Escute a rádio Planeta Velocidade!

SOPA DE LETRINHAS DO WEC E IMSA: LMGTE PRO E AM, GTLM, GTD E GTD PRO

12 de fevereiro de 2021

j

Marcio de Luca

Finalizamos hoje nossa série de matérias sobre os principais campeonatos de endurance mundo afora, onde neste capítulo final falaremos sobre os GTs, que nos diversos campeonatos existentes são distribuídos com diversos nomes, porém na grande maioria tratando-se dos mesmos tipos de carros e modelos.

 No IMSA temos a GTLM, Grand Touring Le Mans, que no WEC é a LMGTE Pro, Le Mans Grand Touring Endurance Pro, cujos carros apesar de ser GTs, são modelos completamente específicos, estando de certa forma próximo aos protótipos, já que são carros sem similares homologados para as ruas.

 Os carros podem ter motor com cilindrada até 5.5 Litros naturalmente aspirado, ou até 4.0 Litros turbo, com peso mínimo de 1.245 Kg (sem piloto e combustível) e tanque de combustível com capacidade para até 90 litros, cuja capacidade pode ser reduzida em função do BoP, Balance of Performance, que visa equalizar o rendimento dos carros.

 Nesta classe, que é a de topo dos GTs, a composição da tripulação dos carros é livre, porém destinada apenas a pilotos profissionais.

 Falando especificamente do IMSA, na temporada 2022 a regulamentação GTE será substituída pela FIA GT3, como forma de reduzir custos e atrair mais times de fabricantes ao campeonato, onde a classe GTLM passará a se chamar GTD Pro.

 No WEC temos inscritos para este ano apenas a Ferrari 488 GTE e o Porsche 911 RSR, já no IMSA a lista é um pouco maior, onde além dos dois modelos anteriores são acrescidos o Corvette C8.R e o BMW M8 GTE.

 Já para a “segunda” classe dos GTs há uma diferenciação entre os campeonatos, onde no IMSA temos a GTD, Grand Touring Daytona que utiliza os modelos da regulamentação FIA GT3 e com isso os regulamentos técnicos são bem distintos se comparado ao WEC

 Por seguir a regulamentação do FIA GT3 Group, peso, cilindrada e potência de motor seguem especificamente a regulamentação mundial, o que permite um leque de opções enorme, onde encontramos os seguintes modelos competindo: Acura NSX GT3, Aston Martin

Vantage GT3, Audi R8 LMS GT3, BMW M6 GT3, Ferrari 488 GT3, Lamborghini Huracan GT3, Lexus RC F GT3, Mercedes-AMG GT3 e Porsche 911 GT3R, perfazendo-se um total de 9 fabricantes.

 Por se tratar de veículos com diversos tipos de motores, a equalização da categoria se dá através de BoP, muitas vezes específicos para cada prova.

 Diferente do IMSA, no WEC a segunda classe dos GTs é a LMGTE Am, Le Mans Gran Touring Endurance Am, que segue rigorosamente o regulamento técnico da Pro, porém a diferenciação se dá em relação aos pilotos, que neste caso entram os amadores, onde a tripulação de cada carro deve incluir um piloto categoria bronze, com mais um bronze ou prata, caso a prova seja dividida entre três condutores. Se a prova for realizada apenas com dois condutores, um faz-se necessário um piloto bronze (ou prata) e um amador.

 Diferente da categoria Pro que constam apenas dois fabricantes no grid, a Am conta com um a mais, porém ao invés de apenas quatro carros no grid, estão 13 inscritos, sendo eles: Aston Martin Vantage, Ferrari 488 GTE e Porsche 911 RSR-19.

 Conforme citamos em outra matéria aqui no site, a convergência do IMSA para a regulamentação FIA GT3 para as duas categorias de GTs da competição a partir da temporada do ano que vem, quase que implicará na mesma atitude do WEC, pois os modelos GTEs além de muito específicos, são bem caros, o que tem afastado alguns fabricantes das competições que seguem essa cartilha.

 Caso não tenha lido as duas matérias anteriores que falamos das demais classes da competição, acesse-as através dos links abaixo.

SOPA DE LETRINHAS DO WEC E IMSA: LMP1, DPI E LMDH

SOPA DE LETRINHAS DO WEC E IMSA: LMP2 E LMP3

Fotos Divulgação

Marcio de Luca

Marcio de Luca

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais