Escute a rádio Planeta Velocidade!

F1 – O perde e ganha após o GP da Espanha

10 de maio de 2021

j

Derek Mayer

Numa temporada onde a Red Bull Racing se mostra com um carro melhor, ter uma Mercedes com a vitória no GP da Espanha é no mínimo estranho.

Estranho porque com a largada de Max Verstappen, esperava-se que o holandês venceria com facilidade. Mais estranho ainda porque Lewis Hamilton venceu com uma estratégia muito adversa e que mostra que o conjunto carro-piloto-equipe é fundamental para que a vitória venha.

O time taurino não conta no momento com a ajuda de Sergio Perez para funcionar como fiel escudeiro de Verstappen, sobretudo nas largadas, porém a Mercedes conta de certa forma com o mesmo problema, pois apesar de Valtteri Bottas vir conseguindo se classificar bem para as corridas, suas largadas não são das melhores.

Ontem Verstappen largou muito bem e a ponta da corrida foi mérito puro do jovem piloto holandês, mas se Bottas tivesse largado bem também, poderia ter forçado o piloto da Red Bull ficar travado atrás de Hamilton, bastando estar lutando igualmente pela ponta, mas ao invés disso, precisou se defender sem sucesso dos ataques de Charles Leclerc da Ferrari, que fez uma corrida espetacular.

Perez largou de oitavo e ainda conseguiu salvar uma quinta colocação, do mesmo modo que Bottas manteve ao final da corrida sua posição de largada, o terceiro lugar. Checo até que minimizou as perdas para o seu time, mas não impediu de a Mercedes disparar na frente no mundial de construtores, acumulando 141 pontos, contra 112 da Red Bull, pós GP da Espanha.

Largada do GP da Espanha – Foto: Reprodução/Twitter

A vaga mais baixa do pódio de construtores

Da mesma forma que a equipe austríaca, a McLaren também conseguiu minimizar suas perdas no mundial de construtores no GP da Espanha, já que Daniel Ricciardo conseguiu encerrar na sexta posição e Lando Norris duas atrás, o que por agora foi possível frear a Ferrari em sua investida ao pódio do campeonato de equipes, tendo as duas respectivamente 65 e 60 pontos.

Daí para traz o que vemos é uma imensa irregularidade entre os times, com três deles ainda sem pontuar: Alfa Romeo, Williams e Haas.

Quem mais perdeu até aqui

Já nas três demais equipes, podemos ver o quão decepcionante pode ser um campeonato, sobretudo quando as expectativas são elevadas de forma demasiada, fazendo com que a perda pareça ser ainda maior.

É o caso da Aston Martin, que em quatro corridas acumulou apenas 5 pontos, número muito inexpressivo, ainda mais quando se tem dinheiro para investir no carro e um tetracampeão no time. Estranhamente é Lance Stroll quem tem pontuado, o que mostra que a coisa parece estar muito mais difícil no time dos carros verdes.

Um pouco mais acima temos a AlphaTauri com 10 pontos, que também não deixa de ser decepcionante, já que em 2020 chegou até a vencer pelas mãos de Pierri Gasly, que neste ano ao que tudo indica, ainda não encontrou conforto na pilotagem do seu novo carro.

Na contramão do francês o japonês Yuki Tsunoda está muito aquém do andamento mostrado na pré-temporada, com o azar, como o que ocorreu ontem na pista espanhola, também rondando seu caminho e minando seus resultados.

Fechando o pelotão intermediário temos a Alpine, que seria uma incógnita neste ano, é verdade, porém deveria ser muito mais no sentindo positivo, já que trouxe o bicampeão Fernando Alonso para o time, mas que ainda não conseguiu se encontrar no carro e com isso, não traz os resultados que deveria e que o time tanto espera.

Tabela de construtores – Foto: Repdroução/Instagram

O pós GP da Espanha

Diferente do que se imaginava, estes três últimos times parecem ser os que mais perderam até aqui, pois pelo menos da Aston Martin e da Alpine, esperava-se que fossem duelar com a McLaren pela terceira posição, mas o que está sendo visto é um distanciamento muito grande da equipe dos carros laranjas, cuja preocupação agora são apenas os carros vermelhos.

A Ferrari veio muito bem neste ano, ajudada por um carro melhor e uma dupla de pilotos competentes, a briga pelo posto mais baixo do pódio de construtores será intensa com a McLaren, que devemos lembrar está em seu primeiro ano com as unidades de potência Mercedes, o que também demanda um certo tempo para o ajuste fino de todas as partes.

Na ponta da tabela, falando de pilotos, tudo leva a crer que Hamilton ganhará mais um título neste ano, pois ainda que Verstappen queira muito ser campeão o quanto antes, o inglês parece ter um preparo melhor e a Mercedes tem agido rápido para lhe dar um carro a altura.

Hamilton celebra mais uma vitória na F1 – Foto: Divulgação/Mercedes AMG F1 Team

Falando do mundial de construtores temos nas pessoas de Bottas e Perez a dura missão de pontuar e no caso de Perez, pontuar muito, pois mesmo com o finlandês não terminado uma das corridas deste ano, o saldo de pontos está positivo para ele, que tem 47 pontos, contra 32 do mexicano.

Em suma, apesar de ser um ano onde as lutas nas pistas parecem estar maiores, tudo leva a crer que pode ser mais uma temporada de “mais do mesmo”, ainda que tente nos mostrar o contrário.



Derek Mayer

Derek Mayer

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais