NASCAR Truck Series – Voltas finais derrubam Kyle Bush e Chase Elliott, abrindo espaço para vitória de Enfinger

6 de junho de 2020

j

Francisco Brasil

 A quarta etapa da NASCAR Truck Series foi realizada o oval de 1,5 milha em Atlanta, no estado da Geórgia.

Kevin C. Cox | Getty Images

E o grid continua sendo por sorteio, devido a falta de treinos por conta da pandemia. E quem teve a honra de largar da pole foi Christian Eckes com a Toyota Tundra #18 da KBM. Kyle Busch partiu da sexta posição e Chase Elliot foi o 13° do grid.

NASCAR Truck Series – Estágio 1 – 30 voltas

A bandeira verde foi acionada e Eckes pula na frente, mas logo na segunda volta o novato Bryan Dauzat roda sua Truck #28 causando amarela.

A sexta volta traz o retorno da competição, e Kyle Busch já figura no segundo lugar. Logo em seguida o atual campeão da Cup Series assume a liderança, enquanto a prova é paralisada mais uma vez por uma nova rodada de Dauzat na volta 12, após um leve toque do veterano Jebb Burton. Fim de prova para o #28.

Alguns pilotos aproveitam para fazer suas paradas. Na volta 16 a bandeira verde é novamente acionada, com Eckes voltando para a liderança, mas por pouco tempo, já que Busch se recupera da mà relargada e logo reassume o primeiro lugar.

Apesar da aparição de uma raposa na pista á seis voltas do fim do estágio, não houve nada que parasse Kyle que leva a bandeira verde e branca, seguido de Chase Elliott – numa incrível recuperação – e Eckes fechando o top 3.

NASCAR Truck Series – Estágio 2 – 30 voltas

As paradas acontecem e os problemas também: Stwart Friesen ao entrar em seu pit causa um engavetamento que atinge John Hunter Nemecheck e Matt Crafton, que acabou sendo o mais prejudicado. Outro que teve uma péssima parada foi Christian Eckes, com a demora na troca de pneus.

Elliott assume a ponta na relargada, com Kyle Busch chegando no segundo posto em uma volta após relargar em quarto.

O segmento segue tranquilo até faltar 11 para o fim do estágio, quando Busch e Elliott brigam pela ponta, sendo melhor para a Tundra #51. Faltando 3 voltas, Austin Self roda sozinho e causa nova amarela.

Kyle Busch se mantém na pista enquanto outros pilotos procuram os Boxes, incluindo Elliott que foi atrapalhado no Pit. A verde retorna na volta 66 e segue até o fim do segmento, com nova vitória de Busch, seguido de Grant Enfing e Derek Kraus.

NASCAR Truck Series – Estágio Final – 70 voltas

Nova rodada de paradas, mas as estratégias são as mais variadas. Enquanto Busch vai pro pit, Enfinger fica na pista e assume a liderança.

A verde novamente é agitada, e Ross Chastain aparece a briga pela ponta, após largar em 27°. Quem se junta a briga é Christian Eckes, chegando a fazer uma ultrapassagem dupla, mas Chastain recupera a ponta.

Mais atrás Busch e Elliott vêm escalando o pelotão, já figurando no top 10. A prova vem em ritmo constante, mas os pilotos não têm autonomia suficiente, sendo que começam as paradas em bandeira verde.

Calvário de Kyle Busch nas voltas finais

Faltando 47 voltas pro final, Kyle já está disputando a liderança com Chastain, passando na volta seguinte. A autonomia das caminhonetes vão acabando e, restando 36 voltas, Chastain abre as paradas em verde para os ponteiros.

Duas voltas depois foi a vez de Kyle Busch, seguido de Elliot. Aí começou a derrocada da Truck #51: Kyle Busch fez sua parada e foi punido por excesso de velocidade; na volta a pista bate no muro para desviar de Jordan Anderson, tendo que voltar aos boxes sendo punido mais uma vez, e ainda teve um pneu furado. Saldo negativo: 3 paradas e 2 punições em 5 voltas, caindo para a 29° posição com 3 voltas de desvantagem.

Enquanto isso, a estratégia brilhou para Austin Hill e sua Tundra #16, que liderava a prova com boa vantagem para Chastain. Chase Elliott ocupa a terceira posição.

Overtime causado por Elliott, á duas voltas do fim

Tudo vinha tranquilo, com Hill abrindo boa vantagem na ponta, até que faltando apenas duas voltas para a bandeira quadriculada, Chase Elliott roda sozinho enquanto buscava Chastain para brigar pelo segundo posto.

Durante a amarela, os pilotos buscam os pits atrás de pneus novos, devido ao alto desgaste causado pelo asfalto de Atlanta.

Hill se mantém na frente na relargada, só que pressionado por Enfinger e Eckes. A disputa é acirrada na penúltima volta, até que Enfinger abre o último giro na frente e se afasta dos demais, garantindo sua segunda vitória no ano.

Austin Hill termina em um amargo segundo lugar, seguido por Eckes. Chastain, que teve problemas na última parada, fechou em sexto. Elliott finalizou em 21°, uma posição á frente de Kyle Busch, 22° com duas voltas de atraso.

Opinião Francisco Brasil

Tudo levava a crer que seria um novo duelo Busch x Elliott. Mas o recorrente erro de excesso de velocidade de Buschinho e o seu azar ao ser atrapalhado, acabaram com uma corrida praticamente ganha. Elliott também errou feio ao rodar sozinho, sem a pressão de Kyle. Ou então a falta do principal oponente criou uma nova pressão, pois ele era o favorito. Melhor para Enfinger, o maior beneficiado. Austin Hill ficou visivelmente irritado com o final da prova. Tinha aberto 3 segundos de vantagem e perdeu tudo na relargada. Uma segunda posição amarga.

Opinião Alex Leonello

NASCAR Truck Series, como sempre costumo dizer, além de uma demonstração de automobilismo raiz, é sempre garantia de diversão e muita, muita competição. E melhor do que ter um piloto da categoria principal derrotado pela raça, ímpeto e rebeldia dos mais jovens, é ver dois! Sim. No duelo em que a lógica apontava para uma vitória certa dos “Cupeiros” (Chase Elliott e Kyle Busch), quem levou a melhor, em grande estilo, foi Grant Enfinger, que também só veio para a ponta depois da amarela causada por Elliott. Lógica? Na NASCAR? Só a de que as provas são sempre imprevisíveis e decididas apenas na linha de chegada.

Ainda teremos rodada da Xfinity no sábado e Cup no domingo. E o Planeta Velocidade está na cobertura de tudo!

Francisco Brasil

Francisco Brasil

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais