NASCAR – De Kansas para Phoenix, Joey Logano está na final da Cup

18 de outubro de 2020

j

Daniel Mendes

Piloto do #22 consegue se recuperar na prova, vence no Kansas e está classificado para final da CUP Series

Texto: Lorenzo Francez
Revisão: Brenda Faller

A primeira corrida da terceira fase dos playoffs aconteceu no oval do Kansas. Pista fria, dificuldade de esquentar os pneus e uma vaga na finalíssima da Cup Séries, esses foram os ingredientes para os oito pilotos que disputam os playoffs.

Em Kansas serão 267 voltas, divididas em três estágios. Os dois primeiros com 80 voltas e o último com 107 voltas. Lembrando que na volta 25 da corrida terá uma bandeira amarela de competição.

Participação do Público

Como em outras corridas, a Nascar liberou acesso ao público. Contudo não a capacidade máxima do autódromo, apenas 20% da capacidade total, o que representa 10.000 pessoas. Mas todos os presentes mantendo relativa distância e com toda a segurança.

Começo de um sonho no Kansas – Estágio 1

A largada foi bem agitada e agressiva. Chase Elliott manteve a sua liderança, mas os pilotos foram para cima. Kevin Harvick mesmo estando numa boa situação nos playoffs, buscava a liderança e partiu para o ataque sobre Elliott.

Enquanto isso Martin Truex Jr, que foi punido e largou atrás do pelotão, já estava entre os 20 primeiros, na 16º colocação.

Na volta 17 os pilotos “sossegaram” Chase Elliott em primeiro, Harvick em segundo e Logano na terceira posição.

Na volta 23 a disputa pelo terceiro lugar esquenta, Logano versus Hamlin. Melhor para Hamlin que contou com a ajuda de um retardatário para assumir a posição.

Bandeira amarela de competição, os pilotos vão para o pit stop, trocar os pneus. William Byron trocou apenas dois compostos e assumiu a liderança da corrida.

Green, Green, Green

Relargada no oval de Kansas. Elliott e Byron lado a lado, mas o destaque foi Kevin Harvick que assumiu a liderança da prova.

Os pilotos continuaram agressivos, deixando os fãs à espera de uma excelente corrida, como é de praxe na categoria.

Os três carros da Penske começam a batalha pelo quarto lugar no estágio 1.  Blaney, Keselowski e Logano. Dos três, Joey Logano ficou pra trás e Ryan Blaney foi pra cima de Hamlin, em busca da terceira posição. A batalha continua e agora Brad Brad, ultrapassar Blaney, e assume o terceiro lugar. Enquanto isso, Logano continua perdendo rendimento.

Me dá essa liderança aí

Como 60 voltas completadas a disputa pela liderança volta a pegar fogo. Chase Elliott parte pra cima de Harvick em busca dos 10 pontos de segmento, dado ao vencedor do estágio.

Duas voltas depois, a manobra foi consumada e Elliott agora e o líder da prova.

E as últimas voltas do segmento 1 foram insanas. Quatro pilotos brigando pela liderança. E Kevin Harvick perdeu rendimento. No fim Elliott venceu, seguido por Bad Brad e Denny Hamlin.

Kansas Parte II – Estágio 2

A relargada foi novamente agressiva. Os pilotos estavam bem animados, afinal vale vaga pra final, né? Kurt Busch foi o destaque desse início de estágio.

Da mesma forma como foi no segmento 1, o segundo estágio estava se desenhando para ser emocionante também. A disputa pela liderança estava frenética. Hamlin versus Blaney, com Kevin Harvick se aproximando dos dois.

Na volta 111 Hamlin consegue abrir uma vantagem para Blaney, contudo Chase Elliott vem no ritmo rápido a caça dos líderes.

11 contra 12

Hamlin #11 e Blaney #12 brigam pela ponta da corrida. A pressão exercida por Blaney era grande, mas Hamlin segurava.

A corrida mantinha um bom ritmo. Sem bandeiras amarelas, devido a acidente, e com a janela de pit stops aberta em bandeira verde.

Hamlin parou na volta 126 e Blaney veio junto. E advinha quem voltou na frente? Sim, o carro #11, a equipe do “carteiro” entregou ele na primeira colocação.

Estratégias diferentes

Se alguns pilotos pararam na volta 126-129, outros resolveram esticar o stint e parar um pouco mais tarde na volta 133.

E Matt DiBennedeto se manteve na pista, já que o piloto não tem nada a perder e busca sua primeira vitória. Na volta 143 a estratégia de Matt DiBenedetto se pagou, bandeira amarela devido a um incidente envolvendo, Erik Jones e Matt Kenseth.

E mais uma relargada movimentada, com 11 voltas para o fim do segmento. E a disputa pela liderança esquentou. Os dois maiores vencedores da temporada na briga.

Hamlin se defendia como podia e Harvick atacava, mas quem levou a melhor foi Denny Hamlin, o piloto dominante do segmento 2.

Kansas – O Desafio final – Estágio 3

Bandeira verde e lá vão os pilotos para mais um estágio.  Grande relargada de Harvick, de quinto para segundo. Joey Logano conseguiu se manter na frente, mas foi logo superado por Harvick.

Kyle Busch que resolveu ficar na pista, largou em segundo. Contudo, foi perdendo rendimento devido aos seus pneus usados em comparação aos outros pilotos. Ele disputava posição com seu companheiro de equipe Denny Hamlin, mas o que poderia ser uma disputa sem nenhum incidente, acabou com Hamlin tocando no muro. O piloto acabou perdendo rendimento e parou no box, voltando na 29ª colocação uma volta atrás do líder.

Lentidão e Drama

Na volta 195, Kurt Busch tem problemas no seu carro, perdendo potência no motor e ficando lento na pista, sendo ultrapassado por muitos pilotos.

E o que parecia ruim ficou ainda pior, já que seu motor estourou e ele abandonou a prova. Bandeira amarela acionada e agora pelotão junto novamente. Com a bandeira amarela, os pilotos aproveitaram e fizeram seus pitstops. Harvick voltou na frente, seguido por Kyle Busch.

Kevin Harvick se mantém na liderança, contudo vai ter que enfrentar a pressão da Penske que vem com seus três carros, logo atrás.

Briga na Penske

Joe Logano, Brad Keselowski e Blaney, se encontraram na pista de novo. Agora a briga é pelo segundo lugar. Enquanto isso, Kevin Harvick abria vantagem sobre os três pilotos que disputavam a posição.

Mas essa disputa foi interrompida devido a bandeira amarela na volta 220. O que faz lembrar que os pilotos estavam bem elétricos, a 220 volts.

Pit Stops decisivos

Com 47 voltas para o final, essa bandeira amarela fez com que os pilotos fizessem o que poderia ser o último pit da corrida.

Joe Logano fez um excelente pit e voltou em primeiro. Alex Bowman também se deu bem e vai relargar em terceiro. Outro piloto que voltou para a corrida foi Denny Hamlin, que com essa bandeira amarela se junta ao pelotão em condições iguais.

Dez voltas para a final em Kansas

Sim, com 10 voltas para o fim da corrida, Joey Logano é o líder, seguido de perto por Kevin Harvick. Visivelmente Harvick tem um carro melhor, mas Joey Logano vem segurando muito bem.

Com a corrida chegando ao fim e Harvick vai com tudo para cima de Logano. Mas Joey Logano, valente e mostrando porque é campeão da NASCAR, conquista a vitória e a vaga para final da competição.

Phoenix é logo ali

Joey Logano se garante entre um dos quatro finalistas. Agora restam 3 vagas, sendo que uma delas já está quase garantida por Kevin Harvick. Denny Hamlin, terminou a corrida em 15º, mas conquistou bons pontos nos dois primeiros segmentos.

Opinião Alex Leonello

Sempre comemoro aqui as evoluções dos pilotos mais jovens e que ainda se encontram no início de suas carreiras, seja na ARCA, na Truck Series, na a Xfinity Series ou até mesmo na Cup, a principal categoria do automobilismo norte americano.
Mas dessa vez é chegada a hora de celebrar a experiência e o conhecimento amplo que cada um dos pilotos da NASCAR possuem.
Kevin Harvick e Joey Logano, dois grandes campeões da Cup Series travaram um duelo alucinante na pista por mais de 40 voltas.
Sem escapadas, toques, bumps, tiradas de ar ou algo semelhante.
Um dia mais belos duelos da temporada, se não o maior, foi proporcionado por estes dois pilotos nesta etapa do Kansas.
E foi de prender a respiração!
Harvick, com um equipamento superior, não deixou Logano escapar e tentou de tudo para assumir a ponta.
Por outro lado o piloto do Penske 22, liderando na estratégia e com um carro menos preparado foi um relógio suíço.
Logano, em sua perfeição de pilotagem, definitivamente não deu brechas para que Harvick pudesse supera-lo.
E o que se viu foi um belíssimo espetáculo de um automobilismo de raiz, sem botões, partes móveis, lastros, penduricalhos aerodinamicos ou quaisquer outros métodos artificiais.
Nós, os amantes da categoria, fomos presenteados com aquele verdadeiro “pega” entre os dois gigantes acima descritos, o que, sem sombra de dúvidas, foi lindo de se ver.
Por mais disputas iguais a estas.
Saudemos a experiência!

A próxima corrida é no Texas e depois Martinsville. Mais duas chances para os 7 pilotos conquistarem as 3 vagas que faltam para decisão.

Daniel Mendes

Daniel Mendes

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais