Indy: Raios e carro no alambrado (de novo) deram o tom de caos a Pocono.

20 de agosto de 2019

j

Sandra Automusas

Na reta final da temporada, a Indy volta a Pocono um ano após o grave acidente de Robert Wickens, e já na primeira volta um acidente muito semelhante com Felix Rosenqvist assustou a todos. A batida causada por Takuma Sato tirou também Ryan Hunter-reay, Alexander Rossi e James Hinchcliffe da disputa vencida por Will Power na volta 128 de 200, uma vez que uma tempestade de raios encurtou a prova. Tony Kanaan com boa estratégia chegou em 8° e Leist na 14° posição.

Tempo Fechado em Pocono
Foto Chris Owens

A programação da etapa de Pocono já começou prejudicada, pois o tempo fechado que impedia a decolagem do helicóptero de resgate fez com que o treino livre e a classificação fossem cancelados no sábado, relegando aos pilotos apenas um treino no fim do sábado, que teve Tony Kanaan como mais rápido.

Assim, o grid contou com Newgarden na pole, seguido de Rossi da mesma forma que a tabela de classificação. Na largada, Rossi sai muito mal e na primeira curva já estava em quinto.

Na segunda curva – inspirada nas curvas de Indianápolis – aconteceu o que todos temiam: outro grande acidente com carro na grade de proteção! Takuma Sato que vinha rápido pelo lado externo espremeu Rossi em cima de Hunter Reay numa manobra afobada. O impacto levou os três carros para o muro interno e, na sequência, todos subiram acertando em cheio Felix Rosenqvist que Hinchcliffe. O sueco da Ganassi viu seu carro bater a frente na grade acima do muro, e caindo bem mais a frente, enquanto Sato parava de cabeça para baixo em cima do carro de Hunter Reay.

Logo a bandeira vermelha foi acionada, o resgate chega e todos os pilotos saem de seus carros. O último é Rosenqvist que parou bem mais longe, mas sai andando do carro e entra na ambulância. Devido seu acidente ser quase uma cópia do que tirou Wickens das pistas, o piloto foi encaminhado a um hospital para exames profundos, e foi o último a ser liberado e sem lesões graves.

De volta a prova, ainda em amarela, Pagenaud puxava o trio da Penske, seguidos de  Dixon, Santino Ferrucci que passou ileso no acidente e Graham Rahal. Power sente um furo lento de pneu e entra nos pits, caindo pro fim do pelotão.

Simon Pagenaud
Foto Chris Owens

Verde agitada na volta 9, após uma hora de interrupção, e Dixon surpreende Newgarden na relargada assumindo o segundo posto e seguindo de perto Pagenaud. Kanaan que estava em 12° perde posições e se junta a Leist no fim do grid, junto com Marco Andretti que tinha ritmo ainda pior que os carros da foyt.

Volta 30 se abre a janela de paradas com Zach Veach, sendo que os líderes começam no giro 34 com Ferrucci. Na 38 foi a vez do líder Pagenaud e Dixon na volta 39. A sensação Colton Herta para junto, mas erra o ponto e fica muito perto da mureta atrapalhando o serviço e perdendo tempo.

Zach Veach
Foto Chris Owens

Na volta seguinte Newgarden faz sua parada uma antes do sortudo do Power que, ao entrar no Pit na volta 41, é presenteado com uma bandeira amarela protagonizada por Spencer Pigot que estampou o muro. Com isso, o australiano da Penske volta na segunda posição atrás de seu companheiro Pagenaud.

A verde é acionada na volta 47 e a briga pela liderança esquenta, com Will Power levando a melhor sobre Pagenaud, abrindo um pouco sobre Dixon, Ferrucci e Ericsson que completavam o top 5. Na volta 51 Pagenaud reassume a ponta.

Will Power
Foto Chris Owens

Newgarden abre novo ciclo de paradas na volta 66, seguido de Ferrucci na 69, Dixon na 70 e Pagenaud na 72. No giro 74 Herta apronta novamente e bate após sair de sua parada chamando outra amarela. Power e Kanaan aproveitam para parar e voltam em 7° e 8° respectivamente.

Va ação recomeça na volta 83, com uma urgência maior devido ao risco de chuva. Com isso, quase Bourdais e Kimball se chocam, enquanto Power já era quarto. A liderança estava nas mãos de Dixon.

Volta 103 recomeçam as paradas com Leist. Newgarden para na seguinte e Ferrucci na 106, sendo Will Power o último dos ponteiros a entrar.

Josef Newgarden
Foto Chris Owens

Na volta, Dixon liderava, mas Will pressionou e na volta 115 assume a ponta. Enquanto isso, Rossi e Hunter Reay voltaram com mais de 80 voltas de atraso pra descontar alguns pontos. E conseguem ganhar duas posições cada devido os abandonos seguintes.

Power impõe um ritmo alucinante e já abria mais de 4 segundos para Dixon na volta 123. Na volta 127 é acionada a amarela seguida da vermelha na 128 devido a tempestade de raios que estava ao lado da pista.

Will Power comemora vitória em Pocono
Foto Chris Owens

Com isso, mais a ameaça de chuva e pressão até de Robert Wickens pelas redes sociais devido ao acidente, a prova foi encerrada com a vitória de Will Power, seguido de Scott Dixon, Pagenaud, Ferrucci num excelente quarto lugar, Newgarden que mesmo apagado na quinta colocação abriu vantagem no campeonato. Tony finalizou numa oitava posição com mais méritos de sua pilotagem do que qualquer coisa e Leist terminou em P14, uma volta a frente de marco Andretti, último na pista.

Marco Andretti
Foto Chris Owens

Chama a atenção o péssimo desempenho de Marco. Já cansamos de falar mal da foyt (e com razão), mas o oitavo posto de Kanaan na prova patrocinada pela mesma empresa que banca sua equipe, foi um alívio numa temporada horrorosa. Leist também pode comemorar, já que levou volta apenas no fim. Agora, Marco Andretti, com a equipe que venceu as 500 milhas de Indianápolis com Rossi, tem toda estrutura levar volta até das foyt? Algo de errado não está certo! E não é de hoje, o desempenho do “filho do dono” que já não era bom, vem caindo a cada prova. Tá ocupando uma ótima vaga.

Tony Kanaan
Foto Chris Owens

Vamos ver o desenrolar já no próximo sábado em Gateway, último oval do ano.

Até lá!

Sandra Automusas

Sandra Automusas

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais