Corridas centenárias da fórmula 1 e suas curiosidades. Vamos relembrar?

11 de abril de 2019

j

Colaboradores Planeta Velocidade

Por: Francisco Brasil

No próximo domingo teremos a milésima prova da principal categoria de carros. Você já se perguntou quem venceu e o que aconteceu nas outras provas centenárias? Aqui a gente mostra.

Foto de: LAT Images

Grã-Bretanha, 1950, Prova 1 – O início.

A prova inaugural do campeonato aconteceu em Silverstone (ainda um aeródromo) em 13 de maio de 1950, unificando os grandes prêmios que ocorriam no continente europeu. Foi vencido por Giuseppe Farina num alfa Romeo 158, sendo também o primeiro campeão mundial de F1.

Foto de: LAT Images

Alemanha, 1961, prova 100 – o inferno verde.

A prova 100 do campeonato foi realizada em Nurburgring, no seu traçado original de mais de 22 km. O vencedor dessa etapa foi o britânico Stirling Moss, de Lotus Climax, superando grandes nomes como Bruce McLaren, Jim Clark e Phill Hill que se sagrou campeão ao fim da temporada. Mesmo não tendo conquistado nenhum campeonato, Moss é até hoje reconhecido como um dos maiores nomes do esporte.

Foto de: Raiber W. Schiegekmilch

Mônaco, 1971, prova 200  – o famoso circuito

O palco da corrida 200 foi às ruas do principado, considerada a pista mais glamourosa do certame, que viu a grande apresentação de Jack Stewart, de Tyrrell Ford. Além de vencer a prova, fez a pole e a volta mais rápida, além de ser o campeão daquele ano.

Foto de: LAT Images

África do sul, 1978, prova 300 – a época romântica.

Kyalami recebeu a etapa centenária no ano do título de Mario Andretti, último americano a conseguir o título mundial. A prova foi vencida por Ronnie Peterson de Lotus Ford na última volta, quando ultrapassou Patrick Depailler.

Foto de: XPB Imagens

Áustria, 1984, corrida 400 – transição de gerações.

A prova foi vencida por Nikki Lauda em sua poderosa McLaren Porsche, após largar em quarto. Esse foi o ano de seu último título mundial, bem como a temporada de estreia de Ayrton Senna, marcando o fechamento de um ciclo e abertura de uma época que muitos sentem saudades. A prova também teve Nelson Piquet como segundo colocado.

Foto de: LAT Images

Austrália, 1990, prova 500 – o pós-guerra.

A corrida fechou a temporada daquele ano, acontecendo logo após a contenda entre Alain Prost e Ayrton Senna (campeão de 1990) em Suzuka, onde o brasileiro revidou a batida do ano anterior na pista nipônica na disputa pelo título.
Senna vinha liderando a etapa australiana até ter uma quebra de câmbio em sua McLaren Honda. Mesmo assim, a prova teve um vencedor brasileiro: Nelson Piquet venceu com sua Benetton Ford em seu penúltimo ano de F1.

Foto de: LAT Images

Argentina, 1997, prova 600 – hermanos.

A prova já começou com Schumacher “atropelando” Barrichello já na largada. O alemão ficou por ali mesmo liberando caminho para Jacques Villeneuve, na então poderosa Williams Renault, vencer a prova, e também o campeonato.

Brasil, 2003, prova 700 – o caos.

Uma chuvosa tarde em Interlagos marcou a prova 700. Já começou com safety car, água pra todos os lados, enquanto Rubens Barrichello parecia vir para a tão esperada vitória em casa. Parecia, pois pela nona vez abandonou a prova.

Schumacher rodou e abandonou, como muita gente. Mas o acidente de Mark Webber na entrada da reta dos boxes foi o ápice do caos. Logo em seguida, Fernando Alonso não conseguiu desviar e bateu mais forte ainda, ocasionando a bandeira vermelha e o final antecipado da prova. Aí que surge outra bizarrice: Kimi Raikkonen foi declarado vencedor com a McLaren Mercedes, subiu ao pódio, mas não levou. Um erro de cronometragem fez a confusão e o real vencedor do dilúvio, Ops, corrida foi Giancarlo Fisichella de Jordan.

Foto de: Andrew Ferraro / LAT Images

Singapura, 2008, prova 800 – o “crashgate”.

A prova noturna poderia ser reconhecida só por ser a de número 800, mas é lembrada mais pela falcatrua da equipe Renault, então chefiada por Flávio Briatore. No episódio, revelado quase um ano após por Nelsinho Piquet e seu pai, o brasileiro bateu de propósito na reta dos boxes para privilegiar seu companheiro Alonso, que venceu a prova. A trama rendeu a expulsão de Briatore e Piquet, bem como manchou toda a temporada que teve um final espetacular no Brasil, onde Lewis Hamilton, então na McLaren Mercedes, venceu o campeonato por um mísero ponto Felipe Massa, que acabou sendo o grande prejudicado da corrida 800.

Foto de: Sutton Motorsport Images

Bahrein, 2014, prova 900 –  o vôo de Gutierrez.

A corrida 900 aconteceu na temporada que iniciou a hegemonia da Mercedes na F1 atual. O vencedor da prova foi o campeão do ano, Lewis Hamilton, que superou Nico Rosberg que largou da pole. Mas o momento mais emblemático foi o toque dado por Pastor Maldonado da Lotus em Esteban Gutierrez, então na Sauber. O mexicano foi catapultado na curva um, parando de cabeça pra baixo, marcando mais uma pérola do danado do Maldonado.

Qual será o grande marco da prova 1000? A pista chinesa sempre trás uma surpresa.

E você saberá tudo aqui, no Planeta Velocidade!

Colaboradores Planeta Velocidade

Colaboradores Planeta Velocidade

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais

Notícias Relacionadas

Fórmula 1 – Vettel fora da Ferrari.

Fórmula 1 – Vettel fora da Ferrari.

Como antecipamos, a relação entre a Scuderia Ferrari e o piloto Sebastian Vettel chega ao fim. Revisão Francisco Brasil O contrato que vence ao fim de 2020 não será renovado após 6 anos, por ambos os lados não chegarem a um consenso. Abre-se assim uma vaga no grid que...

Fórmula 1 – Relação entre Ferrari e Vettel chegou ao fim?

Fórmula 1 – Relação entre Ferrari e Vettel chegou ao fim?

Aproveitando a parada por conta da pandemia do Coronavirus, as equipes estão quebrando a cabeça para minimizar o prejuízo e manter a competitividade. Foto Internet/Divulgação Um dos casos mais comentados é sobre a permanência de Sebastian Vettel na Ferrari, sendo que...