Piloto brasiliense sofre acidente surpreendente durante a corrida de kart e passa bem

29 de julho de 2020

j

Assessorias de Imprensa

Depois de quatro meses de quarentena o piloto brasiliense Artur Hoff faz várias estreias. Primeira corrida na categoria Júnior Menor, primeira vez que participa de disputas no traçado do kartódromo Aldeia da Serra e é estreante na Copa São Paulo Light, que teve a 3ª etapa realizada no último sábado (25), em Barueri. Os protocolos de saúde para prevenir a contaminação pelo Covid-19 foram cumpridos. Todos que adentraram na praça desportiva tiveram que apresentar teste negativo do vírus, a obrigatoriedade no uso de máscara de proteção e outras medidas de higiene foram estabelecidas para garantir a prática das atividades. Mas nem tudo saiu conforme era esperado. O susto veio de dentro da pista.

Artur Hoff esteve no top 10 em quase todos os treinos da Júnior Menor, que reuniu 19 participantes. Marcou o nono melhor tempo na tomada, à 0.548s do pole position. Na primeira prova, uma confusão na curva 4 durante a volta da largada envolveu o kart numeral 17, de Hoff, e outros dois, fazendo o piloto perder várias posições. Com o kart avariado tratou de administrar a corrida e cruzou a linha de chegada no 15º posto. Na segunda bateria, um toque traseiro na curva 3 fez o kart de Artur Hoff rodar e sair da pista. Em busca de recuperação e acelerando o quanto podia o piloto se perdeu na entrada da reta da vitória, bateu nos pneus e foi arremessado para fora do kart. As imagens do acidente foram fortes. O piloto foi atendido pela equipe médica e removido ao hospital. Felizmente, sofreu apenas escoriações e passa bem.

“O acidente foi surpreendente, O Artur foi arremessado e rolou diversas vezes na pista. O meu filho demorou para ser atendido pela equipe médica. A bandeira só foi acionada depois de três voltas porque já tinham várias pessoas pedindo a interrupção da corrida. Isso me preocupa muito. Acredito que médicos e o diretor de prova deveriam ser mais rápidos na tomada de decisão e no atendimento. Graças a Deus, não houve um ferimento mais grave, mas poderia ter acontecido inclusive outro em consequência deste. A prova deveria ter sido interrompida imediatamente. Espero que a organização tome providencias considerando estes fatos, visando a segurança e saúde de todos”, declarou Renato Hoff, pai de Artur.

O médico responsável pela equipe de socorro, dr. Wagner Dutra, informou que ele estava distante do acidente, mas que viu o outro colega de trabalho no local analisando a situação da vítima. “O dr. Rafael chegou prontamente, mas devido a sua vestimenta não foi reconhecido como médico. Quanto a bandeira vermelha, eu estava distante sem poder mensurar a gravidade do acidente. Somente quando cheguei próximo pedi a interrupção da corrida ao diretor de prova e fui logo atendido. O Dr. Rafael também poderia ter solicitado e bandeira vermelha, mas se preocupou com o atendimento ao piloto. Por isso somos dois médicos, enquanto um está atendendo o outro se preocupa com a segurança dos demais. Já o diretor de prova tem noção de local, se é perigoso ou não, mas não da gravidade do acidente”, explicou o dr. Wagner Dutra.

O piloto agradece a Deus por não ter sofrido nada mais grave. “Com a força que fui jogado pra fora do kart, do jeito que rolei pela pista rasgar o macacão e ficar só com arranhões não é sorte, é proteção de Deus. O susto foi grande, mas a fé é maior. Claro que vou tomar mais cuidado nas próximas corridas, não quero dar mais trabalho ao anjo da guarda”, brincou o piloto.

Fotos Eni Alves

Assessorias de Imprensa

Assessorias de Imprensa

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais