Escute a rádio Planeta Velocidade!

Indy 500 teve leite com croissant. Cortesia de outra brilhante corrida de Pagenaud.

27 de maio de 2019

j

Colaboradores Planeta Velocidade

Texto Francisco Brasil

Vindo de uma excepcional vitória na chuva no traçado misto, francês da Penske se destaca novamente (com seu carro amarelo marca-texto) e crava sua primeira vitória na mítica prova.

A corrida já deu o que falar antes mesmo da largada, devido a eliminação de Fernando Alonso, teve o grid liderado por Simon Pagenaud que conquistou a pole no apagar das luzes diante de uma forte equipe Carpenter.

A largada foi tranquila, como se espera de uma prova tão longa, capitaneada pelo francês que resolveu mostrar a que veio logo de cara.

Ainda na quinta volta, o primeiro revés: Colton Herta que largou de uma ótima sexta posição, fica lento na pista e tenta ir aos boxes sem sucesso e chama a primeira amarela. Um problema eletrônico no câmbio encerrou prematuramente a corrida do jovem destaque.

Volta 11, volta à ação. Relargada e o domínio da Penske e Carpenter continua, com Rossi sendo o “melhor do resto” em sexto.

Pagenaud imprimiu forte ritmo, o que na volta 32 o leva pra primeira parada no Pit, abrindo a janela. Os pilotos vão parando, até que na volta 37 houve  um entrave no Pit Lane: James Davison é acertado por trás por Hélio Castro Neves quando entrava no seu Pit e roda, enquanto o brasileiro quebra o bico.

May 26, 2019; Indianapolis, IN, USA; IndyCar Series driver James Davison (33) spins on pit road after contact from Hello Castroneves (3) during the 103rd Running of the Indianapolis 500 at Indianapolis Motor Speedway. Mandatory Credit: Mark J. Rebilas-USA TODAY Sports ORG XMIT: USATSI-397076 ORIG FILE ID: 20190526_mjr_su5_002.JPG

Prejuízo triplo para Helinho, que já havia feito sua parada, teve que voltar pra trocar o bico e ainda foi penalizado pelo incidente (que, cá pra nós, foi de corrida. Davison estava na linha errada pra entrar na sua vaga).

A Ganassi apagada com os dois carros, tentava dar o pulo do gato sendo os últimos a parar já na volta 43, devolvendo a liderança à Pagenaud.

Mais uma vítima de problemas mecânicos, Ben Hanley da estreante DragonSpeed fica lento, mas chega aos boxes por seus próprios meios e abandona na volta 56, com problemas de câmbio.

Andando sempre de cara pro vento, Pagenaud abre segunda rodada de paradas na volta 64, sendo seguido pelos líderes até que, na volta 71, Jordan King entra errado em sua parada, atropela um pneu que acerta o mecânico da sua equipe. Momento de tensão enquanto o integrante da equipe é socorrido (foi constatado uma fratura na perna posteriormente) e a troca é feita.

Volta 74 marca o fim da campanha heróica da Juncos. Após eliminar Alonso no bump Day com um carro de misto transformado pra oval e sem NENHUM patrocínio, Kyle Kaiser roda sozinho e bate na curva 4 chamando outra amarela. Foi bom enquanto durou, já que Kaiser chegou a andar em 25°.

Volta 80 e a verde retorna com o pelotão já mais nervoso, com várias disputas, mas sempre liderado por Pagenaud. A essa altura, quem poderia atacá-lo eram Newgarden e Ed Carpenter.

Metade da prova e nova janela de paradas. Pagenaud descascando vai primeiro, enquanto as Ganassi de Dixon e Rosenqvist apostam na economia, ficando o máximo possível, entrando 12 voltas após o líder.

Disputa na pista de rolamento saindo dos pits entre Tony Kanaan e Santino Ferrucci, que faziam prova bem decente. Melhor pro piloto da Dale Coyne.

Próximo ao quarto final da corrida, a penúltima parada prevista começa a dar mais emoção: Kanaan e Leist foram punidos por excesso de velocidade nos pits. Na volta 140, enquanto Rossi quase via suas chances indo embora devido um problema na mangueira de abastecimento de combustível, foi salvo pelo gongo, ou melhor, por Marcus Ericsson que vinha muito bem, sempre entre os 10 primeiros, até bater na entrada do Pit Lane, chamando outra bandeira amarela e salvando Rossi de levar uma volta.

A relargada vem na volta 149 com Newgarden pulando pra ponta, sendo o primeiro piloto a realmente ameaçar o domínio do francês da Penske.

Enquanto isso, Rossi que já vinha em quarto, se atrapalha com Oriol Serviá – retardatário – e só não chamou o espanhol de santo, pois reclamou o que pode antes de se juntar aos ponteiros novamente.

Última janela de paradas aberta na volta 168, por ele, Pagenaud, que voltará para a liderança. Rossi para na 170 e passa na estratégia Newgarden e Carpenter, que pararam depois.

Aí veio o salseiro na volta 178, na disputa entre Bourdais e Graham Rahal, os pilotos se tocam e batem feio. Sebastian quase decola e ainda foi alvo de um surto de raiva de Rahal, que inconformado sai do carro e mete o dedo na cara do francês. Devido o acidente, Felix Rosenqvist roda, acerta Charlie Kimball e Zack Veach em cheio, bate de leve em seu companheiro Dixon e ainda roda Ferrucci. Esses dois últimos ainda se salvam, mas é fim de prova pro restante.

Faltando 20 para o  fim, a bandeira vermelha é acionada para limpeza da pista depois de todo o entrevero. Na volta das ações, a briga pela vitória fica entre Pagenaud, Rossi e um ninja Takuma Sato que apareceu do nada pronto pra briga.

Verde na volta 188 e começa a perseguição em Simon. Na 198 Rossi passa, mas Pagenaud não se dá por vencido e dá o troco na 199 pra não perder mais, seguido de Rossi e Sato, que não foi kamikaze dessa vez.

E os brasileiros? Não tiveram chance real de vitória, mas não fizeram feio. Tony Kanaan no braço arrancou uma nona posição convincente, mas se não fosse os erros da equipe estaria mais a frente. Pelo menos atingiu a meta do top 10. Leist que vem da ótima prova no misto, ficou na 15° posição, nada mal pro carro que tem. Helinho foi a decepção pelos problemas no início, viu seu companheiro ganhar lá da 18° posição uma volta atrás. A quarta vitória no brickyard fica pra uma próxima.

Dixon tentou, mas o toque fez seu carro perder desempenho e o jogou num amargo 17° lugar, logo atrás de Pippa Mann, que deve estar alegre até agora pelo bom desempenho e chegar na volta do líder numa equipe até então desconhecida.

Então fechamos o grande mês da Indy, mas a corrida pelo título continua, agora em rodada dupla nas ruas de Detroit, e você acompanha tudo aqui, no Planeta Velocidade.

IndyCar practice for the 2019 Indy500 on Carb Day at Indianapolis Motor Speedway

Até lá!

Fotos Indy.com / Divulgação/Internet

Colaboradores Planeta Velocidade

Colaboradores Planeta Velocidade

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais