Escute a rádio Planeta Velocidade!

Fórmula Indy – O’Ward é perfeito e vence no Texas e faz McLaren vencer na Indy após 42 anos

Sensacional! É o que podemos dizer da segunda corrida da rodada dupla da Indycar no circuito de Fort Worth, no Texas. Após uma primeira corrida sem emoção, os fãs da categoria foram presenteados com uma agitada prova no início desta noite. Diante de tantas disputas estratégicas entre as equipes, que travaram uma luta insana nos pits, a batalha em pista foi de tirar o fôlego e, no final, tivemos uma vitória merecida de Patrício O’Ward.

O primeiro lugar do mexicano quebra dois jejuns: foi a primeira conquista de um piloto do país na categoria, desde a vitória de Adrian Fernandez em Fontana 2004, e ainda o primeiro triunfo da McLaren em 42 anos! Veja a seguir como foi a excelente prova da Indy nesta noite.

Confusão na largada!

Acidente forte na largada do GP do Texas. Reprodução Twitter Indycar

Nem bem foi dada a bandeira verde e um big-one envolveu vários carros, tirando 6 deles da prova! Pietro Fittipaldi não conseguiu desviar de Sebastian Bourdais e acabou acertando o carro do francês, que tocou e fez Alexander Rossi rodar. Com isso, Ed Jones, Dalton Kellet e Conor Daly – este com mais gravidade, pois seu carro chegou a capotar – não conseguiram desviar e se envolveram no enrosco, causando um forte acidente que ainda envolveu Tony Kanaan e James Hinchcliffe.

Tanto Tony quanto James voltaram aos pits para tentar continuar na prova, enquanto os outros envolvidos abandonaram. Daly recebeu atenção especial no resgate, porém todos os pilotos estavam bem.

Após várias voltas de Safety Car para limpeza da pista, os pilotos voltaram a acelerar na volta 18. Dixon mantém a primeira posição trazendo Alex Palou logo atrás. Jack Harvey faz grande relargada e ultrapassa Will Power e Pato O’Ward para ficar em terceiro no início da prova, mostrando ter um ótimo carro na prova texana.

O’Ward pressiona Power

Na volta 46, O’Ward mostra ter um carro melhor que o de Power e pressiona o australiano da Penske na busca pelo quarto lugar, mas o piloto do carro 12 é osso duro de roer e não se rende para o pupilo mexicano da McLaren. Pato chegou a colocar o carro lado a lado com o campeão de 2014, mas sem sucesso na ultrapassagem. Fato é que a pista do Texas tem sérios problemas por conta da aplicação dos produtos que são usados para aumentar a aderência em categorias de stock-car americanas, mas que na Indy trazem um efeito totalmente inverso. Até o momento – muito por conta dessa particularidade da pista – o que se viu foi, de fato, muitas disputas, mas nenhuma ultrapassagem.

Volta 72 e os ponteiros começam a fazer suas paradas nos boxes! Por conta do Safety Car do início da prova, os pilotos conseguiram estender um pouco mais os stints dos pneus e, dessa forma, a previsão inicial foi superada em aproximadamente 20 voltas se comparada com a corrida de sábado. Dixon vai para os boxes seguido por O’Ward, enquanto Alex Palou parou na volta 73.

Na volta dos boxes, Newgarden – que vinha até então na sexta colocação – se aproveitou de um bom trabalho da Penske para conseguir ganhar as posições de O’Ward e Power, que caiu para sexto. Com pneus novos, na volta 81, ele também passa Jack Harvey e vai para a terceira posição, atrás da dupla da Ganassi que se mostra imbatível até então.

A corrida se mantém em ritmo constante mas sem grandes ações, até que na volta 112 Pato O’Ward, que vinha colocando forte pressão sobre Jack Harvey, consegue ultrapassar o britânico para garantir o quarto posto da corrida.

Pouco depois de perder a posição, o piloto da Meyer Shank sofreu uma falha no sistema de freio da roda traseira direita e precisou ir para os boxes, numa situação parecida com a que Colton Herta viveu no dia anterior, quando o sistema de freio do carro deu problema e causou o abandono do piloto do carro, 60 que vinha fazendo uma boa prova.

Bandeira verde agitada pra mais corrida

Relargada da prova! Reprodução Twitter Indycar

Em bandeira amarela os pilotos então entraram nos boxes para reabastecimento e troca de pneus. A Rahal trabalhou muito bem no carro de Graham Rahal e colocou o piloto na terceira posição, enquanto a Ganassi conseguiu manter Dixon na ponta. Mas a equipe teve problemas com Alex Palou que acabou voltando na sexta colocação. Já a Penske conseguiu colocar Will Power no segundo posto, em ótima condição para brigar pela ponta.

É dada a relargada e Pato O’Ward vai com tudo para cima de Newgarden conquistando a quarta posição,  já com Rahal na sua alça de mira. Enquanto isso, mais atrás, Palou vem perdendo posições para Rosenqvist e Pagenaud. Scott McLaughlin da Penske – que foi segundo colocado na prova do sábado – sofre forte pressão de Herta e Ericsson, perde posições e acaba caindo para a 10ª colocação da prova.

Alheio a isso, Pato O’Ward mostra que tem um carro extremamente competitivo para a prova texana e ultrapassa Graham Rahal para ficar em terceiro. Logo depois, contra um combativo Will Power, consegue a ultrapassagem para garantir a segunda colocação da prova, enquanto o mesmo Power aproveita o momento para também passar Rahal. Mas o americano não deixou barato e recuperou a colocação sobre o piloto do carro 12.

Três voltas de depois, Rahal – que é bom citar, não teve uma prova espetacular no sábado – vem com a “faca nos dentes” para cima de Pato O’Ward e passa o mexicano, conquistando a segunda colocação da prova.

Novo líder, Graham Rahal

Rahal ultrapassa Dixon! Reprodução Twitter Indycar

Então, com um carro que aparenta andar muito bem no vácuo, Rahal começa a descontar a diferença para Dixon que vai a frente e, na volta 141, consegue a ultrapassagem que o coloca na primeira colocação.

Porém Dixon não deixa o americano escapar e na volta 151 recupera a ponta da prova, mostrando ter um carro bem apoiado para andar no tráfego e  principalmente acertado para ficar de “cara para o vento”.

Nesse momento recomeçam as paradas nos boxes e Takuma Sato para na volta 167. Pouco depois, na volta 171, Hunter-Reay e Ericsson param nos boxes para troca de pneus tentando uma estratégia diferente, mas que precisaria contar com bandeiras amarelas para funcionar. Newgarden faz sua troca na volta 186, enquanto Dixon e Rahal vão para os boxes na volta 187 e Pato O’Ward na volta 188.

Na volta 191 Felix Rosenqvist é visto na transmissão sem a roda traseira direita (de novo ela!) e vai se arrastando para os boxes para os reparos. Por conta da roda que ficou na pista, a direção deflagrou a bandeira amarela e, devido às estratégias diferentes, nesse momento a corrida tem no top3 Takuma Sato, Ryan Hunter-Reay e Marcus Ericsson.

Porém antes que a bandeira verde fosse acionada novamente, os pilotos do carro 27 da Andretti e também do 8 da Ganassi fizeram suas paradas nos boxes, pois ficou claro que a estratégia que iriam tentar não daria certo.

Sato x Newgarden x O’Ward pela liderança

Relargada final da prova. Sato na frente! Reprodução Twitter Indycar

Volta 198 e Sato mantém a ponta, mas por pouco tempo, pois Newgarden faz a ultrapassagem sobre o japonês e vai para a ponta, seguido por O’Ward e depois por todos os pilotos do pelotão da frente que vinham com pneus novos.

Quem se deu mal com tudo isso foi Dixon! O piloto da Ganassi, que vinha dominando, a prova caiu para a quinta posição e não tinha mais o mesmo ritmo no tráfego em comparação com o que tinha quando estava de cara para o vento. Desta forma ele não conseguiu recuperar posições e ficou “preso” pelos carros que estavam à frente.

Pato O’Ward vem para vitória

Ultrapassagem de O’Ward em Newgarden. Reprodução Twitter Indycar

Em paralelo, Newgarden começa a sofrer forte pressão de Pato O’Ward que vem forçando tudo para conquistar a primeira colocação, até que na volta 224, em sensacional manobra o piloto mexicano ultrapassa o bicampeão da Penske para garantir o primeiro lugar. Graham Rahal vem mais atrás, seguido por Scott Dixon.

Chegando próximo das voltas finais da prova, todos os pilotos a partir da terceira colocação que pararam mais cedo começaram a ter problemas com o consumo de combustível. Com isso, a vitória virou um  assunto particular entre Pato O’Ward e Josef Newgarden.

O’Ward e Mclaren vencem no Texas

A comemoração pela primeira vitória de O’Ward! Reprodução Twitter Indycar

O piloto da Penske bem que tentou, mas não impediu a vitória do mexicano da McLaren, que tinha uma aposta com Zack Brown: o chefe prometeu ao mexicano um teste no carro de Fórmula 1 da equipe em Abu Dabhi caso conquistasse uma vitória no ano. Pelo jeito o teste está garantido!

Essa foi a primeira vitória da Mclaren na Indy desde a conquista de Johnny Rutherford em Atlanta no dia 22 de abril de 1979.

Newgarden chegou na segunda posição seguido por Grahan Rahal em terceiro, Dixon chegou somente na quarta posição enquanto Herta em ótima corrida de recuperação completou o TOP-5 no Texas.

Pietro Fittipaldi abandonou a corrida no acidente logo na largada e Tony Kanaan que se envolveu no enrosco foi muito prejudicado para o restante da prova e chegou com um atraso de duas voltas em relação ao líder ficando na 15ª posição.

Renato Moraes

Renato Moraes

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais