NASCAR Truck Series – Enfinger vence em Martinsville e finalistas são estão definidos.

31 de outubro de 2020

j

Alex Leonello Teixeira

O “dia D” está chegando e Martinsville é a última batalha, antes que as tropas e as cavalarias dos motores Ilmor das picapes da Truck Series desembarquem finalmente em Phoenix, para a grande batalha final.

Brian Lawdermilk | Getty Images

Sendo esta uma etapa extremamente decisiva, era a última oportunidade para que 4 destes jovens talentos do automobilismo norte americano conquistassem suas vagas em busca do título da temporada 2020.

Revisão Francisco Brasil
Foto destaque Brian Lawdermilk | Getty Images

Nesta categoria, que geralmente não decepciona em condições normais, era fácil esperar uma grande corrida em uma prova tão decisiva e disputada no menor circuito da temporada, o famoso clip de papel.

Ainda de acordo com as novas regras da NASCAR, a pole position para esta etapa ficou por conta de Sheldon Creed.

Encerradas as cerimônias tradicionais e dada a ordem de ligar os motores, a bandeira verde foi finalmente acionada para dar início a primeira das 200 voltas programadas.

Estágio 1 – 50 voltas

Brian Lawdermilk | Getty Images

Já na largada Zane Smith assume aponta, mas Creed a recupera na volta 11. Mas já na volta 13 veio a primeira amarela, depois de um enrosco entre vários pilotos, dentre eles Carson Hocevar, Ray Ciccarelli, Tanner Gray e Travor Bayne.

A ação foi retomada no giro 22 e, depois de uma bela relargada, o tricampeão Matt Crafton passa a ocupar a segunda colocação.

Creed abre grande diferença sobre os demais, contudo, na volta 47, Jordan Anderson e Natalie Decker se tocam e provocam uma nova amarela.

Ainda sob intervenção, Sheldon Creed cruza na frente a linha de chegada para vencer o primeiro segmento da prova, na volta 50

Estágio 2 – 50 voltas

Brian Lawdermilk | Getty Images

A prova foi retomada na volta 60 e, no giro 77, um furo de pneu tira a liderança de Creed, o que o obriga a buscar os pits, acionando a bandeira amarela.

Os demais pilotos aproveitaram a oportunidade para buscar os boxes quando Austin Hill enfrenta problemas mecânicos.

A corrida reinicia no giro 85, com Zane Smith na frente, mas que logo é superado pelo veterano Johnny Sauter.

Um toque de Sheldon Creed provoca a rodada da picape se Tanner Gray e, como consequência, trouxe consigo nova neutralização de prova na volta 90.

Outra rodada de pit stops volta a acontecer e Crafton se mantém na pista para se tornar o ponteiro na relargada da volta 98.

Mas Stewart Friesen assume a ponta e, apenas três giros depois, recebe na frente a bandeira quadriculada verde e branca que lhe dava a vitória do segundo estágio da competição.

Estágio Final – 100 voltas

O pano verde volta a ser agitado no giro 113, com Grant Enfinger na liderança.

Um toque de Christian Eckes sobre Tate Fogleman provoca a rodada deste último, na volta 118, causando a necessidade de intervenção.

Brian Lawdermilk | Getty Imagesb

A relargada acontece no giro 127 e Sauter passa ocupar novamente a primeira colocação. A prova fica bastante disputada e, na volta 156 a amarela torna a aparecer, depois que Tanner Gray (ele novamente) vai para o muro.

Os pilotos buscam os pits e a corrida recomeça no giro 161, onde Enfinger recupera a ponta.

Muitos bumps começaram a ocorrer em busca de ultrapassagens e a amarela volta a ocorrer na volta 167, depois do furo de pneu e uma rodada de Clay Greenfield.

As feras foram soltas mais uma vez no giro 174 e uma briga intensa se iniciou entre Creed, Enfinger e Moffitt, mas que terminou em mais uma amarela, depois de Creed rodar na pista.

O final de prova se aproxima e a ação é retomada na volta 182. Raphael Lessard assume a liderança e a intervenção ocorre mais uma vez na volta 186, depois da rodada de Carson Hocevar.

Com uma corrida amarrada pela sequência de neutralizações, a bandeira verde volta a aparecer quando restavam 10 voltas para o final, mas é interrompida em seguida, logo depois que Lessard roda e é atingido por Moffitt.

Jared C. Tilton | Getty Images

Com 2 voltas para o fim e com Enfinger na frente, a prova é retomada e uma disputa interna da equipe ThorSport racing é travada com Rhodes, onde ambos dependiam da vitória para conseguir a classificação para a grande final.

Sem ser superado, em que pese as tentativas de seus adversários, Grant Enfinger atinge na frente a linha de meta para vencer a etapa de Martinsville e se classificar para a final da categoria.

Ben Rhodes recebe a bandeira quadriculada na segunda colocação e, fechando o top 3, completou a etapa Zane Smith.

Em entrevista concedida após o final da corrida, Enfinger, ainda empolgado pela classificação, declarou que:

“Obrigado pessoal, obrigado pessoal, isso é inacreditável”.

“Foi difícil, sabíamos que teríamos que tirar nossas luvas e lutar por isso. Tem sido uma temporada de altos e baixos para nós, mas tendíamos a atingir o pico quando precisávamos. E agora me sinto muito bem com nossas chances em Phoenix”.

Ben Rhodes, companheiro de equipe de Enfinger e que completou a prova no segundo posto, sendo eliminado dos playoffs, afirmou que:

“Tínhamos uma chance, mas antes de mais nada, parabéns a Grant, eles trabalharam muito o ano todo. Eles têm três vitórias, esta é a quarta, eles merecem. Estávamos correndo o máximo que podíamos. Não tínhamos a velocidade de que precisávamos, mas continuamos e minha equipe teve uma boa estratégia o dia todo. É uma pena”.

Com este resultado, os classificados para a grande final, em ordem alfabética, são:

Brett Moffitt – 4.000 pontos;
Grant Enfinger – 4.000 pontos;
Sheldon Creed – 4.000 pontos;
Zane Smith – 4.000 pontos.

Eliminados: Austin Hill, Matt Crafton, Ben Rhodes e Tyler Ankrum.

Opinião Alex Leonello

Uma bela prova ao bom e velho estilo da Truck Series.

Muitas surpresas, divididas de pista, ultrapassagens e trocas de liderança ocorreram em todos os segmentos da prova.

Quando só a vitória interessava, Enfinger foi lá e venceu, desbancando seus companheiros de equipe Ben Rhodes e Matt Crafton, o atual campeão, e mostrando que nada é impossível na NASCAR.

Assim como na Cup, onde o campeão de 2019 (Kyle Busch) já restou eliminado dos playoffs, na Truck Series o tricampeão Matt Crafton também o foi.

Para esta última etapa, os 4 finalistas entrarão na pista em igualdade de condições e, sendo assim, quem chegar na frente será o campeão da temporada de 2020.

E por falar em temporada, depois de um ano atípico, de muitas limitações e preocupações, é  fato que a NASCAR conseguiu entregar a seu público uma temporada que, embora modificada, não abriu mão da velocidade e de muitas emoções.

É chegada a hora da grande final!

Opinião Francisco Brasil

Matt Crafton, atual campeão não poderá defender seu título. Mas quero destacar a desolação de Austin Hill.

O campeão da fase regular tinha até uma boa vantagem de pontos, mas um problema mecânico na hora errada acabou por tirar as chances do piloto de disputar o título. Isso mostra que a constância é fundamental na NASCAR.

E com dois favoritos limados da disputa, mais do que nunca, qualquer coisa pode acontecer. Sheldon Creed é favorito por diversas vitórias, assim como Enfinger, sendo esse último menos constante; Moffitt já tem um título e acordou nessa reta final de campeonato; mas não podemos desprezar o excelente novato Zane Smith que, aparentemente, corre com a menor pressão.

E que venha Phoenix!

Opinião Lorenzo Francez

Martinsville sempre nos reserva emoção. Pista curta, carros juntos e duas vagas para a final, os ingredientes posto na mesa para a grande corrida que tivemos.

Sobre o vencedor, Grant Enfinger, fez um round de 8 bem ameno, mas soube lidar com a pressão e teve uma caminhonete excelente para vencer em Martinsville e conseguir a vaga.

O última classificado, Zane Smith, fez um grande round de 8, poderia ter vencido a primeira corrida da semifinal e manteve a regularidade.

Para mim o grande perdedor da noite foi Austin Hill, que não conseguiu a classificação devido a problemas no seu truck, mas isso acontece em corridas.

Agora é esperar a final em Phoenix e ver quem fica com o troféu. Meu palpite, num próximo texto antes da corrida você saberá.

Opinião Marcos Amaral

Realmente a não deixa a desejar, já temos os 4 guerreiros que semana que vem, vão para a ultima batalha. Não da para falar em um favorito, todos tem carros iguais, mesmas chances, mas quem tiver, como podemos falar no mundo da NASCAR, “sorte”, vai sair campeão da temporada 2020.

Aí estão dos guerreiros Brett Moffitt, Grant Enfinger, Sheldon Creed e Zane Smith, quem leva o troféu, vou me arriscar dizendo um nome, “Sheldon Creed”.

Nos vemos em Phoenix.

A próxima etapa da NASCAR Truck Series será a grande final do campeonato e acontecerá no dia 06/11, no oval de 1,5 milha de Phoenix, situado no estado do Arizona.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira

Alex Leonello Teixeira

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais