NASCAR Cup Series – Harvick segura Kenseth e vence em Indianápolis, após abandono de Denny Hamlin.

6 de julho de 2020

j

Alex Leonello Teixeira

Continuando o ciclo de superspeedways em sua fase regular, a NASCAR Cup Series, principal categoria do automobilismo norte americano, chega ao emblemático circuito de Indianápolis, no estado de Indiana, para a realização da etapa de número 16 da temporada.

Revisão Francisco Brasil
Foto destaque Chris Graythen | Getty Images

Ao contrário do que aconteceu com a Xfinity Series, onde a prova do dia anterior havia sido realizada no traçado misto do circuito, em conjunto com a Fórmula Indy, a Cup viu suas feras disputando no grande e tradicional oval de 2,5 milhas de extensão.

A festa garantida para o final de semana – por conta do feriado nacional de independência dos Estados Unidos – foi, de certa forma, um pouco ofuscada pela notícia de que o heptacampeão da categoria, Jimmie Johnson, em sua temporada de despedida da categoria, havia sido infectado pelo Covid-19 e não participaria da prova.

A bordo de seu Chevy Camaro número 48 da equipe Hendrick veio o experiente piloto da Xfinity Series, Justin Allgaier, dada a parceria com a JR Motorsports.

Esta etapa, realizada ainda em comemoração ao feriado de independência norte americana, com esquemas de pintura alusivos a data, marcavam ainda a corrida de número 700 de Kurt Busch, campeão da categoria no ano de 2004.

Mas a posição de honra no grid de largada ficou mesmo com o piloto do Ford Mustang número 22 da equipe Penske, Joey Logano.

No horário previsto, a chuva (sempre ela) começava a se aproximar do circuito e a incidência de raios

Estágio 1 – 50 voltas

Uma vez restabelecidas as condições normais para a prova, a bandeira verde foi acionada e Joey Logano preserva sua posição.

Martin Truex Jr reporta problemas mecânicos em seu Toyota Camry, perdendo várias posições, enquanto Kevin Harvick adiantava sua parada nos pits.

Na volta 14, a bandeira amarela de competição foi acionada e diversos pilotos vieram aos boxes para ajustes, reabastecimento e troca de pneus.

E com isso, na entrada dos pits aconteceu um pequeno big one, envolvendo os pilotos Ryan Preece, Martin Truex Jr., Corey Lajoie, Chris Buescher, Brennan Poole, Justin Allgaier, Rick Stenhouse Jr e Ryan Blaney, sendo que um mecânico deste último chegou a ser atropelado por Poole enquanto estava trabalhando na substituição do pneu traseiro direito, gerando uma bandeira vermelha.

A relargada foi dada na volta 20, com Kevin Harvick como ponteiro, já que o piloto estava em estratégia diferente.

Hamlin vem escalando rápido o pelotão e vinha em terceiro, bem próximo de Joey Logano.

Va volta 41, Ryan Newman encontra o muro depois de um estouro do pneu dianteiro direito, causando uma bandeira amarela.

Os ponteiros vieram para os pits e a relargada aconteceu na volta 47 tendo William Byron na frente e contando com uma intensa disputa pelo top 10.

Mas, sem ser superado, Byron cruza na frente a linha de chegada para vencer o primeiro segmento da prova.

Estágio 2 – 50 voltas

Chase Elliott relarga como ponteiro, na volta 56 após novo ciclo de paradas.

A prova vinha em ritmo interessante, até que no giro 75, Erik Jones bate muito forte no muro, vê um princípio de incêndio em seu Toyota Camry e provoca mais uma bandeira amarela.

Com as paradas nos pits, vários pilotos adotaram a técnica de trocar apenas 2 pneus e, sendo assim, William Byron era o líder na retomada da prova, na volta 83.

Tão logo o pano verde foi agitado novamente, Byron é ultrapassado por Austin Dillon e, já na curva seguinte, depois de um furo de pneu, vai para o muro, trazendo consigo nova intervenção.

A disputa recomeça na volta 88 e Kevin Harvick, em uma relargada fantástica, com direito a duas rodas do carro na grama, sai da quarta para a primeira colocação.

Mas a prova estava amarrada e logo outra amarela é imediatamente acionada depois que Ryan Blaney roda sozinho e vai de traseira no muro.

Pela volta 92, a NASCAR solta novamente as feras e, sem ser alcançado pelos demais, Kevin Harvick recebe na frente a bandeira quadriculada verde e branca que lhe dava a vitória do segundo estágio da competição.

Estágio Final – 60 voltas

A relargada aconteceu na volta 106 e, em que pese a bela manobra de tentativa de ultrapassagem de Denny Hamlin, Harvick se manteve na frente.

Tyler Reddick inicia o ciclo de paradas sob bandeira verde na volta 122, e Matt Kenseth passa a liderar a corrida.

Contudo, na volta 134, Alex Bowman vai para o muro e provoca outra bandeira amarela. A corrida foi retomada na volta 139 e o ponteiro era Denny Hamlin, com Harvick no segundo posto.

Quando tudo parecia decidido, a 7 voltas do fim, o líder Denny Hamlin, com um estouro de pneu, vai para o muro e tem um princípio de incêndio em seu carro, em condições muito semelhantes ao seu companheiro Jones, dando adeus a corrida e deixando a liderança nas mãos de Harvick.

A competição foi retomada em situação de overtime, e Harvick sustenta sua posição diante dos ataques de Matt Kenseth para cruzar na frente a linha de chegada e vencer a etapa de Indianápolis.

Matt Kenseth conclui a etapa no segundo posto e, fechando o top 3, recebe a bandeirada Aric Almirola.

Em entrevista dada após o término da prova, Harvick disse o seguinte;

“É o Brickyard, foi o que eu cresci querendo fazer. Vir aqui e vencer pela terceira vez é algo que eu não poderia ter sonhado”.

Enquanto isso, desolado, Joe Gibbs, dono da equipe pela qual compete Denny Hamlin, declara:

“Eu odeio isso por nossa equipe. Fizemos o que precisávamos e simplesmente não funcionou para nós hoje. Nós tínhamos um carro bom, obviamente. Estávamos nos mantendo por lá, mas eu não estava pressionando a [roda] dianteira direita, mas é uma roleta e você viu o resultado final”.

Opinião Alex Leonello

Com tanta história para contar e tendo testemunhado muito mais eventos do que a nossa consciência humana pode imaginar, Indianápolis, um dos maiores templos do automobilismo mundial, é sempre um espetáculo a parte.

Veloz e bastante singular, este grande circuito retangular proporciona disputas técnicas e intensas em todas as categorias que lá competem, e com a Cup Series não foi diferente, com direito a mini big one no interior da área dos boxes, colocando fim a prova de Truex, Stenhouse, Allgaier e outros.

Um dos pontos de destaque foi a ultrapassagem promovida por Kevin Harvick, passando com 2 rodas pela grama para atingir sua meta de tornar-se o líder.

Pela primeira vez desde o ano de 2017, o campeão do ano de 2003, Matt Kenseth, volta a liderar uma prova.

Com muitos problemas de pneus e batidas no muro, os protagonistas desta etapa, até quase o fim, foram os mesmos de Pocono, quais sejam, Denny Hamlin e Kevin Harvick.

Mas a caixinha de surpresas da NASCAR resolveu se abrir e Hamlin, com o mesmo problema de pneu que assolou muitos competidores, também acha o muro, deixando caminho aberto para o “the closer” fazer jus ao apelido e concluir a prova na primeira colocação, pela quarta vez nesta temporada.

Bela e honrosa segunda colocação conquistada por Kenseth, após seu retorno para a NASCAR, por conta do afastamento de Kyle Larson.

Prova emocionante, bastante movimentada e que faz jus ao circuito que a recebeu de braços abertos, mesmo sem público, por conta do isolamento social.

Chamo aqui a atenção, por fim, para o desempenho dos novatos Cole Custer, Tyler Reddick e Christopher Bell, que completaram a disputa na quinta, oitava e décima segunda colocação, respectivamente.

Os garotos estão crescendo!

Opinião Francisco Brasil

Podemos dizer que a Brickyard 400 tem dois grupos de piltos: vencedores e perdedores. No primeiro obviamente temos Kevin Harvick – que conquistou seu terceiro triunfo na pista, e quarto na temporada – acompanhado de Kenseth, que fez uma corrida sólida ainda não vista em seu retorno. Junte-se a eles os meninos Custer, Bell e Reddick, além de Michael McDowell e Bubba Wallace, que completaram um pouco usual top 10.

Já no grupo que quer esquecer essa prova, a mais prejudicada foi a equipe Gibbs, que viu dois de seus quatro carros no muro – incluindo Hamlin que vem se destacando positivamente – e Truex com problemas desde o início, ainda sendo envolvido no acidente nos pits.

A Penske também não tem o que comemorar, pois apesar da pole de Logano, o #22 sumiu na prova, conseguindo chegar em décimo mais por conta do azar alheio. Blaney também sofreu diversos problemas, enquanto Keselowski ainda faturou uma quarta posição em uma prova discreta.

O último destaque fica por conta de Matt DiBenedetto. O piloto da Wood Brothers chegou a brigar pela liderança, numa prova muito consistente, mas ainda falta um pouco de experiência, já que sua disputa com Austin Dillon no final foi, no mínimo, precipitada.

Opinião Lorenzo Francez

Indianápolis sempre nos guarda emoção até o fim da corrida. Se a corrida da Xfinity ficou emocionante nas voltas finais, a corrida da Cup não ficou pra trás. Com estratégias diferentes, a corrida ganhou emoção e também as bandeiras amarelas deixaram sua marca de suspense.

Hamlin nas voltas finais estava liderando em busca da 5ª vitória no campeonato e Harvick logo atrás na busca pelo 4º triunfo, porém, com problema no pneu, Hamlin bateu e trouxe a última bandeira amarela da corrida e o overtime. Na relargada final, Harvick honrou o apelido “The Closer” e fechou bem a corrida, seguido por Matt Kenseth e Aric Almirola.

Destaque para Kenseth que fez uma grande corrida e também para Cole Custer, que conseguiu terminar a frente dos outros rookies, com um top 5.

Opinião Marcos Amaral

Indianapolis sempre aprontando, tendo vários acidentes por causa de pneus, como os casos de Jones e Hamlin, big one na entrada dos pits e um final em que tudo podia acontecer.

Vou logo de cara ressaltando a grande corrida de Matt Kenseth, piloto que foi chamado às pressas para o lugar de Larson. Não vinha muito bem nas provas passadas, mas nesta mostrou sua força. Na parte final da corrida andou forte no TOP 3, tirando a diferença e encostando em Havick que, antes da batida de Hamlin era segundo. E na relargada final conseguiu se manter na segunda posição.

Denny Hamlin, realmente hoje os deuses de Indianápolis não queriam sua vitória. Restando 7 voltas para o fim, estoura seu pneu dianteiro direito e vai para o muro violentamente, mas o importante que está bem e vamos para a próxima.

Outra vítima de Indianápolis foi Erik Jones, que vinha fazendo boa corrida e também, na mesma curva, teve seu pneu estourado, levando o #20 para o muro. Desta vez, não foi culpa dele.

Dos jovens pilotos, Cole Custer e Tyler Reddcik ficaram no TOP 10. Ótimo para Custer, que precisa aparecer e fazer corridas mais constantes, enquanto Reddick vem com o melhor rendimento, conseguindo fazer corridas bem consistentes.

Quem também apareceu no top 10 foi Bubba Wallace. O piloto do #43 vem mostrando que está cada vez mais confiante nas corridas, e a fase ruim de andar la atrás ou bater, aparentemente esta acabando. Go go go Bubba!!

Acho que é isso meus amigos, assim foi mais uma corrida no templo do automobilismo, onde tivemos uma corrida fantástica com a Xfinity, e que essa junção entre NASCAR e Indy possa trazer grandes eventos, já que são duas categorias sensacionais.

Até o ano que vem!!!

A próxima etapa da NASCAR Cup Series acontecerá no dia 12/07, no circuito oval de 1,5 milha do Kentucky, situado no estado norte americano que lhe empresta o nome.

Até lá!

Alex Leonello Teixeira

Alex Leonello Teixeira

Alex Leonello Teixeira

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais