio Planeta Velocidade!

EQS, o primeiro veículo elétrico da classe de luxo

16 de abril de 2021

j

Editores Planeta Velocidade

O EQS é o primeiro sedã de luxo totalmente elétrico da Mercedes-EQ. Com ele, a Mercedes-EQ está redefinindo esse segmento de veículos.

O EQS é o primeiro modelo baseado na arquitetura modular para veículos elétricos de luxo e executivos. Combinando tecnologia, design, funcionalidade e conectividade, o EQS encanta motoristas e passageiros.

Os primeiros modelos no mercado serão o EQS 450+ com 245 kW (consumo elétrico NEDC combinado: 19,1-16,0 kWh/100 km; emissões de CO2: 0 g/km) e o EQS 580 4MATIC com 385 kW (consumo elétrico NEDC combinado: 20,0-16,9 kWh/100 km; emissões de CO2: 0 g/km).

Como parte da iniciativa Ambition 2039, a Mercedes-Benz está trabalhando para oferecer uma nova frota de carros neutros em carbono dentro de 20 anos. Já em 2030, a empresa quer que mais da metade dos carros que vende apresentem sistemas de propulsão elétrica – isso inclui veículos totalmente elétricos e híbridos plug-in.

Em muitas áreas, a Mercedes já pensa no amanhã, hoje: o novo EQS foi projetado para ser correspondentemente sustentável. Os veículos são produzidos de maneira neutra em carbono e são usados ​​materiais que economizam recursos, como tapetes feitos de fios reciclados. Isso porque a Mercedes-Benz considera toda a cadeia de valor, desde o desenvolvimento e a rede de fornecedores até a própria produção. A Mercedes-Benz AG teve suas metas de proteção climática confirmadas pela Science Based Targets Initiative (SBTI).

Novo EQS – Foto: Mercedes-Benz

Design aerodinâmico

Embora o EQS seja um parente próximo do novo Classe S, ele é construído em uma arquitetura totalmente elétrica. Este conceito completamente novo tornou possível um Design de Propósito rigoroso: com suas linhas e design fastback, o EQS é claramente distinguível de veículos com motores de combustão, mesmo à primeira vista. A filosofia de design de Sensual Purity, combinada com Progressive Luxury, é refletida em superfícies generosamente esculpidas, juntas reduzidas e transições contínuas (design perfeito).

Com base neste design de propósito, os aerodinamicistas, em estreita cooperação com os designers e com um grande e meticuloso trabalho nos detalhes, foram capazes de alcançar um novo coeficiente aerodinâmico com o melhor valor de 0,20. Isso torna o EQS o carro de produção mais aerodinâmico do mundo. A faixa de operação se beneficia particularmente disso. Também está entre os melhores em termos de funcionamento silencioso. O nível de ruído do vento muito baixo contribui significativamente para isso.

O EQS também estabelece atualmente um valor muito bom para a recuperação: Da desaceleração máxima no programa de recuperação DAuto de 5 m/s², até 3 m/s² é alcançado por recuperação (2 m/s² pelos freios de roda). Isso permite desacelerar até a paralisação sem usar o pedal do freio, ao mesmo tempo que o alcance se beneficia dessa estratégia de recuperação e do alto poder de recuperação (até 290 kW). A desaceleração também é aplicada a veículos detectados à frente até que eles parem, por exemplo, em semáforos.

A recuperação inteligente de energia é otimizada de acordo com a situação, com o auxílio do ECO Assist e atua com previsão, levando em consideração as condições de tráfego ou topografia, entre outras coisas. O motorista também pode definir três níveis de recuperação de energia e a função de câmbio por meio de paddle-shifters no volante.

EQS – Eficiência elétrica da próxima geração

Com alcances de até 770 quilômetros e uma potência de até 385 kW, o trem de força do EQS também atende a todas as expectativas de um sedã progressivo no segmento Classe S. Uma versão de desempenho com até 560 kW está sendo planejada. Todos os modelos EQS possuem trem de força elétrico (eATS) no eixo traseiro, enquanto as versões 4MATIC também possuem eATS no eixo dianteiro.

Foto: MercedesBenz

O EQS marca o lançamento de uma nova geração de baterias com densidade de energia significativamente maior. A maior das duas baterias têm um conteúdo de energia utilizável de 107,8 kWh. Isso é cerca de 26 por cento a mais do que o EQC (outro modelo da linha de elétricos da Mercedes). O software de gerenciamento de bateria inovador, desenvolvido internamente, permite atualizações “on Air” (OTA). Desta forma, o sistema de gestão de energia permanece atualizado ao longo do ciclo de vida. Em termos de química celular, o conteúdo de cobalto dos cátodos foi reduzido para dez por cento.

O EQS pode ser carregado com até 200 kW em estações de carregamento rápido com corrente contínua. A energia para mais 300 quilômetros é recarregada em apenas 15 minutos. Em casa ou em estações de carregamento públicas, o EQS pode ser convenientemente carregado com até 22 kW com CA usando o carregador de bordo.

No Japão, o carregamento bidirecional com o EQS também será possível, ou seja, o carregamento em ambas as direções. Além disso, existem vários programas de carregamento inteligente que podem ser ativados automaticamente, dependendo da localização, e funções como, principalmente, o carregamento para economia de bateria.

Interior inteligente

O MBUX Hyperscreen é o destaque absoluto no interior. Esta unidade de tela grande e curva abrange quase de uma coluna A até a outra. Três telas ficam sob uma tampa de vidro e parecem se fundir em uma. O display OLED de 12,3 polegadas para o passageiro da frente oferece a ele seu próprio display e área de controle. As funções de entretenimento estão disponíveis apenas enquanto o carro está sendo conduzido de acordo com os regulamentos legais específicos do país. O Mercedes-EQ conta com uma lógica de travamento inteligente baseada na câmera: se a câmera detectar que o motorista está olhando para o visor do passageiro dianteiro, ela será automaticamente escurecida.

Painel totalmente intuitivo – Foto: Mercedes-Benz

Como um veículo excepcionalmente inteligente, o EQS possui, além disso, até 350 sensores, dependendo dos equipamentos. Eles registram distâncias, velocidades e acelerações, condições de iluminação, precipitação e temperaturas, ocupação dos assentos, bem como o piscar de olhos do motorista ou a fala dos passageiros. Essa riqueza de informações é processada por unidades de controle que, controladas por algoritmos, tomam decisões na velocidade da luz. Então, eles são o cérebro, por assim dizer. O novo EQS pode expandir suas capacidades com base em novas experiências, pois é altamente capaz de aprender graças à inteligência artificial (IA).

A navegação com Electric Intelligence planeja a rota mais rápida e conveniente, incluindo paradas de carregamento, com base em vários fatores, e reage dinamicamente a congestionamentos ou a uma mudança no estilo de direção, por exemplo.

Uma nova característica do EQS é uma visualização no sistema de infoentretenimento (MBUX Mercedes-Benz User Experience) que mostra se a capacidade da bateria disponível é suficiente para retornar ao ponto inicial sem carregar. Estações de carregamento ao longo da rota que foram adicionadas manualmente têm preferência no cálculo da rota. As estações de carregamento propostas podem ser excluídas. Os custos de carregamento estimados por parada de carregamento são calculados.

Pioneira e confiável: os sistemas de assistência do EQS

A última geração de sistemas de assistência ao condutor inclui várias funções de suporte ao motorista. Novo, por exemplo, é o aviso adicional de microssono do ATTENTION ASSIST. Ele analisa os movimentos da pálpebra do motorista por meio de uma câmera no visor do painel (somente em conjunto com MBUX Hyperscreen). O visor de assistência no visor do condutor mostra o funcionamento dos sistemas de assistência à condução numa vista compreensível em tela inteira.

Graças a poderosos sensores que monitoram os arredores do veículo, os sistemas de estacionamento podem ajudar o motorista nas manobras em muitas áreas. O motorista pode estacionar e retirar o carro da vaga via smartphone, usando o Remote Parking Assist.

Com a pré-instalação do INTELLIGENT PARK PILOT, o EQS está preparado para o Valet Parking (AVP, SAE nível 4). Se equipado com o extra opcional necessário e o serviço Connect correspondente (dependendo do país), o veículo tem a tecnologia a bordo para estacionar e sair de forma totalmente automática e sem o motorista em estacionamentos equipados com infraestrutura AVP, desde que as leis nacionais o permitam Operação.

A revolucionária tecnologia de faróis DIGITAL LIGHT (padrão do nível de equipamento Advanced Plus) permite que marcações guia ou símbolos de advertência sejam projetados na estrada. Duas novas funções de assistência foram inseridas, que exibem o início da mudança de faixa dupla e fornecem uma instrução de advertência/direção se a Assistência de manutenção de faixa ou Assistência de ponto cego detectarem um perigo. O DIGITAL LIGHT possui um módulo de luz com três LEDs extremamente potentes em cada farol, cuja luz é refratada e direcionada por 1,3 milhão de micro-espelhos. A resolução é, portanto, mais de 2,6 milhões de pixels por veículo.

Com o DRIVE PILOT opcional, o EQS será capaz de conduzir em modo condicionalmente automatizado a até 60 km/h onde a densidade de tráfego é alta ou em congestionamentos em seções de rodovias adequadas, inicialmente na Alemanha. Ao aliviar a pressão sobre o motorista, o sistema permite que ele realize atividades secundárias, como navegar na Internet ou lidar com e-mails no escritório automotivo, ganhando assim mais tempo.

Conceito de segurança com novas possibilidades de design

Os princípios da Segurança Integral, em particular a segurança contra acidentes, aplicam-se independentemente da plataforma. Como todos os outros Mercedes, o EQS apresenta, portanto, uma célula de passageiros rígida, zonas de deformação especiais e sistemas de retenção de última geração. O PRE-SAFE® é padrão.

O fato de o EQS ser baseado em uma arquitetura totalmente elétrica também abriu novas possibilidades de design para seu conceito de segurança. Significou, por exemplo, que poderia ser escolhido um local favorável para a instalação da bateria, em uma área protegida contra colisões a parte inferior da carroceria. E como não há um grande bloco de motor a bordo, o comportamento em uma colisão frontal poderia ser modelado ainda melhor.

Texto traduzido por Marcos Amaral e Francisco Brasil
Editores Planeta Velocidade

Editores Planeta Velocidade

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais