INDY – Penske quebra hegemonia da Ganassi ao trazer Pagenaud de último para a vitória na corrida 1 em Iowa

17 de julho de 2020

j

Francisco Brasil

Esse final de semana tem rodada dupla da Indy, dessa vez no curto oval de 0,8 milha de Ioea. Em um formato de classificação diferente, onde cada piloto teria direito a duas voltas rápidas, sendo a primeira válida para o grid da primeira prova e a segunda para a corrida de domingo, a pole ficou com Connor Daly, que correrá essas etapas pela Carlin.

Pole de Conor Daly – Foto Joe Skibinski

Dixon não foi bem e largou em 17°, enquanto Tony Kanaan foi o 19° para as 250 voltas. O brasileiro também teve a prerrogativa de ser o Gran Marshall e, do carro, deu o comando de ligar motores.

Revisão Alex Leonello
Foto destaque Chris Owens

Outra novidade é uma nova entrada de ar no Aeroscreen, para amenizar a falta de ventilação do cockpit.

Largada

Daly mantém a ponta e Newgarden ataca, enquanto no fundo do pelotão Pagenaud vem crescendo. O piloto da Penske teve problemas no sistema de combustível no classificatório e acabou não marcando tempo, mas já figurava em 17°, ao passo que Kanaann era vigésimo.

Largada da corrida 1 em Oiwa. Foto Joe Skibinski

Na volta 14, Newgarden já era líder ao passar Daly por fora e abre 1 segundo. Daly já era ameaçado por Power, que trazia Herta consigo. O ritmo de Newgarden era tão bom que, logo no giro 25 ele encontra o primeiro retardatário, Graham Rahal, além de já colocar uma vantagem de 2 segundos.

Estamos na volta 47 e Takuma Sato vai para sua  parada, acompanhado de Zack Veach, enquanto Power parte para o ataque em Daly, concluindo a ultrapassagem na volta 50.

Kanaan vai para o Pit no 57 e Pagenaud 3 giros após. Marco Andretti tem problemas em sua parada deixando o carro morrer, ao passo que Dixon não rende bem e leva uma volta na pista no giro 68.

Parada no pit de Simon Pagenaud Foto Joe Skibinski

Power e Daly param na volta 70, com Newgarden indo para o Pit na volta seguinte, perdendo um certo tempo na roda traseira direita. Na pista, Rosenqvist é líder, seguido de Alex Palou e Dixon, que faz sua parada na volta 74.

Rosenqvist é o último a parar no giro 84, deixando Sato na liderança, com bons 5 segundos de vantagem para Power. Na dança do Pit, Tony estava se dando bem ao aparecer em 14°, mas um leve toque do brasileiro no muro com a roda traseira direita, procurando os boxes no giro 95.

Mais a frente, Power vai tirando tempo e está a 1.9 de Sato, acompanhado pela dupla da McLaren que figura no top 5. Quem vem mal é a equipe Andretti, que vê Zack Veach procurando os pits com problemas.

Dupla da Arrow McLaren Foto Chris Jone

Estamos na volta 107 e Pagenaud já está na sexta posição, com boa estratégia e um excelente desempenho, enquanto Newgarden ataca Power pelo segundo posto.

Relargada com susto

Pato O’Ward abre as paradas na volta 122, seguido de seu companheiro de equipe Oliver Askew, dois giros após. O líder Sato procura os boxes na volta 127 e perde tempo com o pneu traseiro.

O ciclo de paradas segue intenso, assim como o tráfego na pista, quando Will Power se encaminha para sua parada na volta 137, com Newgarden dois giros após deixando a liderança nas mãos de Pagenaud. Até que na volta 143 temos a amarela trazida por Will Power.

O australiano da Penske encontrou o muro por um motivo inusitado: em sua troca, o mecânico responsável pelo pneu dianteiro esquerdo realizada troca enquanto mexe na asa dianteira, o que resultou na roda se soltando de forma perigosa. Pagenaud aproveita para fazer sua parada, acompanhado de Herta e Dixon.

A bandeira verde que seria agitada no giro 157 foi abortada e gerou uma nova amarela com direito a um acidente espetacular. Pagenaud fica lento na frente de Rinus Veekay e Colton Herta acaba acertando a traseira do #21 e decola, fazendo com que o bico do seu carro atingisse o Aeroscreen de Veekay.

Os Pilotos procuram os pits e a essa altura o líder é O’Ward, com Askew em segundo. Newgarden é décimo e Dixon já no sétimo posto.

Verde agitada na volta 171 e Pato mantém a ponta, com Dixon já subindo para quinto, ao passo que Pagenaud já era terceiro ao ultrapassar Sato e ameaça as McLaren

O francês da Penske assume a liderança no giro 178 e abre vantagem. Quem também melhora é Rossi, que está na quarta posição com ele, Dixon, em quinto.

Alexander Rossi Foto Joe Skibinski

A volta 190 marca a abertura de nova janela de paradas com Pato O’Ward, que perde também perde tempo na troca de pneu, com seu companheiro Askew fazendo o mesmo 3 giros depois.

Após o ciclo, nosso guerreiro Kanaan se segura na pista com 18 voltas a menos, enquanto o top 3 é formado por Pagenaud, Rossi e Dixon, que mudam a estratégia e resolvem focar na economia de combustível.

Combustível é a chave

Faltando 30 voltas para o fim, Rossi leva um susto ao perder a frente do carro e quase bater, perdendo o segundo lugar para Dixon, e ainda recebe um leve toque de Santino Ferrucci, mas sem consequências.

Dixon se aproxima de Pagenaud com 18 voltas para terminar a corrida, enquanto Askew já está em quarto, a 13 segundos do líder faltando 14 voltas. E o jovem piloto da McLaren passa facilmente Rossi pelo terceiro posto.

Mas a estratégia dos pilotos experientes rende dividendos coroando Simon Pagenaud com a primeira vitória da temporada que não é da Ganassi. Dixon termina numa excelente segunda posição, mais líder do que nunca.

Simon Pagenaud Foto Joe Skibinski

Askew chega em terceiro, seguido de Pato O’Ward, numa excepcional aparição da Mclaren. Newgarden fecha o top 5.

E neste sábado tem outra oportunidade, dessa vez com a pole de Joseph Newgarden e Tony Kanaan em oitavo, com o comando de ligar os motores dado por Hélio Castro Neves. Até lá.

Francisco Brasil

Francisco Brasil

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais