NASCAR XFINITY SERIES – Desencantou! Cindric vence em Kentucky e não é notícia repetida.

11 de julho de 2020

j

Francisco Brasil

A pista de 1,5 milha de Kentucky viu novamente o domínio do Mustang #22 de Austin Cindric, vencedor da prova de quinta. Mas dessa vez sua vitória dividiu palco com a treta entre Noah Gragson e Harrison Burton.

Com o grid definido pelo resultado da prova anterior, sendo invertidos os 15 primeiros, coube a Myatt Snider largar da pole com seu Camaro #93, tendo Jesse Little na primeira fila.

Estágio 1 – 45 voltas

Dada a largada, quem pula na liderança é Jeremy Clements seguido de Bratt Moffitt, beneficiados pela inversão do grid. Outro que poderia se dar bem era Kyle Weatherman, mas logo encontrou o muro quando vinha em 8°.

E meio que repetindo a dinâmica da primeira rodada, na volta 3 Ryan Sieg escorrega e toca com Snider antes de rodar, chamando a primeira bandeira amarela.

Com o retorno da ação na volta 7, Gragson já vem travando uma bela batalha com Clements pela liderança, enquanto Justin Allgaier procura os pits com um furo de pneu.

Gragson assume o primeiro posto na volta 13, enquanto Brandon Jones e Austin Cindric já escalam o pelotão, com direito a dupla ultrapassagem do #22 sobre Chastain e Alfredo pelo terceiro lugar, até que a bandeira amarela de competição acionada no 20° giro.

Temos a relargada na abertura da volta 26, e Gragson mantém a ponta, enquanto Clements se vê pressionado por Chastain e perde a posição. E sem mais intercorrências, Noah Gragson vence o segmento 1, com Harrison Burton, Austin Cindric, Anthony Alfredo e Brandon Jones fechando o top 5, se aproveitando da queda de desempenho de Chastain e Clements.

Estágio 2 – 45 voltas

O pelotão segue para os trabalhos nos pits, com poucas alterações, até que surge a informação da punição de Noah Gragson por excesso de velocidade. O piloto do Camaro #9 terá que relargar do fim do pelotão.

Volta 53 e a verde é acionada com Burton na frente, mas pressionado. Tanto que após 10 voltas Cindric assume a liderança e começa a abrir.

As pelo top 10 estão acirradas, menos para Cindric que deixa apenas 12 carros na volta do líder, tendo tranquilidade para vencer o estágio 2. O top 5 foi completado por Alfredo, Burton, Briscoe e Daniel Hemric, que pilotava o #8 no lugar de Jebb Burton.

Estágio Final – 110 voltas

Novo ciclo de paradas coloca Riley Herbst na primeira fila junto a Cindric, enquanto Chastain é o punido da vez por excesso de velocidade.

Relargada, volta 98. Austin Cindric se mantém na ponta, ao passo que Burton se enrola e cai de terceiro para décimo. O #22 vai abrindo aproveitando a briga intensa do pelotão.

O desempenho da Penske era tão grande que faltando 64 voltas, Cindric já tinha mais de 5 segundos de vantagem. Tentando se recuperar, Gragson abre o ciclo de paradas em verde faltando 57 voltas pro final, limite da janela de combustível.

Cindric vai para o pit 6 voltas após, mas fica por conta de Chastain e Allgaier fechar o ciclo ao pararem restando 43 giros. A essa altura, Cindric já tem 9 segundos de vantagem para Hemric, segundo colocado.

Tendo apenas 9 carros na mesma volta, a diferença do líder para os demais continua a subir rapidamente, quase 1 segundo por volta. Até que a 21 voltas pro fim, Brandon Jones roda sozinho quando disputava com Hemric a segunda posição e gera amarela.

O inabalável Cindric

Os pilotos aproveitam a intervenção para troca de pneus e abastecimento, então Anthony Alfredo erra a freada e entra em seu pit todo torto, sendo punido por não estar no espaço corretamente e jogando fora uma bela corrida.

Restando 13 voltas, a verde retorna e com ela o domínio de Cindric. Um pouco mais atrás Gragson tenta passar por Burton e acaba tocando no Supra #20, com ambos indo ao muro sem gerar amarela. E isso ainda rendeu!

E sem nenhum carro rendendo o suficiente, Austin Cindric abre 5 segundos e vence novamente em Kentucky. Briscoe, Haley, Chastain e Allgaier fecham o top 5 com boas provas de recuperação.

Sabe a confusão entre Gragson e Burton? Resultou no sétimo lugar para Noah e 12° para Harrison, além de troca de socos entre os pilotos ao fim da prova. O olho roxo de Burton diz tudo.

Opinião Francisco Brasil

Menino Cindric gostou de vencer em oval e levou logo duas. O carro estava na mão nas duas provas.

Boa prova de Alfredo, que ainda salvou um top 10 após seu erro, assim como Clements que largou da frente por conta da inversão de grid, mas garantiu um 11° lugar muito bom para sua pequena equipe, além de proporcionar uma das melhores batalhas pela liderança da corrida.

Agora Gragson forçou pra cima de Burton, isso foi claro nas imagens. O problema é que ele foi melhor de braço fora, pois o cruzado de direita foi forte. Eu acho que essa briga ainda vai longe e que se resolva na pista (payback tá valendo).

Opinião Alex Leonello

Austin Cindric não se contentou em conquistar a primeira vitória de sua carreira na NASCAR na prova de quinta-feira no Kentucky e partiu para cima na segunda corrida de rosada dupla, naquela mesma pista, cravando um novo triunfo na sexta.

Ainda mais atuante que no dia interior, Cindric deu as cartas desta etapa a partir do segundo segmento e venceu com tranquilidade as duas etapas do final de semana da Xfinity Series.
Gragson bem que tentou e chegou a levar o primeiro segmento da prova, mas a punição que sofreu e a qualidade do equipamento de Cindric impossibilitaram seu triunfo.

Como se não bastassem os toques de pista e todas as dificuldades de prova, Gragson e Burton levaram suas desavenças de pista para o infield e trocaram socos ao bom e velho estilo NASCAR MMA.
É provável que punições ocorram por conta do ocorrido, provavelmente multas, mas o que os fãs podem esperar é realmente a possibilidade de playback nas pistas.

Estamos de olho!

E no próximo dia 18 o Texas recebe as feras da Xfinity. Teremos novo vencedor? Cindric continua em sua fase boa? Terá novo embate entre Gragson e Burton? Todas as respostas você encontrará aqui, no Planeta Velocidade.

Francisco Brasil

Francisco Brasil

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais