Indy: Ligaram o elevador céu/inferno: Dixon sobe, Newgarden cai!

4 de junho de 2019

j

Sandra Automusas

Outro dia, outro clima, mas parecia continuação da corrida de sábado. Newgarden conseguiu a pole da corrida 2 e trouxe Alexander Rossi em sua cola, assim como terminou a prova de sábado.

Com um domingo de tempo firme, a largada da segunda prova de Detroit começa agitada. Power que largou em p13 força ultrapassagem em Rosenqvist, que toca em Pato O’Ward e provoca aquele salseiro: o mexicano roda e é acertado por Tony Kanaan e Pagenaud. De cara a amarela é acionada, e quase todos os pilotos vão para os boxes trocar os pneus de banda vermelha pelo banda preta. Quase.

Ficam na pista Dixon, Power, Ferrucci entre outros. Mas não era mesmo o fim de semana de Power, já que seu carro simplesmente ficou lento do nada, atrasando o reinício de prova.

A verde tremula na volta 8 com Dixon liderando e Newgarden pulando para quinta posição, sendo o primeiro dos que pararam. Mas os pneus estavam gastando muito e logo Santino Ferrucci passa Dixon, que estava de pneus vermelhos, e assume a ponta na volta 14.

No giro seguinte Pigot, que também sofria com o desgaste dos pneus, se enrosca com Sebastian Bourdais quando ia pro Pit, e mais uma vez a amarela é acionada.

Quem tenta recuperar um pouco do prejuízo era Pagenaud, que volta com 12 voltas de atraso, uma vez que todos os que largam na Indy ganham pontos. E cada tento é extremamente valioso no campeonato.

Volta 21 a verde volta a ação. As paradas começam na volta 28, com o líder Newgarden parando no giro seguinte.

Aí veio o golpe que mudaria a corrida. Na volta 33 Hinchclife estava voltando de sua parada e bem a frente de Newgarden e Rossi. Com pneus frios, Hinch é atacado pelos dois que seriam os líderes ao final do ciclo de paradas e os três se enroscam na curva dois. Pior para Newgarden que fica espetado na barreira de pneus. Rossi consegue voltar rápido e quase bate em Rosenqvist que vinha logo atrás pouco antes do incidente chamar outra intervenção amarela.

A verde ressurge na volta 40, com Dixon na ponta, seguido de um impressionante Marcus Ericsson na segunda posição e ele, Takuma Sato, novamente na P3.

Quem também se recuperava era Bourdais, que já assumia a sétima posição mesmo após a batida em Jones. Mas ao final acabou perdendo duas posições.

Volta 45 abre outra rodada de paradas e, ao seu fim, quem ressurge depois de tantos percalços era Will Power na quarta posição, que logo se tornaria terceiro ao dar uma bela passada em Sato.

Hinchclife que ainda tentava se manter na pista fica lento e chama outra amarela na volta 54. Quem tenta aproveitar esses abandonos é Newgarden, que volta com 21 voltas de desvantagem para somar mais algum ponto.

Giro 60 e a verde volta com Sato tentando passar Rossi, sem sucesso, e quase causa outro salseiro na prova. Chega a tocar em Rosenqvist mas todos seguem.

Porém, na volta 63 o sueco da Ganassi bate no fim da reta dos boxes. Fim de prova e outra interrupção. E dessa vez grande, pois a Bandeira vermelha foi acionada faltando 5 voltas.

A verde volta pros 3 últimos giros e quem garantiu a vitória foi ele, Scott Dixon, seguido por (pasmem) Ericsson, Power, Hunter-ray e Rossi.

Depois do abandono de Kanaan logo na primeira volta , Matheus Leist até tentou, mas com um carro sem ritmo algum, acabou abandonando na trigésima volta, duas atrás do líder no momento. Como foi exposto no resumo da prova anterior, a aj foyt não ajuda. Ou muda tudo ou os brasileiros tem que mudar de equipe para conseguir resultados decentes e constantes.

E fiquem ligados que já no próximo sábado a noite tem a corrida do oval de Phoenix. E no Planeta Velocidade você vai acompanhar o que houve de melhor. Nos vemos lá.

Fotos Indycar.com

Sandra Automusas

Sandra Automusas

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais