Xfinity Series – Gigante, Austin Cindric vence em Phoenix e fatura o título.

8 de novembro de 2020

j

Sandra Automusas

Depois da dramática final da Truck Series na sexta, o oval de 1 milha de Phoenix agora é palco da decisão da Xfinity Series.

Foto Alejandro Alvarez | NASCAR Digital Media

Na disputa estavam Austin Cindric, Chase Briscoe, Justin Haley e Justin Allgaier, onde esse último teve a oportunidade de largar da pole position para as 200 voltas.

Revisão Alex Leonello/Marcos Amaral
Foto Chris Graythen | Getty Images

E como é tradição algum finalista ter contratempos, Justin Haley teve que trocar sua equipe de pit stop. Um caso de COVID-19 em um dos membros da tripulação – que também atende o carro da Chip Ganassi de Matt Kenseth na Cup – obrigou a Kaulig Racing a utilizar o pessoal que opera o carro #16 de AJ Allmendinger (que não corre todas a etapas), sendo a mesma de Bubba Wallace na equipe de Richard Petty.

E vamos para a corrida!

Estágio 1 – 45 voltas

Allgaier larga bem e mantém a ponta, trazendo Briscoe e Cindric, que assume o segundo lugar, mas já na segunda volta um toque leva o Camaro #0 de Jeffrey Earnhardt ao muro, causando a primeira bandeira amarela.

Foto Chris Graythen | Getty Images

A relargada acontece no giro 7 e dessa vez é Briscoe que assume a dianteira, com Cindric e Allgaier logo atrás. Já Haley não desenvolve e aparece apenas em sétimo.

A briga é acirrada, tanto que Briscoe chega a tocar no muro, mas mantém a posição até a bandeira amarela de competição na volta 20. Mesmo assim os líderes preferem se manter na pista.

Nova bandeira verde na volta 27 e Allgaier tenta avançar, mas Briscoe sustenta a liderança e traz consigo Cindric. Só que no giro seguinte outra amarela, dessa vez causada pela batida de 4 carros no fim do pelotão. Nesse momento há um estranhamento entre Haley e Noah Gragson, que se provocam.

Volta 35 e temos a relargada com Briscoe ainda na ponta, agora seguido de Allgaier. O piloto do #7 tenta tomar a dianteira, mas acaba sendo superado por Cindric.

E apesar do ataque do piloto da Penske, Briscoe vence o primeiro segmento, com Cindric em segundo e Allgaier terceiro. Haley, o outro finalista, é apenas sétimo.

Estágio 2 – 45 voltas

Foto Brian Lawdermilk | Getty Images

O intervalo entre estágios traz os pilotos para suas paradas, e Allgaier se dá melhor ao sair à frente, acompanhado de Gragson. Eles só não contavam que Tommy Joe Martins ficou na pista.

O segmento começa pra valer no giro 54, e Martins é engolido pelo pelotão, deixando a liderança para Allgaier. Cindric supera Gragson pela segunda colocação.

A briga na frente é ferrenha, até que Ross Chastain para no giro 66, no momento em que Briscoe supera Gragson pelo terceiro lugar, com direito a uma bela escorregada.

Mais à frente, Cindric parte para o ataque em Allgaier justamente na volta 74, quando surge outra amarela causada por Joe Martins, que tem um estouro de motor.

Allgaier relarga bem na volta 81, trazendo Cindric e Briscoe, além de Brandon Jones que se “infiltra” entre os postulantes ao título. Mas restando 8 voltas para o fim do estágio, Cindric ataca novamente e ultrapassa Allgaier.

Sem ser superado, Cindric vence o estágio 2, com Allgaier em segundo e Briscoe em terceiro. Novamente Haley é apenas sétimo.

Estágio Final – 110 voltas

Novo ciclo de paradas apresenta um novo líder: Brandon Jones. Briscoe, Cindric e Allgaier vêm na sequência.

Foto Brian Lawdermilk | Getty Images

O segmento começa na volta 99 com uma ótima largada de Allgaier que reassume a ponta e abre certa vantagem. Jones também é superado por Cindric no giro 108 após quase perder o carro.

A vantagem construída por Allgaier some na volta 126, quando Cindric se aproveita dos retardatários para grudar no líder, sempre com Jones em seu encalço, e realiza a ultrapassagem.

Allgaier começa a perder rendimento e é superado por Jones faltando 61 voltas pro final. Com isso, Jones tenta atacar Cindric, mas se enrola com os retardatários e perde um pouco de contato.

A situação do #7 começa a ficar difícil e, restando 48 voltas, Briscoe supera Allgaier pelo terceiro lugar. Mas ninguém tem autonomia para chegar ao fim, e o ciclo de paradas é aberto pelo próprio Allgaier na volta 161. No giro seguinte Haley faz o mesmo. Cindric e Briscoe param faltando 37 voltas para o término.

Mas a NASCAR sempre tem o imponderável como fator, e faltando apenas 30 voltas, Joe Graf Jr bate no muro e aciona outra amarela. Allgaier arrisca e entra no Pit, pois tem rendimento melhor com pneus novos.

Foto Chris Graythen | Getty Images

No momento da relargada, faltando 23 voltas para o fim, Cindric divide a primeira fila com Chastain que, quando a verde é acionada, bloqueia Allgaier e assume a ponta. Mas Cindric ataca e retoma a ponta.

Austin Cindric começa a apertar o ritmo e abre 1 segundo para Allgaier, mas restando apenas 4 voltas para acabar, Chase Briscoe tem um pneu furado e chama nova bandeira amarela.

Overtime

Cindric e Haley aproveitam para calçar pneus novos, ao contrário de Allgaier que se mantém na pista junto de Chastain. Cindric volta em terceiro.

Foto Brian Lawdermilk | Getty Images

Na relargada para a prorrogação, Cindric duela diretamente com Allgaier e traz Gragson junto. Os três chegam a se tocar, mas com pneus novos e a sede de vitória, o gigante de 1,93m Austin Cindric vence a grande final e se torna o campeão da Xfinity Series do ano de 2020. Noah Gragson termina em segundo e Brandon Jones em terceiro.

Justin Allgaier é o vice campeão ao chegar em quinto. Justin Haley fica em terceiro no campeonato após cruzar a linha em oitavo, logo à frente de Briscoe, nono na prova e quarto colocado na final.

Essa foi a centésima corrida de Austin Cindric, que no alto dos seus 22 anos provou que não era apenas o “filho do dono”, já que seu pai, Tim Cindric, é presidente da equipe Penske.

Agora só resta saber quem será o campeão da Cup Series, cuja a final também será em Phoenix com cobertura completa do Planeta Velocidade.

Sandra Automusas

Sandra Automusas

Período

Categorias

Siga nossas redes sociais