Escute a rádio Planeta Velocidade!

NASCAR CUP SERIES – APÓS A POEIRA BAIXAR, JOEY LOGANO SE TORNA O SÉTIMO VENCEDOR DA CUP EM BRISTOL

29 de março de 2021

j

Francisco Brasil

E após mais de 24 horas de espera, finalmente nesta segunda ocorreu a etapa de Bristol Dirt, válida pela principal categoria da NASCAR.

Por conta da chuva que atrasou toda a programação, o grid acabou sendo definido pela tabela do campeonato ao invés das baterias. Com isso, a posição de honra havia ficado com Kyle Larson, mas uma troca de motor de seu Camaro #5 jogou o piloto para o fim do pelotão, ficando a primeira fila mas mãos de Denny Hamlin e Ryan Blaney.

Essa é a primeira prova da Cup Series na terra desde setembro de 1970! Uma volta às raízes da categoria. Vamos ver como foi.

Estágio 1- 100 voltas

Na largada Hamlin assume a ponta seguido por Kyle Busch, que já na terceira volta assume a liderança. Mas isso dura apenas até o 9 giro quando Martin Truex Jr, ainda no calor de sua vitória na Truck Series mais cedo, passa o #18 para ser o líder da prova.

Só que esse não foi o único percalço de Kyle Busch, que na sequência teve que parar no pit para limpeza da grade do radiador, uma vez que seu carro apresentou superaquecimento. Com mais sorte vinha Larson, que já era 16° em apenas 24 voltas e continuava subindo na grelha.

Na frente os ponteiros já começavam a encontrar retardatários, até que Mike Marla (que já havia aprontado na Truck) atrapalhou Ryan Blaney na briga pelo segundo lugar, tomado por Alex Bowman.

Na sequência, volta 41, tivemos a primeira amarela, causada por uma forte batida que se iniciou pela rodada de Aric Almirola. O piloto do #10 pegou uma ondulação, rodou e foi acertando Shane Golobic no #78, Anthony Alfredo no #38 e Corey LaJoie do #7. Tudo isso bem na frente de Truex que vinha para colocar volta nesses pilotos.

Como explicamos AQUI Bristol Dirt: Terminologias e perguntas frequentes sobre Bristol Dirt Race, as voltas em amarela não contam e, por isso, é acionada a bandeira vermelha. A verde retorna no giro 46 com Truex sendo seguido por Christopher Bell, mas um toque entre William Byron e Ryan Newman traz nova intervenção. Isso também causou um toque entre Kevin Harvick e Chase Briscoe, que quase foi catapultado. Cody Ware e Chris Windom foram afetados também.

Por conta do desgaste de pneus, a corrida contou com bandeiras amarelas de competição a cada 50 voltas, o que já foi emendado dessa vez com a paralisação pelo acidente. Isso traz os pilotos para os boxes para ajustes.

Kyle Busch consegue o Lucky dog nesse momento e volta para o giro do líder na relargada. E ela acontece na volta 51 sob liderança de Truex e Bell em segundo. A essa altura, Kyle Larson já está em quarto lugar.

Só que não era o dia do #5, franco favorito à vitória, pois um erro de Bell acabou numa batida entre eles, que também coletam Ross Chastain. Nova amarela e fim de prova para o #20 de Bell – que foi empurrado para o box por Larson – e #42 de Chastain. Larson perde duas voltas com reparos.

A verde é agitada no giro 60, com o inesperado Daniel Suarez brigando com Truex pela liderança, mas o Toyota #19 estava bem ajustado e começa a abrir vantagem.

E sem ser alcançado, Truex vence o primeiro segmento, seguido por Byron que usou um retardatário para ultrapassar Suarez. Hamlin também passou o mexicano para ser terceiro, deixando o #99 em quarto à frente de Blaney que fecha o top 5. Alex Bowman vinha nessa disputa, mas apresentou problemas de câmbio, que não engatava a quarta marcha.

Estágio 2 – 100 voltas

Após as paradas temos relargada na volta 102 com briga entre Truex e Suárez. O #19 começa a abrir mas é avisado que precisa poupar pneus, foi quando, no giro 129, Suárez se aproximou novamente e partiu para o ataque, trazendo Byron junto. Então na volta 136, com direito a Bump, o mexicano consegue tomar para só a liderança.

Byron é outro que ultrapassa Truex, que já não mostra a mesma dominância e vai ficando para Joey Logano, quarto colocado. Mas a sequência de retardatários começa a complicar a vida de Suárez que, ao chegar em Larson para dar outra volta, acaba tendo resistência. O líder se usa do bump para tirar Larson do caminho, mas leva o troco. Pior para Kyle que já tinha danos e partiu perde a frente de seu carro.

Chegada a volta 150 a bandeira amarela de competição é acionada, os pilotos param e retornam para a relargada no giro 153. Suárez se mantém na ponta, apesar do forte ataque de Byron, mas a ação é suspensa por um acidente que envolveu 10 carros, iniciado por um toque de Kyle Busch em Ryan Blaney, atingindo, entre outros, Michael McDowell, Austin Dillon e Kyle Larson.

E novo reinício, agora na volta 159 com boa largada de Suárez e melhor de Logano, que aparece em segundo, mas restando 41 voltas para o fim do segmento, Chase Briscoe roda após toque com um apagado Brad Keselowski e chama mais uma amarela.

Nesse momento a NASCAR muda a regra da relargada, fazendo o reinício em fila indiana, algo que a muito não se via na categoria. Isso se deu por conta da grande quantidade de poeira.

E a verde veio na volta 170 com Logano atacando Suárez e Truex recebendo pressão de Hamlin pelo terceiro posto. Até que restando 15 voltas para o término do estágio, Cody Ware roda na frente dos líderes e aciona nova paralisação.

Com 10 voltas para a bandeirada do segmento, Logano relarga bem e ataca Suárez, com a ultrapassagem sendo efetivada 3 giros depois. E abrindo vantagem, o segmento 2 é vencido por Logano, seguido de Suárez, Hamlin, Truex e Ryan Newman no quinto lugar.

Estágio Fina – 50 voltas

Diferente das paradas entre os estágios anteriores, que duravam 3 minutos, a NASCAR dessa vez concedeu 10 minutos para ajustes, enquanto fazia reparos na pista com direito a carros de categorias de terra passando na pista para melhorar as condições.

A relargada vem com Logano, mesmo pressionando por Hamlin que superou Suarez, mantendo a liderança. A pressão aumenta e o piloto do #11 começa a dar bumps no líder, mas logo chegam novamente nos retardatários e Logano consegue um respiro.

E restando 34 voltas para acabar, Bubba Wallace que vinha numa excelente sétima posição tem um pneu furado após toque com Ricky Stenhouse Jr, mas controla seu Camry e não paralisa a prova. Mesmo assim, Stenhouse é o mais rápido da pista e se aproxima do top 5.

E enquanto Stenhouse escala o pelotão, aparecendo em quarto, Hamlin escapa e bate no muro, sendo superado por Truex, mas logo recupera o segundo lugar, isso tudo restando apenas 6 giros para o fim.

Mas a NASCAR sempre apronta das suas e, com apenas 4 voltas para a quadriculada ele, Mike Marla novamente roda na pista sozinho e chama a amarela.

Temos prorrogação!

Apesar da ira e socar o volante, Logano se prepara para a última relargada, seguido por Hamlin, Truex e Stenhouse. A verde é agitada e Logano dispara, Hamlin erra a tangência da curva e Truex tem o pneu dianteiro direito furado e passa reto na curva 1. Melhor para o Mustang #22 da Penske que cruza em primeiro a linha de chegada, tornando Joey Logano o sétimo vencedor diferente da Cup Series em sete etapas! Stenhouse foi o segundo colocado, Hamlin terceiro com Suárez na sequência e, fechado o top 5 o veterano Newman, numa ótima apresentação.

Com o problema, Truex finalizou em 19°, último na volta do líder e, com certeza, frustrado com tanto azar depois de uma bela apresentação na Truck Series.

Melhor sorte no ano que vem, pois a NASCAR confirmou que Bristol Dirt continua no calendário ano que vem.

E semana que vem a categoria descansa, aproveitando o feriado da páscoa. Mas daqui a 15 dias as feras voltam a acelerar na temporada mais equilibrada dos últimos anos.

Fotos Nascar.com

Francisco Brasil

Francisco Brasil

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais