Escute a rádio Planeta Velocidade!

FÓRMULA 1 SERGIO PEREZ: UMA BOA SOMBRA PARA VERSTAPPEN

24 de março de 2021

j

Marcio de Luca

A temporada 2021 promete ser incrível, e não apenas porque parece que a Red Bull Racing está mais próxima da Mercedes, mas sim porque teremos um grid muito combativo, sobretudo dentro dos próprios times. 

Sergio Perez
Photo by Clive Mason/Getty Images

Neste sentido a equipe dos touros vermelhos demonstra que, pela primeira vez depois da saída de Daniel Ricciardo do time, terá uma dupla de pilotos capaz de trabalhar somando, diferente do que ocorreu nos últimos anos quando Daniil Kvyat, Pierri Gasly e Alex Albon fizeram dupla com Max Verstappen. 

Verstappen é uma máquina de moer companheiros de equipes, não porque deseja o mal deles, mas sim pelo fato de ir incessantemente em busca dos melhores resultados – se não fosse o piloto, o resultado da Red Bull nos últimos anos teria sido muito aquém do obtido, algo que em pouco seus companheiros contribuíram, ainda que o tenham feito. 

Neste ano a equipe contará com Sergio Perez, que depois de sete anos de Force India/Racing Point, alçou voo rumo a Milton Keynes e pode dar o fôlego que a equipe precisa para bater a Mercedes, uma vez que a experiência do mexicano e sua alta capacidade de pontuação, pode possibilitar o ponto de virada que tanto precisa e se busca. 

Sergio Perez

Diferente dos demais pilotos que fizeram par com Verstappen, Perez é alguém acostumado com pressões, algo que na Red Bull há de sobra e já ejetou dois jovens pilotos. Isto, inclusive, coloca pressões sob o holandês, já que terá no boxe ao lado alguém que não deverá cair em meio aos vendavais da temporada. 

Por outro lado, Perez conta com uma larga experiência e isso fará com que Verstappen mude sua abordagem em relação ao trabalho de equipe – até então, Max pouco ligava para o resultado que seus companheiro obtinham, mas agora a coisa muda de figura, pois sabidamente Checo pode render tanto ou mais que o inquilino mais velho de Milton Keynes, e desta forma a dependência da equipe em relação ao piloto holandês cairá pela metade, já que Perez reconhecidamente pode entregar os dados que a equipe necessita. 

Verdade seja dita, Perez não é um piloto diferenciado como Verstappen ou Lewis Hamilton, mas se olharmos para o passado da Fórmula 1, muitos pilotos foram até campeões sem que fossem os protagonistas da época, como ocorreu com Keke Rosberg, Damon Hill, Jacques Villeneuve, entre outros – não quero dizer com isso que Perez também será campeão, seria bom que fosse, mas quero apenas lançar uma luz sobre o protagonismo do piloto dentro da equipe, que neste ano deverá ser dividido entre os dois pilotos. 

Ou seja, se a pré-temporada já mostrou uma Red Bull Racing forte, imagine os dois pilotos juntos na pista sem ter que dividir carros e indo contra todos ao mesmo tempo?

Foto destaque Mark Thompson/Getty Images

Marcio de Luca

Marcio de Luca

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais