Escute a rádio Planeta Velocidade!

HAILE DEEGAN: PRONTA PRA FAZER HISTÓRIA!

6 de fevereiro de 2021

j

Colaboradores Planeta Velocidade

Quem olhar para o grid da Truck Series este ano verá uma bela californiana de apenas 19 anos alinhando sua pick-up junto aos aspirantes à Cup Series. É claro que uma mulher no grid na categoria inicial da Nascar não é novidade, mas uma piloto competir em todas as provas de uma temporada é algo que era esperado pelos fãs desde a aposentadoria de Danica Patrick.

Texto Daniel Mendes Lima
Foto Twitter oficial de Hailie Deegan

Hailie Deegan conquista a vitória em sua primeira corrida pela SXS Stadium Series Foto Brian Deegan

Hailie Rochelle Deegan apesar da pouca idade, já conta com 12 anos de experiência em motorsports. Ela é filha de Brian Deegan, consagrado piloto americano bi campeão dos X-Games no Motocross Freestyle e na LOORR categoria Pro 2. Entre seus feitos está o fato de ter sido o primeiro piloto a conseguir realizar um 360 (giro completo da motocicleta na horizontal), além de ser o maior medalhista dos X-Game em sua categoria, com 2 medalhas de ouro e 7 de bronze.

Inspirada por seu pai, Deegan começou no motocross aos 7 anos de idade mas já no ano seguinte ganhou um Trophy Kart, veículo similar a um UTV, com o qual venceu a primeira corrida que disputou na SXS Stadium Series, derrotando pilotos muito mais experientes do que ela. A notícia foi destaque em vários sites especializados dos Estados Unidos que já vislumbravam seu talento nato.

Deegan comemora o título da LOORR Modified Karts Foto Speed 51

Nos anos seguintes Haile seguiu sua carreira em competições off-road até que em 2013, assim como seu pai, se tornou a campeã da Lucas Oil Off Road Racing Series (LOORR) na categoria Junior 2 Kart com três vitórias e três segundos lugares em 11 provas. Gostou tanto da brincadeira que repetiu a dose em 2016 já na categoria Modified Karts da LOORR, ganhando também sendo o prêmio Lucas Oil Off Road Driver of the Year (Piloto do Ano).  O sucesso na competição lhe valeu o carinhoso apelido de “Dirty Princess” que acabou estampado em seu carro.

Já em 2017 ela migrou para a divisão Pro Lite da LOORR, onde seu pai fez história e já na estreia obteve um 4º lugar na corrida de sábado e um 2º lugar na corrida de domingo, resultados muito mais expressivos que os minguados 16º e 14º obtidos por Brian Deegan em 2008 quando também estreava na categoria. Em 2018, ainda na Pro Lite, Deegan fez sua despedida definitiva das pistas de terra.

Haile Deegan em sua estreia na LORR Pro Lite Foto  Jason Zindroski

O primeiro contato de Hailie Deegan com o asfalto ocorre ainda em 2016 quando aproveitando o fato da piloto ser membro do programa Drive for Diversity da Nascar (que oferece oportunidades para minorias e mulher na categoria) a Rev Racing lhe oferece a chance de correr uma prova na categoria U.S. Legend Car. Em 2017 ela faz duas provas pela CARS Super Late Model Tour, sendo nominada para a classe Nascar Next daquele ano e integrando o programa de desenvolvimento de pilotos da Toyota.

Em 2018 Deegan é anunciada como piloto da equipe Bill McAnally Racing (BMR) para correr a temporada completa da Nascar K&N Pro Series West e meia temporada Nascar K&N Pro Series East. Sua primeira corrida foi pela K&N East e acabou na 19ª volta com um abandono por problemas mecânicos. Entretanto, na estréia da K&N West terminou em 7º lugar, arrancando elogios de ninguém menos do que Kevin Harvick que terminou a prova na 4º colocação.

A temporada ainda foi coroada com a pole position na pista de terra do Las Vegas Motor Speedway, a primeira vitória na categoria obtida no dia 29 de setembro em Idaho, com uma polêmica ultrapassagem sobre seu companheiro de equipe na última volta e o título de estreante do ano. Ressalta-se que a pole e vitória de Deegan foram as primeiras de uma mulher na K&N Pro Series.  Esse incrível desempenho lhe rendeu nova convocação para a Nascar Next, classe de 2018/2019.

A polêmica ultrapassagem na base do “bump and run” do Toyota 19 de Deegan sobre seu companheiro de equipe Cole Rouse. Foto Talladega87

 Em 2019 Deegan assina novo contrato com a BMR nos mesmos termos do ano anterior. Já na abertura da East-Series ela consegue outra pole position, mas como em 2018 abandona a corrida por problemas mecânicos. Na estreia da West-Series entretanto, a história foi muito diferente. Com a pista de terra de Las Vegas abrindo a temporada Deegan alcançou sua segunda vitória na categoria, também com uma ultrapassagem na última volta. Ao final do ano a piloto conquistaria o 3º lugar na West-Series com 3 poles, 2 vitórias e 8 top 5 em 14 corridas.

A segunda vitória de Deegan na K&N West conquistada na pista de terra de Las Vegas Foto ThePitLane

Paralelamente, Deegan começou a disputar a ARCA Menards Series pela Venturini Motorsports a bordo do Camry nº 55. Nas 6 corridas que participou seu melhor resultado foi um top 5 obtido na corrida de Indianapolis.

A garota workaholic das pistas ainda achou tempo para fazer uma corrida da K&N East Series pela DGR-Crosley, equipe de maior estrutura entre todas a que ela havia corrido até então. O palco foi Bristol e o resultado o 10º lugar. Ao final de 2019, Deegan abandona o programa de pilotos da Toyota e assina com a Ford para disputar a temporada completa da ARCA Menards Series pela DGR-Crosley em 2020.

O Toyota 55 de Deegan em ação na pista de Indianapolis, onde ela obteve seu top 5 na ARCA Menards Series Foto Twitter oficial de Hailie Deega

No ano passado, de casa nova e já com o status de promessa do automobilismo americano, Deegan faz sua estreia na ARCA Menards Series com o Ford Fusion nº 4 da DGR-Crosley apresentando um agressivo conjunto de dentes junto à grade, pintura herdada dos carros de rali usados pelo seu pai nos X-Games, o que demandou uma autorização da Monster Energy, principal patrocinadora da equipe, para sua inclusão no esquema de pintura do carro.   

Na prova inaugural em Daytona marca o melhor tempo na primeira sessão de treinos classificatórios e apesar de não conquistar a pole, termina em segundo. Era o prenúncio de mais um ano de sucesso que de certa forma, apesar da ausência de vitórias, se confirmou com o terceiro lugar na categoria de base da Nascar, conquistado com dezessete Top 10, quatro Top 5 (dois segundos lugares, um terceiro e um quinto) e 86 voltas lideradas nas 20 corridas disputadas. Essa performance lhe rendeu o título de Rookie of the Year.

Hailie Deegan alinha seu Ford Fusion na corrida inaugural da ARCA Menards Series de 2020 Foto Nascar.com

Apesar do ótimo desempenho nas pistas Deegan não poupou críticas à categoria, dizendo-se frustrada com a sistemática de pit stops em razão da Covid-19, chamando-a de tediosa e dizendo que era feita para favorecer os pilotos que já estão lá há muito tempo.

Deegan faz sua estréia na Truck Series pela DGR-Crosley Foto Nascar.com

O ano de 2020 marcaria a tão sonhada estreia na Nascar, o que ocorreu em 7 de outubro no Kansas pela truck series, pilotando a Ford nº 17 da DGR-Crosley. Deegan terminou a corrida em 16º a uma volta atrás do líder, melhor resultado de uma mulher em sua corrida de estreia na história da categoria. O ritmo de prova da americana agradou muito aos especialistas e ganhou grande repercussão na mídia esportiva. Como consequência natural, dez dias depois a Ford anunciava a participação da piloto na temporada completa da truck series em 2021. Sua pick-up para a temporada deste ano foi apresentada em 18 de janeiro, uma bela Ford F150 com o nº 1, mantendo a tradicional cor preta com destaque para o patrocinador principal.

BOA DE VOLANTE E DE BRIGA!

A Ford F150 que pode levar Hailie Deegan à sua primeira vitória na truck. Twitter oficial de Hailie Deegan

O sucesso de Hailie Deegan é proporcional às inimizades que fez pelas categorias onde passou. Muitos adversários não poupam críticas ao “estilo sujo” de pilotagem da garota. E dois de seus companheiros de equipe (Cole Rouse e Derek Kraus)  já provaram o gosto amargo do parachoques da piloto que não hesitou em provocar um contato com ambos tirando-lhes  vitórias tidas com certas.

 E não é diferente com os gestores da categoria; o episódio na ARCA Menards Series narrado acima provocou grande desgaste entre os promotores da categoria já que a credibilidade da competição foi posta em cheque com as declarações de favorecimento a pilotos que competem lá há mais tempo.

Apesar de ficar distante de polêmicas, Deegan continua afirmando que está na pistas para vencer ou então “era melhor nem correr”. Essa autoconfiança parece mais uma forma de se impor frente ao domínio masculino da Nascar, evitando passar pelos mesmos apuros de Danica Patrick que sofreu bastante com atitudes negativas de seus adversários durante sua passagem pela categoria. Se a tática vai funcionar veremos em breve.

Colaboradores Planeta Velocidade

Colaboradores Planeta Velocidade

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais